Carlos Josaphat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carlos Josaphat Pinto de Oliveira, OP
Presbítero da Igreja Católica
Atividade eclesiástica
Ordem Ordem dos Pregadores
Diocese Arquidiocese de São Paulo
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 8 de dezembro de 1945
Petrópolis, Rio de Janeiro
Dados pessoais
Nascimento Abaeté, Minas Gerais Minas Gerais
4 de novembro de 1921
Morte Goiânia, Goiás Goiás
9 de novembro de 2020 (99 anos)
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Frei Carlos Josaphat Pinto de Oliveira, OP, (Abaeté, 4 de novembro de 1921Goiânia, 9 de novembro de 2020),[1] foi um teólogo dominicano brasileiro, professor emérito da Universidade de Friburgo, Suíça, Dr. Honoris Causa pela PUC Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2014.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos Josaphat nasceu na pequena cidade de Abaeté, no centro do estado de Minas Gerais. Aos 12 anos, deixou a cidade para estudar no Seminário Menor de Diamantina. Posteriormente transferiu-se para Petrópolis, a fim de estudar filosofia e teologia. Foi ordenado em 8 de dezembro de 1945. Entre 1946 e 1950, ensinou no Colégio do Caraça, no Seminário de Mariana e, finalmente, no Nordeste do Brasil, especialmente nas cidades de Fortaleza e Recife, onde conheceu Paulo Freire, de quem viria a ser amigo. [2]

Ingressou na Ordem dos Dominicanos em julho de 1953. No mesmo ano, partiu para a França, onde permaneceu até o primeiro semestre de 1957. Nesse período, teve o primeiro contato com os grandes teólogos que iriam colaborar na renovação da Igreja - tais como o jesuíta Karl Rahner (1904-1984), e os dominicanos Yves Congar e Marie-Dominique Chenu - e na defesa dos Direitos Humanos - como Jacques Maritain, Etienne Gilson e Emmanuel Mounier. Voltando ao Brasil, ainda em 1957, foi encarregado de orientar os estudos e a vida intelectual dos dominicanos no país, tarefa que exerceu até dezembro de 1963.[2]

Tornou-se conhecido nos anos 1960, por seu engajamento político e social. Com apoio da Juventude Universitária Católica (JUC) e da Ação Popular (AP), fundou o semanário Brasil Urgente, que circulou entre março de 1963 e 1° de abril de 1964. O jornal propagava a militância social e foi alvo de ataque dos católicos conservadores até ter suas atividades encerradas durante o golpe militar de 1964, quando a polícia política invadiu a redação e fechou o jornal. "Fascistas preparam golpe contra Jango!", dizia a manchete da última edição (número 55) do Brasil Urgente [3]

"Fora padre comuna", dizia uma pichação anônima na porta principal da Igreja de São Domingos, no bairro das Perdizes, em São Paulo onde o frade celebrava missas muito frequentadas em razão das suas homilias. [3]

Em dezembro de 1963, Frei Josaphat partiu novamente para a França. Continuou, porém, a colaborar com o Brasil Urgente, até o fechamento do jornal. Da França, transferiu-se para a Suíça, por ordem do Vaticano e por pressão do núncio apostólico em Brasília, D. Sebastiano Baggio.[3]Nos 30 anos seguintes, não voltaria ao Brasil .

Em 1965, obteve seu doutorado em Paris, com uma tese sobre a ética da comunicação social. Até 1993,[2] foi professor de ética da comunicação no Instituto de Jornalismo e Comunicação Social da Universidade de Friburgo,[4] da qual é professor emérito. [5]

Em sua vida universitária, seus escritos e conferências a preocupação de Carlos Josaphat se concentra nos problemas sociais, nos desafios éticos da civilização científica e tecnológica e especialmente nas relações entre a ética e o cristianismo diante dos desafios da modernidade e da pós-modernidade.

De volta ao Brasil no segundo semestre de 1994, voltou a lecionar na Escola Dominicana de Teologia, no Instituto Teológico do Estado de São Paulo (ITESP) e em outras universidades do Brasil, além de ter publicado mais de duas dezenas de livros.

