Eloy Alfaro (presidente)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eloy Alfaro
Nascimento 25 de junho de 1842
Montecristi
Morte 28 de janeiro de 1912 (69 anos)
Quito
Sepultamento Cemitério Geral de Guayaquil
Cidadania Equador
Cônjuge Ana Paredes Arosemena
Ocupação político, mercador, militar
Lealdade Equador
Religião catolicismo
Ideologia política liberalismo, laicismo
Causa da morte Perfuração por arma de fogo
Assinatura
Firma de Eloy Alfaro.svg

José Eloy Alfaro Delgado (Montecristi, na província de Manabí (Equador), 25 de junho de 1842 - Quito, 28 de janeiro de 1912. Seu pai foi Manuel Alfaro y González, republicano espanhol que chegou ao Equador na qualidade de exilado político.

Governou o Equador em duas ocasiões: de 5 de junho de 1895 a 31 de agosto de 1901 [1] e desde 1 de janeiro de 1907 a 14 de agosto de 1911.[2]

Em seu governo foi terminada a linha férrea Quito-Guayaquil e se levou a cabo a modernização do exército Equatoriano. Foi o precursor da Revolução Liberal Equatoriana, entre cujas principais conquistas destacam-se a separação entre Igreja e Estado, a legalização do divórcio. Construiu inúmeras escolas públicas e instituiu o direito a uma educação laica e gratuita, bem como ao casamento civil. Foi assassinado em 1912. Seu corpo foi mutilado, arrastado pelas ruas e finalmente incinerado na denominada Fogueira Bárbara no Parque "El Ejido", da cidade de Quito.

Referências

  1. «Ecuador». Explored (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2021 
  2. «Ecuador (parte 2)». Explored (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2021 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Eloy Alfaro (presidente)