Edgar de Inglaterra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edgar
Rei dos Ingleses
Reinado 1 de outubro de 959
a 8 de julho de 975
Antecessor(a) Eduíno
Sucessor(a) Eduardo, o Mártir
 
Esposas Atelfleda
Vultrido
Elftrida
Descendência Eduardo, o Mártir
Edite de Wilton
Etelredo de Inglaterra
Casa Wessex
Nascimento 943
  Wessex, Inglaterra
Morte 8 de julho de 975 (32 anos)
  Winchester, Wessex, Inglaterra
Enterro Abadia de Glastonbury, Glastonbury, Somerset, Inglaterra
Pai Edmundo I de Inglaterra
Mãe Elgifu de Shaftesbury

Edgar (Wessex, 943Winchester, 8 de julho de 975), mais conhecido como Edgar, o Pacífico, foi Rei da Inglaterra de 959 até sua morte. Era o filho mais novo do rei Edmundo e irmão do rei Eduíno.

Em 958, Edgar liderou uma revolta de nobres contra Edwin que acabou com a secessão dos reinos da Nortúmbria e Mércia sob o seu poder. Como acabou por suceder ao seu irmão, a Inglaterra reuniu-se sob a sua coroa. Edgar consolidou a união de reino de Inglaterra durante um reinado sem grandes conflitos internos ou externos.

Edgar casou por duas vezes e teve vários filhos, incluindo Eduardo o Mártir e Etelredo II.

Primeiros anos e ascensão[editar | editar código-fonte]

Edgar era filho de Edmundo I e Elgiva de Shaftesbury. Com a morte do rei Edmundo em 946, o tio de Edgar, Edredo, governou até 955. Edredo foi sucedido por seu sobrinho, Eduíno, o filho mais velho de Edmundo.

Eduíno não era um rei popular, e o seu reinado foi marcado pelo conflito com os nobres e a Igreja, principalmente St. Dunstan e o arcebispo Oda. Em 957, os senhores da Mércia e da Nortúmbria mudaram a sua fidelidade a Edgar.[1] Um conclave de nobres declarou Edgar como rei do território a norte do Tamisa[2]. Edgar tornou-se rei da Inglaterra após a morte de Eduino em outubro de 959, aos 16 anos.

Governo[editar | editar código-fonte]

Uma das primeiras ações de Edgar foi retirar Dunstano do exílio e fazê-lo tornar-se bispo de Worcester e abade de Glastonbury Abbey, posteriormente bispo de Londres e mais tarde arcebispo de Canterbury). Dunstano permaneceu conselheiro de Edgar durante todo o seu reinado. Embora Edgar possa não ter sido um homem particularmente pacífico, seu reinado foi pacífico. O Reino da Inglaterra estava bem estabelecido e Edgar consolidou a unidade política alcançada por seus antecessores. No fim do seu reinado, a Inglaterra estava suficientemente unificada, pois era improvável que retornasse a um estado de divisão entre reis rivais, como ocorrera em certa medida sob o reinado de Edredo. William Blackstone menciona que o rei Edgar padronizou as medidas em todo o reino.[3] De acordo com George Molyneaux, o reinado de Edgar, "muito mais do que os reinados de Alfredo ou Etelstano, foi provavelmente a fase mais crucial no desenvolvimento das estruturas institucionais que foram fundamentais para o domínio real no reino do século XI".[4]De fato, um rei do início do século XI, Canuto, o Grande, declara numa carta a seus súditos que '' é minha vontade que toda a nação, eclesiástica e leiga, observe firmemente as leis de Edgar, que todos os homens escolheram e juraram em Oxford ''.[5]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Edgar the Peaceful (c. 943–975) – King of England", BBC, January 13, 2005
  2. Hudson, William Henry (1920). Dead Man's Plack and an Old Thorn. [S.l.: s.n.] 
  3. Blackstone, "Of the King's Prerogative" Bk. 1, Ch. 7
  4. Molyneaux, George (2015). The Formation of the English Kingdom in the Tenth Century. Oxford, UK: Oxford University Press. p. 193. ISBN 978-0-19-871791-1.
  5. Trow, Cnut, pp.168–69.
Precedido por
Eduíno
Rei da Inglaterra
959 - 975
Sucedido por
Eduardo, o Mártir
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.