Boogarins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Boogarins
Informação geral
Origem Goiânia, Goiás
País  Brasil
Gênero(s) Indie rock, neopsicodelia, rock psicodélico, rock progressivo, Krautrock, Tropicalismo
Período em atividade 2012–atualmente
Afiliação(ões) Ultravespa, Luziluzia, Carne Doce, O Terno.
Influência(s) Os Mutantes, Casa das Maquinas, Tame Impala, Jupiter Maçã, Clube da Esquina, Pond, J. Cole, Pink Floyd, Melody's Echo Chamber, Deerhunter, Flying Lotus, Quilt, Mild High Club
Integrantes Dinho Almeida
Benke Ferraz
Raphael Vaz
Ynaiã Benthroldo
Página oficial boogarins.com

Boogarins é uma banda brasileira de rock psicodélico e Neopsicodelia formada no ano de 2012, em Goiânia, por Fernando "Dinho" Almeida (vocais e guitarra rítmica) e Benke Ferraz (guitarra solo).[1] Para completar o quarteto, depois entraram Hans Castro (bateria) e Raphael Vaz (contrabaixo). Em 2014, Ynaiã Benthroldo entrou no lugar de Hans.[2] A banda já apresentou em diversos festivais de música de todo o mundo, como o Rock in Rio Lisboa, Primavera Sound, Porão do Rock, Bananada, Lollapalooza e South by Southwest.

História[editar | editar código-fonte]

Boogarins foi formada por Benke e Dinho, dois amigos de infância, que se juntaram e gravaram o EP As Plantas Que Curam em casa. Depois do lançamento do EP, Boogarins chamou atenção da gravadora Other Music que assinou com o quarteto e em 2013 saiu o primeiro álbum da banda As Plantas Que Curam.[3]

Após o lançamento do disco, a banda fez mais de 70 shows na Europa, nos Estados Unidos e na América Latina, passando por festivais como o South by Southwest, no Texas, e o Primavera Sound, em Barcelona. Em 2015, a banda tocou no festival Lollapalooza, em São Paulo.[4] E participou também da Virada Cultural de São Paulo.

Depois dessa longa turnê, a banda gravou seu novo disco, Manual, ou Guia Livre de Dissolução dos Sonhos,[5] na Espanha. O álbum teve seu lançamento no final de outubro em CD, vinil e por plataformas digitais em todo o mundo. No Brasil a banda é editada pelo selo StereoMono[6] / Skol Music, gerido por Carlos Eduardo Miranda.

Em 2016, a banda participou do Rock in Rio Lisboa, tocou na influente rádio de música alternativa de Seattle chamada KEXP e também no famoso festival de Levitation onde teve a participação de Brian Wilson.[7] No mesmo ano, a banda teve o álbum Manual indicado ao prêmio de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa no Grammy Latino.[8]

Em 2017, a banda lançou um álbum ao vivo, chamado Desvio Onírico, composto por quatro faixas de cerca dez minutos cada, com jams, improvisações entre outras coisas gravadas durante a turnê deles nos EUA e na Europa, com apresentações no festival Levitation, South by Southwest e Rock in Rio Lisboa. Em junho do mesmo ano, a banda compartilhou seu novo álbum de estúdio, Lá Vem a Morte, de surpresa no YouTube. Relativamente curto, este álbum vem agradando imensamente os fãs, agora com a banda sendo o principal exponente do Rock Psicodélico Brasileiro.

Discografia[editar | editar código-fonte]

EPs
  • 2013: As Plantas Que Curam
Álbuns de estúdio

Álbuns ao vivo

  • 2017: Desvio Onírico

Singles

  • 2013: Doce
  • 2015: Avalanche
  • 2016: Elogio a Instituição do Cinismo
  • 2017: Olhos

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Fernando "Dinho" Almeida Filho – vocal, guitarra
  • Benke Ferraz – guitarra e sintetizadores
  • Raphael Vaz Costa – baixo
  • Ynaiã Benthroldo – bateria
Ex-integrantes
  • Hans Castro - bateria

Referências

  1. Ratliff, Ben (24 de abril de 2016). «Review: Boogarins, a Psychedelic Pop Band From Brazil». New York Times. Consultado em 8 de junho de 2016 
  2. «Banda goiana psicodélica, Boogarins conquista gravadora americana». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de janeiro de 2015 
  3. «As Plantas que Curam - Boogarins». Allmusic. Consultado em 3 de janeiro de 2015 
  4. Fonseca, Lucas Borges (18 de maio de 2015). «Boogarins anima público pequeno com rock psicodélico na tarde do Lollapalooza». Billboard Brasil. Consultado em 8 de junho de 2016 
  5. Denselow, Robin (29 de outubro de 2015). «Boogarins: Manual review – intriguing sounds from Brazilian psych-pop band». The Guardian. Consultado em 8 de junho de 2016 
  6. Júnior, José Flávio (28 de outubro de 2015). «Manual, ou Guia Livre de Dissolução dos Sonhos». Rolling Stone Brasil. Consultado em 8 de junho de 2016 
  7. «Rock in Rio Lisboa: Boogarins Hipnotiza portugueses com psicodelia tropical entre rasantes de aviões». O Estado de S.Paulo. Consultado em 8 de junho de 2016 
  8. «Djavan, Elza Soares e Boogarins estão entre indicados ao Grammy Latino; veja as principais categorias». Rolling Stone Brasil. 21 de setembro de 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.