Estudioso de Tomás de Aquino, comentou as questões sobre a Justiça da Suma Teológica. Segundo Frei Josaphat, no pensamento de São Tomás, a propriedade privada não é uma concessão à fraqueza humana pois permite ao Homem exercer suas responsabilidades em relação à criação e à sociedade. Mas ela deve resultar de leis justas e de costumes virtuosos por parte da comunidade dos cidadãos, de maneira a escapar a qualquer privatização da moral e a utilizar as riquezas tendo em vista o bem comum.[6]

Outro importante assunto da obra do Frei Josaphat é a vida e obra do também dominicano Bartolomeu de Las Casas[7]

Faleceu, em Goiânia no dia 9 de novembro de 2020, cinco dias após ter completado noventa e nove anos.[8]

Bibliografia parcial[editar | editar código-fonte]

De Frei Carlos Josaphat [9][editar | editar código-fonte]

  • Prolégomènes à une Morale de la Penséed’après la Nature et les Conditions Humaines de la Connaissance. La Sainte Baume: Saint Maximin, 1956.
  • A justiça social na Bíblia e no ensino da Igreja. São Paulo: Apostilas Pro manuscripto, 1961.
  • Evangelho e Revolução Social. São Paulo : Livraria Duas Cidades, 1962.
  • Evangelho da unidade e do amor; texto e doutrina do Evangelho de S. João. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1966.
  • O sermão da montanha: manifesto de santidade cristã e de promoção humana. São Paulo, Duas Cidades, 1967.
  • Estruturas a serviço do Espírito. Reflexões sobre a evolução histórica e a atual reforma das instituições eclesiásticas. Petrópolis: Vozes, 1968. 102p.
  • Information et propagande, responsabilités chrétiennes. Paris, Éditions du Cerf, 1968.
  • Pour une théologie de la Révolution. Em: Société injuste et Révolution. Colloque de Venise. Aux Éditions Du Seuil, Paris, 1969.
  • La crise du choix moral dans la civilisation technique. Fribourg : Éditions universitaires ; Paris : Éditions du Cerf, 1977.
  • Hegel et la Théologie Contemporaine - L'Absolu dans l'Histoire? Em: J. L. Leuba; Carlos Josaphat Pinto de Oliveira (Orgs.). Paris, Delachaux & Niestllé, 1977.
  • Autonomie : dimensions éthiques de la liberté. Fribourg : Éditions universitaires ; Paris : Éditions du Cerf, 1978.
  • Droits de l´homme et discrimination religieuse. Em: Universalité des Droits de l´homme et diversité des cultures. Les Actes du 1er Colloque Interuniversitaire, Fribourg, 1982.
  • L’éthique professionnelle des journalistes. Fribourg: Ed. Universitaires de Fribourg, Suíça, 1983. 2a. ed. 76p.
  • La dimensione mondiale dell'etica : situazione e futuro del mondo umano : atti dell'XI congresso nazionale dei teologi moralisti, Roma, 2-3 aprile 1985. Bologna : EDB, 1986.
  • Éthique de la Communication sociale - vers un ordre humain de l’information et de la communication dans le monde. Fribourg: Éditions universitaires, 1987.
  • Homme et femme dans l´anthopologie de Thomas d´Aquin. E Anthopologie théologique et éthique chrétienne. In: Humain a L´image de Dieu. Labor Fides, Genebra, 1989.
  • Ethique chrétienne et dignité de l'homme. Fribourg : Editions universitaires ; Paris : Editions du Cerf, 1992.
  • Contemplação e Libertação – Tomás de Aquino, Jean de la Croix, Barthélemy de Las Casas. Fribourg : Éditions Universitaires ; Paris : Éditions du Cerf, 1993. Ática, 1995.
  • Conceptions Du salut dans Le catholicisme français contemporain. Em: Le salut Chrétien – Sob a direção de Jean-Louis Leuba. Desclée, Paris: 1995.
  • Moral, Amor & Humor – Igreja, sexo e sistema na roda-viva da discussão. Rio de Janeiro: Record-Nova Era, 1997. 364p.
  • Tomás de Aquino e a Nova Era do Espírito. São Paulo: Loyola, 1998.
  • Fé, Esperança e Caridade – Encontrar Deus no centro da vida e da história. São Paulo: Paulinas, 1998.98p.
  • O vazio da memória e o raiar da luz dentro da noite in: Luiz Carlos Uchoa Junqueira Filho (org.), Silêncios e luzes: Sobre a Experiência psíquica do Vazio e da Forma. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.
  • Santas Doutoras, Espiritualidade e Emancipação da Mulher. São Paulo: Ed. Paulinas, 1999.
  • Eclesiologia da comunhão e da sacramentalidade, da colegialidade, da participação e do compromisso social in: Zildo Rocha (org.), Helder, o Dom – uma vida que marcou os rumos da Igreja no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 124-135.
  • Paulo Freire, ética e teologia da libertação in: Ana Maria Araújo Freire (org.). A pedagogia da libertação em Paulo Freire. São Paulo: Ed. Unesp, 1999, p. 71-79.
  • Direito ao trabalho, exigência primordial da ética social. Convergência. Revista Mensal da CRB Brasil. Rio de Janeiro, maio de 1999 p. 224-238.
  • Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Comunhão divina, solidariedade humana. São Paulo: Loyola, 2000. 199p.
  • Fe, Esperanza y Caridad – a la luz de la Santísima Trinidad. 2000. San Pablo. Bogotá.
  • Las Casas: todos os direitos para todos. Loyola, 2000.
  • Crer no amor universal – visão histórica e ecumênica do “Creio em Deus Pai”. São Paulo: Loyola, 2001. 215p.
