Beta Trianguli Australis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
α Trianguli Australis
Dados observacionais (J2000)
Constelação Triangulum Australe
Asc. reta 15h 55m 08,6s[1]
Declinação -63° 25′ 50,6″[1]
Magnitude aparente 2,85[1]
Características
Tipo espectral F1 V[1]
Cor (U-B) +0,05[2]
Cor (B-V) +0,29[2]
Astrometria
Velocidade radial 0,4 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -188,66 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -401,85 mas/a[1]
Paralaxe 80,79 ± 0,16 mas[1]
Distância 40,37 ± 0,08 anos-luz
12,38 ± 0,02 pc
Detalhes
Massa 1,65[3] M
Raio 1,9[3] R
Gravidade superficial 4,219 ± 0,066[4]
Luminosidade 8,5[3] L
Temperatura 7 384 ± 368[4] K
Rotação 90 km/s[5]
Outras denominações
CD-63 1135, FK5 589, HR 5897, HD 141891, HIP 77952, SAO 253346.[1]
Beta Trianguli Australis
Triangulum Australe constellation map.png

Beta Trianguli Australis (β TrA, β Trianguli Australis) é a segunda estrela mais brilhante da constelação de Triangulum Australe, com uma magnitude aparente de 2,85.[3] Com base em medições de paralaxe, está localizada a aproximadamente 40,37 anos-luz (12,38 parsecs) da Terra.[1] Tem um movimento próprio particularmente rápido pela esfera celeste, de quase meio segundo de arco por ano.[3]

O espectro de Beta Trianguli Australis corresponde a uma classificação estelar de F1 V,[1] o que indica que é uma estrela de classe F da sequência principal. Tem uma massa de 1,65 vezes a massa do Sol e um raio de 1,9 vezes o raio solar.[3] Emite uma luminosidade 8,5 vezes maior que a do Sol[3] a uma temperatura efetiva de cerca de 7 400 K,[4] o que lhe dá a coloração branco-amarela típica de estrelas de classe F.[6] Beta Trianguli Australis forma uma estrela dupla com uma anã laranja ou anã branca de magnitude 13 a uma separação de quase três minutos de arco na esfera celeste, o que é provavelmente apenas uma coincidência na linha de visão.[3]

Observações com o Telescópio Espacial Spitzer revelam que Beta Trianguli Australis emite radiação infravermelha em excesso. Isso sugere a presença de material circunstelar no sistema, que pode ser um disco de detritos.[7] A estrela pode ser um membro do grupo Beta Pictoris, uma associação de cerca de 17 estrelas que compatilham origem e movimento pelo espaço. Se for um membro do grupo, Beta Trianguli Australis tem uma idade de cerca de 12 milhões de anos, que é a idade do grupo em si.[8]

Beta Trianguli Australis é uma das estrelas que aparecem na bandeira do Brasil. Ela simboliza o estado de Santa Catarina.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «SIMBAD query result - LTT 6339». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 30 de setembro de 2013 
  2. a b Nicolet, B. (outubro de 1978). «Photoelectric photometric Catalogue of homogeneous measurements in the UBV System». Astronomy and Astrophysics Supplement Series. 34: 1–49. Bibcode:1978A&AS...34....1N 
  3. a b c d e f g h Kaler, James B. «BETA TRA (Beta Trianguli Australis)». Stars. Consultado em 30 de setembro de 2013 
  4. a b c Allende Prieto, C.; et al. (junho de 2004), «S4N: A spectroscopic survey of stars in the solar neighborhood. The Nearest 15 pc», Astronomy and Astrophysics, 420: 183–205, Bibcode:2004A&A...420..183A, arXiv:astro-ph/0403108Acessível livremente, doi:10.1051/0004-6361:20035801 
  5. van Belle, Gerard T (março de 2012). «Interferometric observations of rapidly rotating stars». The Astronomy and Astrophysics Review. 20 (1). pp. id. 51. Bibcode:2012A&ARv..20...51V. doi:10.1007/s00159-012-0051-2 
  6. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 30 de setembro de 2013 
  7. Koerner, D. W.; et al. (fevereiro de 2010), «New Debris Disk Candidates Around 49 Nearby Stars», The Astrophysical Journal Letters, 710 (1): L26–L29, Bibcode:2010ApJ...710L..26K, doi:10.1088/2041-8205/710/1/L26 
  8. Nakajima, Tadashi; Morino, Jun-Ichi; Fukagawa, Misato (setembro de 2010), «Potential Members of Stellar Kinematical Groups within 20 pc of the Sun», The Astronomical Journal, 140 (3): 713–722, Bibcode:2010AJ....140..713N, doi:10.1088/0004-6256/140/3/713 
  9. «Astronomy of the Brazilian Flag». FOTW Flags Of The World website. Consultado em 24 de setembro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.