Catarina de Alexandria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Santa Catarina (desambiguação).
Santa Catarina de Alexandria
Grande Mártir; Virgem; Santa auxiliar
Nascimento 287 em Alexandria,Egipto
Morte 305 (18 anos) em Alexandria,Egipto
Principal templo Mosteiro Ortodoxo de Santa Catarina, no Monte Sinai ,Egipto
Festa litúrgica 25 de novembro
Atribuições A roda de tortura é o principal atributo. Também espada; uma coroa em seu pés; véu e anel; pomba; flagelo; livro; mulher argumentando com filósofos pagãos.
Padroeira Apologética, artesãos que trabalham com uma roda (ceramistas, fiação, etc), arquivistas, moribundos, educadores, jovens, juristas,advogados, bibliotecários, bibliotecas, Balliol College em Oxford, trituradores, enfermeiros, filósofos, pregadores, acadêmicos, estudantes, escribas, secretários, taquigrafia, estudantes, professores, teólogos, Universidade de Paris, jovens solteiros, Estado de Santa Catarina.
Gloriole.svg Portal dos Santos
Igreja em homenagem à santa, no bairro Itararé, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.
Paróquia Santa Catarina de Alexandria Situada na Zona Sul de São Paulo, no bairro da Vila Santa Catarina - Jabaquara, a paróquia que está ativa desde 1960, é frequentada pelos moradores da região. No início era apenas uma capela. Muitos anos depois foi inaugurada na parte inferior do terreno e mais tarde deu-se início à tão esperada construção da nova paróquia. Os padres que hoje atuam na administração são os Padres Osvaldo José e Simão Bento. A novena da Padroeira é realizada do dia 16 ao dia 24, e é animada a cada dia por uma ou mais pastorais. Celebra-se o dia da Padroeira no dia 25 de novembro.

Catarina de Alexandria, também conhecida como A Grande Mártir Santa Catarina (do grego ἡ Ἁγία Αἰκατερίνη ἡ Μεγαλομάρτυς) é uma santa e mártir cristã que se alega ter sido uma notável intelectual no início do século IV. Passados 1 100 anos, Santa Joana d'Arc disse que Santa Catarina de Alexandria apareceu-lhe várias vezes. A Igreja Ortodoxa a venera como uma "grande mártir", e na Igreja Católica, ela é tradicionalmente reverenciada como um dos Catorze santos auxiliares.

Vida[editar | editar código-fonte]

Catarina nasceu na cidade egípcia de Alexandria e cresceu como uma pagã, mas em sua adolescência converteu-se ao cristianismo. Diz-se que ela visitou seu contemporâneo, o imperador romano Maximino Daia, e tentou convencê-lo do erro moral na perseguição aos cristãos. Ela conseguiu converter a esposa de Maximiano, e também muitos pagãos que o imperador enviou para disputar com ela.

Conversão[editar | editar código-fonte]

Numa visão, Catarina foi transportada para o céu, encontrou-se com o menino Jesus e a Virgem Maria e, em êxtase, casou-se misticamente com Cristo, convertendo-se ao cristianismo. Ela tinha , na época, dezoito anos de idade. Este fato ficou conhecido por todos como o casamento místico de Santa Catarina de Alexandria. Igualmente como Santa Catarina de Sena que também se casou misticamente com Cristo.

Condenação[editar | editar código-fonte]

Foi então à presença do imperador romano Maximino Daia, que perseguia os cristãos, censurando-o por sua crueldade. Apontou a limitação do imperador, por ser pagão, e afirmou que o seu Deus era o único realmente vivo e o seu rei era Jesus Cristo".

O imperador mandou prendê-la no cárcere até que viessem os 50 maiores sábios da província de Alexandria e a humilhassem por causa da sua argumentação aparentemente simples.

