Doidivanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doidivanas
Doidivanas decima quadrado.jpg
Doidivanas - Viagem ao Sul da Terra, 2002
Informação geral
Origem Pelotas, Rio Grande do Sul
País Brasil Flag of Brazil.svg
Gênero(s) rock
Período em atividade 1995 — atualmente
Integrantes Felipe Mello
Osório
Con6ção
dMart
Cuca

Doidivanas é uma banda de rock brasileira, criada em 1995, na cidade de Pelotas.

A Doidivanas faz uma fusão entre elementos da música e da cultura regional gaúcha, do rock e estilos contemporâneos. O estilo de som que a banda desenvolve já foi chamado de "rock bagual", "funk gaudério", "pop nativista" e world music, entre outros.

Doidivanas [doido + vão]. Indivíduo leviano, imprudente, estouvado, excêntrico. Folgazão, estrambótico, doidelo.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Felipe Mello (vocal e violão)
  • Rodrigo Osório (baixo)
  • Daniel Con6ção (guitarra)
  • Rodrigo dMart (bateria)
  • Daniel "Cuca" Moreira (multimídia)

Histórico da banda[editar | editar código-fonte]

Era uma vez...[editar | editar código-fonte]

A banda surge em março de 1995, em Pelotas, no Rio Grande do Sul. É formada por um grupo de amigos que curte a fusão do rock com outras tendências musicais.

A Doidivanas começa a tocar e compor influenciados por bandas e artistas como Red Hot Chili Peppers, Living Colour, Pearl Jam, Faith No More, Chico Science e Nação Zumbi, Almôndegas, Vítor Ramil, Mano Lima, Engenheiros do Hawaii, Nei Lisboa, Tangos & Tragédias, Cenair Maicá, Kleiton & Kledir, dentre outros artistas da cena musical sulista.

O grupo se apresenta em bares, festas, boates e espaços alternativos. Em 1995, a Doidivanas é finalista do Circuito de Rock, promovido pela emissora RBS TV, em Capão da Canoa (RS), e participa da coletânea do Musivale, festival da cidade de Lajeado (RS).

A Balada Bovina[editar | editar código-fonte]

Ainda em 1996, participa do festival Moenda da Canção, na cidade de Santo Antônio da Patrulha (RS), com Balada Bovina, uma mistura de rock, funk e vanerão. A ótima receptividade da mídia, artistas e público impulsiona o trabalho de composição.

A partir daí, o grupo intensifica a pesquisa e a mescla do rock com elementos da musicalidade regional gaúcha e brasileira. A Doidivanas lança, em 1998, o CD de estreia, Liber Pampa, semeando ideias sonoras que extrapolem as fronteiras geográficas e culturais do Rio Grande do Sul.

Da boate até o galpão[editar | editar código-fonte]

Com o álbum Liber Pampa, a banda Doidivanas realiza mais de quarenta espetáculos no estado e no Uruguai. Toca em festivais, feiras, mostras coletivas e outros eventos, tais como a Festa da Uva, em Caxias do Sul, Payada - Festival de Arte Crioula do Cone Sul, em Arroio Grande, RS Música, em Porto Alegre, Ato-Show Lagoa Limpa, Acorde! - Festival de Cultura e Arte, Fenadoce, Cabobu, em Pelotas, Verão com Vida, no litoral norte, Musicanto, em Santa Rosa, Moenda, em Santo Antônio da Patrulha, Circuito Estadual de Música, na serra gaúcha, Festival de Folclore de Minas y Abril, no Uruguai, entre outros.

Em 1999, a banda é indicada na categoria revelação no Prêmio Açorianos de Música, evento promovido pela prefeitura de Porto Alegre (RS) que destaca o melhor da produção musical do estado.

Música e HQ[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 1999, lançam o projeto o EP e HQ Doidivanas e Libório uma parceria da banda com o cartunista André "Alma" Macedo. É um kit com CD e uma revista em quadrinhos, na qual os músicos viram personagens de HQ. André Macedo é o criador do universo dos personagens Libório e Betinho, muito populares em Pelotas e na região sul do RS. O projeto foi financiado através de patrocínio direto de empresas locais e vendido regionalmente em bancas de revistas, com a tiragem esgotada em menos de três meses.

Outra Viagem[editar | editar código-fonte]

Entre 1999 a 2000, a Doidivanas produz diversas demos e traça novos rumos para a sonoridade da banda. A principal mudança é o uso de samplers e programações rítmicas, utilizando o computador como parceiro de arranjos. Neste período, muito fértil para a experimentação e a criação, a banda compõe mais de 40 músicas.

No final de 2000, o baixista da banda, Rodrigo Osório, monta um estúdio de gravação, o Doctor Áudio, onde a banda grava e produz seu novo trabalho. Em janeiro de 2002, a banda lança seu segundo álbum, o Viagem ao Sul da Terra, através de seu próprio selo, Bugioganga Records.

No mesmo ano, a banda toca na etapa final do festival Rock’n’Halls, em São Paulo. O trabalho foi um dos quatro selecionados, dentre mais de 2400 artistas inscritos em todo o país. A Doidivanas participa do Novo Som do Brasil, quadro do Jornal Hoje, veiculado na rede Globo para todo o Brasil. O álbum Viagem ao Sul da Terra rende o primeiro videoclipe à banda: Bah!.

Em 2003, a canção Balada Bovina integra a coletânea Conexão RS, lançada pela rádio Pop Rock FM, na região metropolitana de Porto Alegre. Participam da coletânea também as bandas Vera Loca, Gallaxy Trio, entre outros.

