Ciência aberta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A expressão ciência aberta (open science) faz referência a um modelo de prática científica que, em consonância com o desenvolvimento da cultura digital, visa a disponibilização das informações em rede de forma oposta à pesquisa fechada dos laboratórios. Tem como característica a participação de uma ampla base de contribuidores potenciais e insumos, como dados ou algoritmos de resolução de problemas[1]. Atualmente a expressão também se refere a geração de materiais de pesquisa que são compartilhados abertamente, sem a necessidade de patentes. Por exemplo, no Brasil foi iniciado o convênio de ciência aberta Consórcio do Genoma Estrutural (www.thesgc.org), o qual tem o objetivo de gerar pequenas moléculas inibidores de proteínas quinasses e estas moléculas estarão disponíveis para qualquer grupo de pesquisa do Brasil e do mundo. [2] Nesse contexto, novas iniciativas de publicação e revisão por pares, como o Peerage of Science, o arXiv e a PLoS confirmam essa tendência que agora desponta também nas redes sociais.[3]

Referências

  1. Ramírez-Montoya, María Soledad; García-Peñalvo, Franciso-José (2018). «Co-creation and open innovation: Systematic literature review». Comunicar (em espanhol). 26 (54): 09–18. ISSN 1134-3478. doi:10.3916/c54-2018-01 
  2. Terra: Pesquisadores compartilham estudos em defesa da 'ciência aberta'
  3. «Ciência Hoje: Ciência aberta». Consultado em 6 de maio de 2013. Arquivado do original em 13 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Ciência (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.