Quando chegaram, os sábios riram-se do imperador por tê-los convocado para contra-argumentar com uma simples garota. Porém, o imperador os advertiu que, se conseguissem convencê-la, ele os presentearia com os melhores bens do mundo; mas se não conseguissem, ele os condenaria à morte. Catarina foi tão plenamente sábia nas suas colocações e argumentos que mesmo perante esta ameaça os sábios não conseguiram convertê-la aos ídolos. Pelo contrário, vencidos pela eloquência de Catarina, converteram-se ao cristianismo. Frustrado, o imperador mandou prender e torturar Catarina na masmorra. Visitada na prisão pela esposa do imperador e pelo chefe de sua guarda, Catarina os converteu, fazendo o mesmo com inúmeros soldados. Mais enfurecido ainda, o imperador mandou assassinar os sábios e sua esposa, lançou os guardas aos leões no Coliseu e condenou a Catarina à morte lenta na roda (instrumento de tortura que mutilava e causava grande sofrimento). Mas quando foram amarrar Catarina na roda, ela fez o sinal da cruz e a roda quebrou. Ao determinar sua execução, apareceu-lhe o arcanjo São Miguel para confortá-la e Catarina rezou suplicando que, em nome do seu martírio, Deus ouvisse as orações de todos aqueles que a ele recorressem e que tudo obtivessem por sua intercessão. Por fim, Catarina de Alexandria morreu decapitada mas ao invés de sangue saiu leite; provando que ela realmente era uma jovem tocada por Deus, por isso, as mães que tem problemas em amamentar recorrem também à sua intercessão.

O corpo de Catarina desapareceu milagrosamente, sendo transportado por anjos para o topo de Jebel Katerina, o pico mais alto da península do Sinai. Três séculos mais tarde, o seu corpo, incorrupto, foi encontrado por monges e levado para o Mosteiro da Transfiguração, onde algumas das suas relíquias e o seu nome ficaram até hoje sendo alvo de grandes peregrinações.

Foi ouvindo a voz de Santa Catarina de Alexandria que Santa Joana d'Arc encontrou a espada que usaria em sua missão e que mudaria a história da França. Junto com a mártir Santa Margarida de Antioquia e do arcanjo São Miguel, ela era uma das vozes do céu que falavam com ela e a instruíram na sua missão de salvar a França.

Santa Catarina de Alexandria é considerada padroeira dos estudantes, filósofos e professores e também invocada pelos que trabalham com rodas e contra acidentes de trabalho. No Brasil, é a padroeira principal do Estado e da Ilha de Santa Catarina, que inclusive são uma homenagem a ela, e co-padroeira da Catedral metropolitana de Florianópolis. Muitas igrejas são dedicadas à sua memória por muitos estados brasileiros, como em Santa Catarina, Bahia, Rio Grande do Sul, Amazonas (Manaus), São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, etc.

Ela é patrona da Congregação das Irmãs de Santa Catarina de Alexandria V.M juntamente com a Beata Madre Regina Protmann que era sua devota.

Esclarecimento[editar | editar código-fonte]

A história da mártir Santa Catarina de Alexandria é muito parecida com a da filósofa egípcia Hipátia de Alexandria, cuja biografia apresenta exatamente os mesmos elementos e traços à biografia de Catarina, causando uma assemelhação muito comum. Mas deixando óbvia a distinção entre as duas. Catarina e Hipátia são mulheres diferentes!

