Betaxolol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estrutura química de Betaxolol
Betaxolol
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
(RS)-1-{4-[2-(cyclopropylmethoxy)ethyl]-
phenoxy}-3-(isopropylamino)propan-2-ol
Identificadores
CAS 63659-18-7
ATC C07AB05
PubChem 2369
DrugBank Predefinição:Drugbankcite Predefinição:Drugbankcite
Informação química
Fórmula molecular C18H29NO3 
Massa molar 307.428 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade 89%
Metabolismo Hepático
Meia-vida 14–22 hours
Excreção Renal(20%)
Considerações terapêuticas
Administração Oral
DL50  ?

Betaxolol é um beta1 usado no tratamento da hipertensão arterial e do glaucoma. Sendo selectivo dos receptores beta1, tem menos efeitos colaterais que não seletivos, for example, não causando broncoespasmo nas doses terapêuticas. Quando comparado ao metoprolol, tem maior afinidade pelos receptores beta1. Além dos seus efeitos cardiovasculares, o betaxolol reduz a pressão intraocular. Não se sabe qual o mecanismo preciso desta ação mas pensa-se que seja por redução da produção de humor aquoso. A redução desta pressão diminui o risco de lesão do nervo óptico e perda da visão nos pacientes com glaucoma.[1]

O Betaxolol foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) para uso ocular na forma de solução a 0.5% em 1985 e a 0.25% em 1989.

Uso clínico[editar | editar código-fonte]

  • Oral: para tratamento da hipertensão
  • Oftálmico: para o tratamento do glaucoma

Dosagem[editar | editar código-fonte]

  • Oral: a dose inicial na hipertensão arterial é de 10 mg uma vez ao dia.
  • Oftálmico: Uma a duas gotas no olho afetado duas vezes ao dia.

Contraindicações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bloqueador beta-adrenérgico

Referências

  1. «Betaxolol». Consultado em 28 de dezembro de 2012