  • A questão de Deus hoje in: Antonio S. Bogaz; Márcio A. Couto (Orgs.), Deus, onde estás? A busca de Deus numa sociedade fragmentada. São Paulo: Loyola, 2001;
  • Ética no passado e para o futuro da Vida Religiosa. Convergência. Revista Mensal da CRB Brasil, Rio de Janeiro, outubro de 2001, p. 493-503;
  • Evangelho e Diálogo Inter-religioso. São Paulo: Loyola, 2003. 175p.
  • A teologia em diálogo interdisciplinar no seio da universidade moderna. In: Religião & Cultura. A crítica do Horror. Departamento de Teologia e Ciências da Religião PUC/SP. São Paulo: Paulinas, 2003.
  • Falar de Deus e com Deus hoje, 2004, Ed. Paulus. São Paulo.
  • Las Casas: Educator for Life and Liberation. Em: Towards the Intelligent Use of Liberty. Dominican approaches in Education. Hindmarsh, 2004.
  • Globalização, religião, mídia e mercado. In: Religião & Cultura. Cristianismo na América Latina e Caribe: (Re)visões. Departamento de Teologia e Ciências da Religião PUC/SP. São Paulo: Paulinas, 2004.
  • Suma Teológica de Tomás de Aquino. 9 Volumes. Coord. Geral e Trad. São Paulo: Loyola, 1995-2005.
  • Las Casas, Deus no outro, no social e na luta. São Paulo: Paulus, 2005. 94p.
  • Único modo de atrair todos os povos à verdadeira religião. De Frei Bartolomeu de Las Casas. Obras Completas. Vol. 1. Coord. geral da trad., introd. e notas de frei Carlos Josaphat e tradução de Hélio Eduardo Lucas, Noelia Gigli. São Paulo: Paulus, 2005.
  • (Contribuição) in: Acortar distancias – hijas e hijos de Domingo hacen teologia juntos – Dominican Sisters Internacional ICJPOP. Colección Biblioteca Dominicana, Salamanca. 2005.
  • Ratzinger, Chenu e Congar: teólogos pioneiros no Concílio Vaticano II. In: Religião & Cultura. Bastidores da Primavera. Departamento de Teologia e Ciências da Religião PUC/SP. São Paulo: Paulinas, 2005.
  • Ética e mídia - liberdade, responsabilidade e sistema. Paulinas, 2006.
  • Under the Banner of Bartolomé de Las Casas: Brazilian Dominicans and Social Justice. In: Preaching Justice – Social Ethics in the Twentieth Century. Dominican Publications. Austrália, 2007.
  • Humanismo integral e solidário, visando construir uma Civilização do Amor. In: Doutrina Social e Universidade. O Cristianismo desafiado a construir cidadania. Afonso Maria Ligorio Soares e João Décio Passos (Orgs.). São Paulo: Educ/Paulinas. 2007.
  • Frei Bartolomeu de Las Casas, Espiritualidade contemplativa e militante. São Paulo: Paulinas, 2008.
  • A teologia precisa da Ciência? Transcendência, ciência e sabedoria na cultura de ontem e hoje. In: Teologia e Ciência. Diálogos acadêmicos em busca do saber. Afonso Maria Ligorio Soares e João Décio Passos (Orgs.). São Paulo: Educ/Paulinas. 2008.
  • Teologia Patrística: Diálogo com as culturas e inculturações, ontem e hoje. In: Vida Pastoral. São Paulo: Paulus. 2009.
  • Ética Mundial, esperança da humanidade globalizada. Petrópolis: Vozes, 2010.
  • Liberdade e justiça para os povos da América. Oito tratados impressos em Sevilha em 1552. De Frei Bartolomeu de Las Casas. Obras Completas. Vol. 2. Coord. geral da trad., introd. e notas de frei Carlos Josaphat. São Paulo: Paulus, 2010.
  • Utopia, jeito e Humor. Depoimento em: Bernardino Leers, em Plena Liberdade, a sabedoria da vida entra com a tolerância que abraça, suporta e confirma. Ed. Lutador, Belo Horizonte, 2010.
  • Teologia e direito na aurora do mundo moderno: Francisco de Vitória e Bartolomeu de Las Casas. In: Teologia e Direito. O mandamento do amor e a meta da justiça. Afonso Maria Ligorio Soares e João Décio Passos (Orgs.). São Paulo: Paulinas, 2010.
  • Atualidade: Direitos Humanos: urgência e viabilidade. In: Missões: a missão no plural. São Paulo, Missionários da Consolata, 2010.
  • Comunicação e compromisso social. In: Teologia e Comunicação. Corpo, palavra e interfaces cibernéticas. Afonso Maria Ligorio Soares e João Décio Passos (Orgs.). São Paulo: Paulinas, 2011.
  • Atualidade: Promover os Direitos Humanos. In: Missões: a missão no plural. São Paulo, Missionários da Consolata, 2011.
  • Paradigma teológico de Tomás de Aquino. São Paulo: Paulus/EDT, 2012.
  • Sucesso nos Negócios & Realização Humana - Responsabilidade e rentabilidade em debate. São Paulo: Globus, 2012. (em co-autoria com Jacques Pasquier Dorthe).
  • Santa Catarina de Sena. Contemplação apostólica e emancipação da mulher. In: Il servizio dottrinale di Caterina da Siena. Nerbini. Firenze. 2012.
  • Artigo em: Maritain, a Sabedoria Integral. POZZOLI, Lafayette e LIMA, Jorge da Cunha (Orgs.). Presença de Maritain. Testemunhos. 2ª. ed. Ed. LTr. São Paulo. 2012.
  • Vaticano II, a Igreja aposta no amor universal. Com a colaboração de Lilian Contreira. Ed. Paulinas. São Paulo, 2013.
  • Tomás de Aquino e Paulo Freire, pioneiros da inteligência, mestres geniais da educação nas viradas da história. Ed. Paulus. São Paulo, 2016.
  • O Espírito Santo, no coração e na história do povo de Deus. Loyola, São Paulo. 2017.
  • Las Casas e Zumbi, pioneiros da consciência social e histórica na luta pelos direitos dos Índios e dos Negros. Loyola, São Paulo.