Em 1969, a Igreja Católica eliminou do Calendário Litúrgico Universal a celebração do dia 25 de novembro, em memória de seu martírio, em função da falta de documentos históricos de sua época, porque pouco se sabe sobre esta mártir de Alexandria. Essa retirada foi mal interpretada, pois Santa Catarina de Alexandria continua a ser legitimamente venerada nos calendários particulares das dioceses e paróquias. As razões da atual revisão histórica são: a) a descoberta de afrescos dos séculos IX e VIII, em Roma e em Nápoles, com a identificação de seu nome Ekaterina; b) perante essa descoberta, hoje não é mais possível afirmar sua inexistência com a falsa idéia de que seu culto começou apenas na época dos cruzados e que era justamente um dos argumentos para a tese de que ela não existiu, pois já é comprovada sua existência; c) devemos salientar o princípio de que não é o documento que está na origem do culto e que não parece científico negar sua historicidade a partir do argumento de escassez documental; d) devemos também frisar a distinção hermenêutica entre o núcleo histórico e lendário nas narrativas. Ficando claro e verdadeiro que Santa Catarina de Alexandria realmente existiu nos primórdios do cristianismo e foi uma grande mulher influente para os cristãos e para a igreja de Alexandria em seu tempo, deu sua vida em martírio lutando pelas verdades bíblicas, pela liberdade dos ideais cristãos sem perseguições e pela fé em Jesus Cristo seu senhor como muitas outras virgens mártires.

Ela é uma das santas mais populares da Igreja Católica Apostólica Romana e da Igreja Ortodoxa.

Muito conhecida por ser protetora dos estudantes e sábios, seu nome é comum em batismos, muitos pedem sua intercessão e são atendidos por esta virgem e mártir.

As relíquias de Santa Catarina de Alexandria se encontram em um monastério (mosteiro) que leva seu nome, no Monte Sinai - EGITO.

O mosteiro de Santa Catarina de Alexandria localizado no Monte Gebel Musa Ekaterina, (Monte de Santa Catarina) tem 2.300 metros de altitude. 

O significado mais provável do nome deste monte é de origem grega, que significa "sempre pura", assim fazendo alusão à Santa Catarina de Alexandria, já que seu nome tem origem no nome grego Aikaterhíne, que deriva da palavra katharós, que significa "pura, casta".

Recentemente o papa São João Paulo II recolocou sua memória no Missal Romano, mas como memória facultativa, mostrando claramente a fé da Igreja Católica em sua existência e intercessão.

CURIOSIDADES SOBRE ESTA SANTA CRISTÃ:

Festa – Santa Catarina de Alexandria é celebrada no dia 25 de novembro. Ela viveu na cidade de Alexandria, no Egito, no início do século IV (300). Era de origem aristocrática, caracterizava-se por grande beleza física, dotada de profunda sabedoria. Quando conheceu a mensagem cristã, converteu-se. Defendia o pensamento cristão com brilhantismo. Era o tempo das perseguições aos cristãos no império romano. Enfrentou o imperador Maximino para defender cristãos que eram condenados. Também ela foi convocada a renunciar a fé cristã e cultuar os deuses romanos, gregos e egípcios. Como negou-se a renegar a sua fé foi condenada à morte na roda.

Santa Catarina de Alexandria e a roda – Santa Catarina de Alexandria é também conhecida como a santa da roda. Porque a roda foi o instrumento usado para executar a sentença de morte. Foi amarrada em uma roda dentada com outra roda girando em sentido contrário. Assim seu corpo seria estraçalhado. Mas o engenho macabro quebrou. O imperador possuído de intensa cólera mandou que fosse decapitada, usando como instrumento a espada que também é um dos seus símbolos representativos.

Cidade de Alexandria – Alexandria localizava-se na foz do rio Nilo, no Egito. Era uma cidade muito importante no mundo antigo. Famosa por suas riquezas artísticas, arquitetônicas e culturais. Foi considerada a segunda maior cidade do mundo antigo. Era uma cidade que cultivava o conhecimento. Ali havia a fusão da gnosis grega, a filosofia árabe, o ensinamento bíblico dos judeus e o mundo cristão. Em Alexandria, Cleópatra construiu suntuosos palácios que encantavam os visitantes. Duas obras foram muito famosas em Alexandria: a biblioteca com mais de 500 mil volumes e o Farol de Alexandria que era uma das sete maravilhas do mundo antigo. Em 1375 foi destruída por um terremoto. E a biblioteca foi incendiada pelo sultão Omar, quando foi tomada pelos muçulmanos.

