Global Media Group

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Controlinveste Media)
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Grupo Globo.
Global Media Group
Razão social Global Media Group SGPS, SA
Holding de vários empresas de média
Atividade Meios de comunicação
Fundação 1990 (como Lusomundo Média)

2005 (como Controlinveste Media) 2014 (como Global Media Group)

Fundador(es) Joaquim Oliveira
Sede Lisboa, Portugal Portugal
Proprietário(s) KNJ Global Holdings Limited - 35,25%

Páginas Civilizadas, Lda. - 29,75% José Pedro Carvalho Reis Soeiro - 24,5% Grandes Notícias, Lda. - 10,5%

Pessoas-chave Marco Galinha (Presidente)

José Pedro Soeiro Afonso Camões Domingos de Andrade Guilherme Pinheiro Kevin Ho Phillip Yip

Produtos Jornais, Revistas, Rádio, Televisão
Website oficial www.globalmediagroup.pt

Global Media Group é uma holding e um dos maiores grupos de media em Portugal, com presença nos sectores da imprensa,[1] rádio,[2] multimedia[3] e internet.

História[editar | editar código-fonte]

Origem Olivedesportos & Lusomundo[editar | editar código-fonte]

A Global Media Group tem a sua origem na Olivedesportos, empresa fundada em 1984 por Joaquim Oliveira e nas privatizações do Diário de Notícias (DN) e do Jornal de Notícias (JN). No início dos anos 1990, o empresário Luís Silva transformou-se para a área dos media como vencedor das privatizações do DN e do JN. A TSF Rádio Notícias, fundada por um grupo de jornalistas, é o último órgão de comunicação social a juntar-se ao grupo Lusomundo, que adquire a maioria da TSF em 1994.

Em plena euforia dos negócios de integração das TMT (tecnologia, media e telecomunicações), no início dos anos 2000, a Portugal Telecom (PT) acorda com Luís Silva a compra da Lusomundo. Além dos órgãos de comunicação social, entre os quais diversas revistas, o grupo era ainda dono dos cinemas Lusomundo. Na altura, o negócio avaliou o grupo de media e distribuição de cinema em mais de €500 milhões. Em 2005, a PT decidiu sair do negócio dos media e vendeu a Lusomundo Serviços, que incluía apenas o negócio dos media, à Controlinveste, de Joaquim Oliveira. O empresário que já tinha O Jogo avaliou o grupo em mais de 300 milhões, financiados pelo Banco Comercial Português. O Banco Espírito Santo é o outro banco do grupo.

A Global Media Group chegou a ter participação na área dos direitos de transmissão televisiva das principais competições do futebol profissional em Portugal (i.e. Seleção Portuguesa de Futebol, Primeira Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga, Liga dos Campeões da UEFA, Taça UEFA, entre outras), bem como direitos de patrocínio e publicidade desportiva. Em 1994, a Controlinveste adquire o seu primeiro título de imprensa, o jornal desportivo O Jogo. Em 1998, lança a Sport TV, em parceria com a RTP e a PT Multimédia, um televisão por assinatura.

A antiga Controlinveste criou em 2001, em parceria com Portugal Telecom, a empresa Sportinveste Multimedia, responsável pela gestão das operações digitais e multimédia em dois dos três principais clubes de futebol em Portugal (Futebol Clube do Porto e Sporting Clube de Portugal), bem como de outros sites dedicados à distribuição de conteúdos informativos e multimédia na área do desporto. Dado ao grande sucesso deste canal de televisão exclusivamente dedicado ao desporto, todos eles em alta definição: Sport TV2, Sport TV3, Sport TV Live, Sport TV África, Sport TV Golfe e Sport TV Américas.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Após a aquisição da Lusomundo em 2005,[4] o grupo Controlinveste reuniu ofertas na área dos media em Portugal, que inclui a Sport TV e a rádio de informação TSF, às quais se juntam títulos de imprensa como o Jornal de Notícias, Diário de Notícias, 24 Horas, O Jogo, Global Notícias; outros títulos como o jornal Ocasião; na imprensa regional, o Açoriano Oriental (o mais antigo jornal de Portugal), o Jornal do Fundão, o Diário de Notícias da Madeira; as revistas Evasões, Volta ao Mundo e ainda uma participação acionista na agência Lusa.

Por forma a apoiar o negócio das publicações impressas, a Global Media Group deteve uma presença no sector da impressão através de duas empresas gráficas (Funchalense, em Lisboa e NavePrinter, no Porto) bem como no sector distribuição, através de duas empresas, a Vasp na distribuição em pontos de venda e a Notícias Direct, focada na distribuição porta-a-porta de jornais e revistas.

