Bug

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Uma fotografia supostamente do primeiro bug (um inseto real) que foi depurado ("debugado") em 1947. Dai o seu uso nos dias atuais.

Um bug (no sentido de defeito em inglês) é um erro no funcionamento comum de um software (ou também de hardware), também chamado de falha na lógica de um programa, e pode causar comportamentos inesperados, como resultado incorreto ou comportamento indesejado. São geralmente causados por erros no próprio código-fonte, mas também podem ser causados por algum framework, interpretador, sistema operacional ou compilador.

Defeitos podem causar tanto problemas inofensivos como falhas de segurança, principalmente em programas que tem alguma forma de conexão à Internet, como é o caso de navegadores (browsers) e clientes de e-mail, pois crackers podem se aproveitar dessas brechas para terem acesso a informações e arquivos contidos no computador infectado, e são mais comuns em programas em desenvolvimento (ex: programas em versão beta), mas, quando descobertos, estes são consertados por sua ou equipe de desenvolvimento.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O uso do termo bug (em português: "inseto") para descrever defeitos inexplicáveis foi parte do jargão da engenharia por várias décadas; pode originalmente ter sido usado na engenharia mecânica para descrever maus funcionamentos mecânicos. Diz-se que o termo foi criado por Thomas Edison quando um inseto causou problemas de leitura em seu fonógrafo em 1878, mas pode ser que o termo seja mais antigo.

A invenção do termo frequentemente é atribuída erroneamente a Grace Hopper, ao publicar em 1945 que a causa do mau funcionamento no computador Mark II, da Universidade de Harvard, seria um inseto preso nos contatos de um relê.

O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer), primeiro computador digital completamente eletrônico, também contribuiu ao uso da palavra. Ele era movido a válvulas e, assim, atraía milhares de insetos. Como dezenas a centenas de válvulas queimavam a cada hora o computador, que ocupava o espaço de uma sala, era aberto frequentemente e montes de insetos mortos eram varridos para fora. Diz-se que esses insetos provocavam Curto Circuitos nas placas do ENIAC levando a falhas nos programas.

Como bugs aparecem[editar | editar código-fonte]

Defeitos podem surgir em qualquer estágio do desenvolvimento de um programa. Muitos defeitos são ocasionados por equívocos da equipe de desenvolvimento, porém comumente são resultado da falha da mente humana em lidar com a complexidade dos sistemas de software, cujos códigos-fonte podem chegar a ter milhares de arquivos, cada um centenas de linhas de código.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Em 2002, um estudo financiado pelo NIST constatou que erros de software custam anualmente 59 bilhões de dólares estadunidenses à economia dos Estados Unidos. O estudo também estimou que mais de um terço desse valor, ou aproximadamente 22,2 bilhões de dólares estadunidenses, poderia ser economizado caso fossem realizados investimentos em uma melhor infraestrutura de testes.[1]

Outro estudo, feito em Janeiro de 2013 pela Universidade de Cambridge, indica que este custo aumentou para 312 bilhões por ano.[2]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]