Padroeira dos pensadores – Santa Catarina de Alexandria é padroeira dos filósofos e estudantes. A origem desta fama se deve a um fato atribuído à santa. O imperador Maximino queria demovê-la da sua fé e para tal queria convencê-la com argumentos intelectuais. Por isso chamou 50 dos maiores pensadores de Alexandria para disputar com ela. Não só não conseguiram, mas ela convenceu a todos eles, que se tornaram cristãos. Ela também é invocada pelos bibliotecários, pelos estudantes, pelas rendeiras, pelos moleiros, pelos professores, pelos timoneiros e por todos que trabalham com roda.

A roda – Santa Catarina de Alexandria é representada com uma roda dentada. Foi o instrumento do seu martírio. Por isso é invocada por todos que trabalham com roda. Na cidade de Tangará, no vale do rio do Peixe, no estado de Santa Catarina , as indústrias de celulose e embalagem, atividades que utilizam rodas, não trabalham no dia 25 de novembro, dia da Santa Catarina de Alexandria. É um dia de distribuir presentes e venerar sua santa padroeira. O mesmo acontece na cidade vizinha de Pinheiro Preto.

Representação da imagem – A imagem de Santa Catarina de Alexandria é representada por seis símbolosa roda, a coroa, a palma, a espada, o livro (Bíblia) e a cruz. Ora em imagens representativas de sua pessoa estão todos os símbolos, ora só alguns. A roda é o elemento mais representativo que aparece. Foi o instrumento de seu martírio. A roda quebrada é atribuída a um milagre de Santa Catarina de Alexandria, o toque de Deus presente na sua vida. Outras vezes, a santa é representada com a espada, que foi o instrumento definitivo da execução.

A palma significa sempre o martírio, a sua vitória.

A coroa significa sua realeza, sua sabedoria.

O livro significa a Bíblia, a palavra de Deus, seu compromisso com sua fé cristã, anunciar a verdade.

A cruz significa que seu alvo sempre foi Jesus, que sua crença é cristã, que acredita no poder da cruz.

Relíquias de Santa Catarina de Alexandria no estado de Santa Catarina – Existem duas relíquias de Santa Catarina de Alexandria no seu estado brasileiro. Uma delas está na Igreja São Nicolau, no centro de Florianópolis. Ela pertence a Igreja ortodoxa gregaA outra relíquia se encontra na capela do Tribunal de Justiça, também em Florianópolis. Esta relíquia é fruto de uma solicitação de Espiridião Amim, então governador do Estado, em 2000. Ela veio do mosteiro onde se encontram os restos mortais, no Egito. A capela foi construída especialmente para acolher a relíquia da padroeira do Estado de Santa Catarina - SC.

Mosteiro de Santa Catarina de Alexandria no Egito – Os restos mortais do corpo de Santa Catarina de Alexandria estão no Mosteiro Santa Catarina de Alexandria, aos pés do Monte Sinai, no Egito. A primeira capela teria sido construída por Santa Helena, parenta de Constantino, mas a construção do mosteiro é atribuída ao imperador Justiniano. Ele está situado no lugar onde Moisés teve o encontro com Deus na Sarça Ardente. No mosteiro habitam monges da Igreja Ortodoxa que protegem e administram, não só o túmulo onde está o corpo de Santa Catarina de Alexandria, mas também uma biblioteca que contém documentos de extrema raridade e importância para a história da humanidade.

O mosteiro de Santa Catarina de Alexandria no Egito é considerado patrimônio mundial da UNESCO.