Adicionalmente, a Global Media Group teve ainda várias participações financeiras em sociedades desportivas e empresas de telecomunicações. Controla uma operação no sector do turismo, a agência de viagens Cosmos, que dispõe de um portal de comércio eletrónico.

Reestruturação[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2012, Joaquim Oliveira formalizou a venda do grupo a um grupo de investidores angolanos.[5][6]

Em novembro de 2013, o grupo Controlinveste formalizou a venda parcial da sua participação acionista na Controlinveste Media, ao vender 72,5% do capital aos investidores Banco Comercial Português, Banco Espírito Santo, António Mosquito Mbakassie e Luís Montez. Joaquim Oliveira, ficou com 27,5% do capital da Controlinveste Media. O capital da empresa detentora, entre outros, do Diário de Notícias, Jornal de Notícias, TSF e O Jogo, ficaram repartidos, 27,5% pelo grupo Joaquim Oliveira, 27,5% por António Mosquito, 15% por Luis Montez, 15% pelo BCP e 15% pelo BES.[7] O negócio foi assessorado financeiramente pelo Banco Privado Atlântico.[8] As dificuldades financeiras do grupo, sobretudo devido ao elevado passivo, obrigaram Joaquim Oliveira a ceder o controlo do grupo. António Mosquito e Luís Montez foram os novos acionistas. A nova estrutura acionista foi concebida para a reestruturação da Controlinveste Media e o aumento do seu capital social.[9] Esta operação não incluiu a Sport TV.

Em 17 de dezembro 2014 mudou-se o nome de Controlinveste para Global Media Group.[10]

Grupo BEL[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2020, o Global Media Group chegou a acordo com o grupo Bel, do empresário Marco Galinha, para a sua entrada como acionista da empresa.[11] O grupo Bel foi fundado em 2001 por Marco Galinha e tem atividades em vários setores, entre os quais máquinas de vending (máquinas de venda automática) e aeronáutica, e entrou nos media em 2018, através do Jornal Económico. O empresário, natural de Rio Maior, é presidente executivo e presidente do conselho de administração do grupo Bel, que fundou em 2001.

Marco Galinha foi conselheiro no CES - Conselho Económico Social (2016-2019), vogal na CIP - Confederação Empresarial de Portugal (2016-2019) e vice-Presidente da ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários (2016-2019). Torna-se Presidente do Global Media Group em fevereiro de 2021.[12]


Os detentores de 5% ou mais do capital da empresa são os seguintes:

KNJ Global Holdings Limited - 35,25%

Páginas Civilizadas, Lda. – 29,75%

José Pedro Carvalho Reis Soeiro - 24,5%

Grandes Notícias, Lda. - 10,5%

Publicações[editar | editar código-fonte]

O Global Media Group é proprietária das seguintes publicações:


Referências

  1. https://www.globalmediagroup.pt/marcas/media/jornais/
  2. https://www.globalmediagroup.pt/marcas/media/radio/tsf/
  3. https://www.globalmediagroup.pt/marcas/outras/multimedia/
  4. «PT vende Lusomundo Serviços à Olivedesportos». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 16 de abril de 2021 
  5. «Mosquito entra nos media da Controlinveste e na Soares da Costa Construção». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 16 de abril de 2021 
  6. Villalobos, Luís. «António Mosquito oficializa compra de 27,5% da Controlinveste». PÚBLICO. Consultado em 16 de abril de 2021 
  7. «Controlinveste com nova estrutura acionista». Dinheiro Vivo. 27 de novembro de 2013. Consultado em 16 de abril de 2021 
  8. Ferreira, Cristina. «Mosquito, Montez, BCP e BES são os novos accionistas da Controlinveste». PÚBLICO. Consultado em 16 de abril de 2021 
  9. Diogo Cavaleiro e Nuno Carregueiro (26 de novembro de 2013). «António Mosquito entra na Controlinveste Media e compra 67% da Soares da Costa Construção». Jornal de Negócios. Consultado em 4 de dezembro de 2013 
  10. «Dona dos jornais DN e JN muda de nome para Global Media Group». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 16 de abril de 2021 
  11. «Global Media chega a acordo com grupo de Marco Galinha». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 16 de abril de 2021 
  12. «Marco Galinha eleito presidente da Global Media Group». www.dn.pt. Consultado em 16 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]