Sobre Frei Carlos Josaphat[editar | editar código-fonte]

  • Utopia Urgente - Livro-homenagem aos 80 anos de frei Carlos Josaphat, contendo fotos, ilustrações e textos. São Paulo: Casa Amarela / EDUC, 2002. 565 p. Org. por Frei Betto, Adélia Bezerra de Meneses e Thomaz Jensen[3].
  • Fogo Amigo - Livro-homenagem aos 95 anos de frei Carlos Josaphat, São Paulo: Ed. Parábola, 2016. Organizado por Lilian Contreira.

Referências

  1. Arquidiocese de São Paulo.Região Episcopal Ipiranga [1]
  2. a b c O dominicano Frei Carlos Josaphat será cidadão honorário de Brasília. Câmara em pauta, 8 de fevereiro de 2013.
  3. a b c d Carlos Josaphat - o frade que incendiou a esquerda. Estadão, 8 de novembro de 2002.
  4. Information et communication : vers une éthique commune. Por Jean Devèze. Communication et organisation, La communication au service de l'information ? Dossier. 8, 1995.
  5. Carlos Josaphat - Frade analisa a crise moral da Igreja e as relações da fé com o mundo moderno. Por Juvenal Savian Filho. Cult, ed 147, junho de 2010
  6. Le vol et le droit de propriété dans l’éthique chrétienne de Thomas d’Aquin. Por Carlos-Josaphat Pinto de Oliveira. COMMUNIO - Revue catholique internationale. XXIII, 3 n° 137 maio-junho de 1998.
  7. Ética, religião e globalização, acesso em 09 de março de 2016.
  8. «Faleceu hoje o teólogo dominicano, Frei Carlos Josaphat» (PDF). Consultado em 10 de novembro de 2020 
  9. Bibliografia de Frei Carlos Josaphat

Ligações externas[editar | editar código-fonte]