Biblioteca do mosteiro Santa Catarina de Alexandria no Egito – Uma das áreas mais preservadas do Mosteiro Santa Catarina no Egito é a biblioteca. Ela contém 4.570 manuscritos com iluminuras; 7.000 livros impressos na idade média; 6.000 livros novos. A biblioteca é aberta somente em ocasiões excepcionais para estudiosos credenciados. Conserva manuscritos em 13 línguas. São 730 folhas de pergaminho. Corresponde a pele de 360 cabras. O manuscrito mais famoso é o Codex Sinaítico. É do século IV, é a mais antiga edição bíblica.

Mosteiro Santa Catarina de Alexandria e o profeta Maomé – Uma das curiosidades do mosteiro de Santa Catarina de Alexandria no Egito é que nunca foi atacado. Por 15 séculos foi protegido. O próprio profeta Maomé visitou o mosteiro. E recomendou que os muçulmanos não atacassem o mosteiro. Depois a região caiu nas mãos dos turcos, que também mantiveram a proteção ao mosteiro. Mais tarde, a península do Sinai foi conquistada por Napoleão. Também garantiu a proteção ao mosteiro. Desde sempre o mosteiro esteve protegido por sua padroeira.

Mosteiro de Santa Catarina de Alexandria, símbolo da paz – Na região do mosteiro convivem as três grandes religiões. Há uma mesquita dos muçulmanos, uma sinagoga dos judeus e a igreja da transfiguração dos cristãos. Também é uma região em que foram localizados episódios bíblicos. O mosteiro está localizado no local onde o profeta Moisés se encontrou com a sarça ardente. A mesquita está no lugar do bezerro de ouro. Também foi neste local que Moisés encontrou a sua esposa Séfora. Todas as religiões que ali se encontram convivem em paz. 

Igrejas dedicadas a Santa Catarina de Alexandria – Nas principais igrejas da Europa podem ser encontrados sempre um altar com uma pintura de Santa Catarina de Alexandria. Uma das mais famosas está na Catedral de Estrasburgo. Bem conhecido é o altar de Santa Catarina de Alexandria, virgem e mártir, na Igreja de São Pedro Claver, em Cartagena na Colômbia.

Os portugueses construíram em Goa, perto de Índia, na Ásia, uma igreja dedicada a Santa Catarina de Alexandria.

Em 1963, portugueses, expulsos de Goa construíram uma igrejinha dedicada a Santa Catarina de Alexandria, Nova Goa, no interior de Goiás. Estes eram muito devotos desta grande santa mártir cristã.

Entre as mais famosas do Brasil está a igreja de Santa Catarina de Alexandria que é a Catedral de Florianópolis, cujo estado ela é a padroeira.

Inúmeras igrejas espalhadas pelo Brasil e pelo mundo são dedicadas a sua memória.

O nome de Santa Catarina de Alexandria tornou-se muito conhecido pelo mundo todo também por causa da Beata Madre Regina Protmann que era sua grande devota e admiradora.

Ela (Regina) colocou sua congregação religiosa de freiras católicas sob a proteção de Santa Catarina de Alexandria tornando-se conhecidas como às Irmãs de Santa Catarina de Alexandria, Virgem e Mártir - ACSC.

Hoje podemos afirmar que é impossível não falar de Santa Catarina de Alexandria sem também relembrar da Beata Madre Regina Protmann.

SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA ROGAI POR NÓS!

  Ver também

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Igreja de Santa Catarina de Alexandria em Manaus/AM. Esta pequena capela se encontra em etapa de reforma para bem melhor acolher seus fiéis, esta começou graças à missão das Irmãs de Santa Catarina de Alexandria - ACSC na Área Missionária da Ponta Negra que pertence a Arquidiocese de Manaus. No período de festividades em honra à padroeira que ocorre todo o mês de Novembro com novenário, tríduo, procissão e missas, várias pessoas procuram este templo a fim de pagar promessas e fazer pedidos a padroeira, já que esta é a única igreja pertencente a esta santa na Arquidiocese de Manaus.
    Egypt Travel - Sinai, St Catherine's Monastery
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina de Alexandria