Uns Rock e outras articulações[editar | editar código-fonte]

Os integrantes da banda organizam e participam do festival Uns Rock, um movimento de música independente gerado a partir da lista de discussão oficial da banda na internet, criada, em maio de 2002, pelo publicitário Daniel “Cuca” Moreira. O primeiro evento, realizado em Pelotas, recebe oito bandas que representam diversos estilos e tendências da cena do rock gaúcho: Tom Bloch, Irmãos Rocha!, Freak Brotherz, Auto Retrato, entre outras. O Uns Rock também abriu espaço para banca de produtos independentes: camisetas, CDs e fanzines. O festival foi transmitido ao vivo via streaming pela internet, uma estratégia inovadora para a época.

No final de 2004, a banda faz parte da coletânea Arte Daqui, produzida pela RádioCom FM, a principal rádio comunitária de Pelotas (RS). O projeto apresenta vinte artistas e traça um panorama da produção roqueira da região. Participam Psyco Say Caniggia, Freak Brotherz, Nação Suburbana, Edu daMatta, Auto Retrato, entre outros.

Em outubro de 2005, a Doidivanas é convidada para participar da campanha publicitáriaSem Fronteiras, da empresa de telefonia celular TIM, promoção veiculada em todo o estado do Rio Grande do Sul. Ao lado de Tambo do Bando (Santa Maria), Pirisca Grecco (Uruguaiana) e Kriz (Caxias do Sul), a Doidivanas interpreta "Conto de Fraldas", de Tom Zé. O filme de 30 segundos mescla cenas dos artistas cantando a música-tema com imagens de municípios gaúchos onde a operadora está presente. Além da televisão, a campanha é veiculada massivamente em rádios, jornais, cinema, outdoors, internet e pontos de venda da TIM.

Nosotros[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a banda entra novamente em estúdio para gravar e produzir seu novo projeto, o Nosotros, um trabalho de releituras de artistas gaúchos e latino-americanos, idealizado a partir de versões que a banda executava em seus shows. Figuram no álbum artistas e bandas que são influências e referências da Doidivanas, tais como Almôndegas, Nelson Coelho de Castro, Bebeto Alves, Mário Barbará, Mano Lima, Cenair Maicá, Sui Generis (banda seminal do argentino Charly Garcia), Atahualpa Yupanqui, Daniel Viglietti, TNT, Fughetti Luz, entre outros artistas. Todas as canções são revisitadas por uma roupagem rock’n roll e uma linguagem que flerta com a música do mundo e valoriza as culturas regionais.

O repertório do álbum foi pesquisado juntamente com o compositor Edu daMatta. Participam das gravações: o DJ Anderson (integrante da banda Ultramen), o violoncelista Leonardo Oxley Rodrigues (arranjo de cordas), o gaiteiro Mano Jr, Bira do Cavaco (grupo Para Todas As Raças), além dos colaboradores usuais da banda, como Negrinho Martins, Éber Barbosa, Jucá de Leon e o próprio daMatta. O álbum Nosotros foi lançado em março de 2008.

Uma década de rock e gauderiadas[editar | editar código-fonte]

Em 2005, a banda completou dez anos de carreira. Para comemorar, a Doidivanas disponibilizou gratuitamente todos os álbuns na internet (para download em MP3) e remixou o primeiro álbum, Liber Pampa, de 1998.

Sete anos depois do lançamento, o CD Liber Pampa é "remexido", ou seja, remixado e remasterizado a partir da redigitalização das gravações originais (em fitas ADAT). É um verdadeiro trabalho de reengenharia musical realizado pelo baixista Rodrigo Osório.

20 anos da banda Doidivanas[editar | editar código-fonte]

Em 2015, a Doidivanas comemora seus 20 anos. A banda se reúne novamente, com força total, para gravar um álbum com músicas inéditas. O grupo também disponibiliza para venda online os álbuns Liber Pampa — em uma versão de 2015, com 12 das 14 faixas remixadas, melhorando sua sonoridade, além de incluir arranjos e instrumentos que haviam sido eliminados da versão original de 1998 —, Viagem ao Sul da Terra (2002) e Nosotros (2008). Os discos estão disponíveis em mais de 30 lojas e sites de streaming, como iTunes, Deezer, Spotify, Amazon, Apple Music, Rhapsody e Google Play.

Ao mesmo tempo, um dos integrantes originais da banda retorna: Daniel "Cuca" Moreira, compositor e baixista da Água de Melissa é o quinto elemento.

Influências[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Liber Pampa (1998), álbum de estreia.
  • Sou de Pelotas, Por Quê?! (1999), projeto EP/Gibi. Lançamento do selo Bugioganga Records em parceria com a Editora Fanzona (do cartunista André Macedo, criador do personagem Libório)
  • Viagem ao Sul da Terra (2002)
  • Nosotros (2008)
  • Liber Pampa Remexido (2015)

Coletâneas e festivais[editar | editar código-fonte]

  • Festival Musivale (1995), em Lajeado (RS), com Páginas Não Lidas
  • Festival 10ª Moenda da Canção (1996), em Santo Antônio da Patrulha (RS), com Balada Bovina
  • Festival 12ª Moenda da Canção (1998), em Santo Antônio da Patrulha (RS), com Passagens & Portagens
  • Festival 16º Musicanto Sul-Americano (2000), em Santa Rosa (RS), com Manuscrito (2º lugar na linha livre)
  • Festival 15ª Moenda da Canção (2001), em Santo Antônio da Patrulha (RS), com A Roda Inventou o Homem e Flor da Encarnação
  • Conexão RS (2003), lançado pela rádio Pop Rock, de Canoas (RS), com Balada Bovina
  • Coletânea Arte Daqui (2005), lançado pela RádioCom, de Pelotas (RS), com Chove na Capital

Ligações externas[editar | editar código-fonte]