Carburador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carburador utilizado no Volkswagen fusca de 1970, no Brasil

O carburador é um componente mecânico responsável pela alimentação de um motor de combustão. Ele é responsável pela criação da mistura ar/combustível e sua dosagem em motores de combustão interna, seu funcionamento básico é totalmente mecânico.

Utilizado nos automóveis por quase um século, o carburador passou por mudanças em termos de tecnologia, passando a ser comandado por dispositivos eletrônicos antes de finalmente ser substituído por uma nova tecnologia que cumpre sua função: a injeção eletrônica. O seu uso agora restringe-se a competições, instalado em carros de alto desempenho ou ainda na fabricação de motos, sendo aos poucos substituído pela injeção eletrônica. Como vantagem tem o custo como aliado, sendo a manutenção relativamente mais barata em relação a injeção eletrônica, porém gastando mais combustível, e ha á necessidade de manutenção periodicamente.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

O ar aspirado pelo pistão passa em alta velocidade pelo difusor (um estreitamento de passagem) arrastando uma porção de combustível de um pequeno compartimento reservatório chamado "Cuba". A borboleta (instalada na base do carburador) que é ligada diretamente ao pedal do acelerador dosa de acordo com sua abertura a quantidade de mistura que o motor precisa aspirar, quando acionada, uma bomba injeta uma quantidade de combustível da cuba diretamente pelo difusor para a aceleração rápida. Por esta dosagem, ele determina o número de RPM (rotações por minuto) e a potência que o motor desenvolverá. Em marcha lenta encontrando-se a borboleta fechada, uma agulha de mistura controla a entrada de ar e combustível.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Comparação com a injeção eletrônica[editar | editar código-fonte]

Carburador utilizado no Fiat Tempra, no Brasil

Vantagens[editar | editar código-fonte]

  • Exige menos da parte elétrica já que é um sistema de alimentação mais simples sendo que o combustível é "arrastado" pelo ar para dentro do motor (efeito Venturi).
  • Sua manutenção, salvo alguns casos, é mais simples e barata, possibilitando em casos de pane efetuar o socorro do veículo no local fazendo com que ele retome o curso pelos próprios meios ainda que provisoriamente, porém para se fazer um serviço correto deve-se usar muito mais ferramentas, calibradores, manuais e tabelas.
  • Por ser um dispositivo simples, sua construção é barata comparando-se a sistemas de injeção electrônica de combustível.
  • Pelo fato de serem sistemas simples, os carburadores também são, em geral, mais leves e compactos que sistemas de injeção electrônica de combustível, o que viabiliza seu uso em equipamentos como por exemplo em cortadores de grama, motoserras, pequenos barcos onde o mais importante é menores peso e preço.
  • Por serem simples, leves e de fácil preparação são utilizados em karts. Nos karts de competição podem significar um veículo campeão ou um fracasso nas pistas, tendo sua preparação tão importante quanto o motor.

Desvantagens[editar | editar código-fonte]

  • Como não utiliza nenhum sensor (salvo carburadores mais modernos) não tem capacidade de se adaptar com perfeição a todas as condições de uso a que é submetido. Assim, o carburador nem sempre consegue ter uma eficiência tão boa ou melhor que um sistema moderno de injeção electrónica.
  • Devido ao princípio de funcionamento do carburador ser o de acelerar o ar para que este arraste o combustível para dentro do motor isto cria um gargalo para o motor. Isto somado ao fato do carburador nunca conseguir a melhor relação ar+combustível faz com que a potência desenvolvida nunca seja a máxima para aquele motor comparando-se a sistemas modernos de injeção de combustível.
  • O carburador não utilizando sensores não é auto-adaptativo. Sendo assim não pode usar diversos tipos de combustíveis como as injeções eletrônicas "flex".
  • Com as regulamentações atuais no que concerne a emissões este dispositivo de formação de mistura não atende mais nenhum valor permitido pelos órgãos regulamentadores.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]