Eurocopter AS332 Super Puma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

AS332 Super Puma
Picto infobox helicopter.png
Descrição
País de origem  França
Fabricante Aérospatiale, Eurocopter
Produção 1978-presente
Custo
unitário
US$15,5 milhões (2006)
Desenvolvido de Aérospatiale SA-330 Puma
Primeiro voo 13 de setembro de 1978
Entrada em serviço 1981
Tipo Transporte Médio
Tripulação 2Nota1
Passageiros/
Soldados
24 passageiros mais atendenteNota1
Carga 4 490 kg (9 900 lb)Nota1
Dimensões
Comprimento 16,79Nota1 m
Diâmetro do
rotor
16,20Nota1 m
Altura 4,97Nota1 m
Área (rotor) 206,12Nota1
Peso
Tara 4660Nota1 kg
Peso máximo
de decolagem
9150Nota1 kg
Propulsão
Motores 2x Turbomeca Makila 1A2 1 845 hp (1 380 kW)
Performance
Velocidade máxima 277Nota1 km/h
Alcance 851Nota1 km
Teto/tecto máximo 5180Nota1 m
Relação de subida 7,4Nota1 m/s
Armamento
Metralhadoras/
Canhões
A versão armada pode ser equipada com canhões em casulos laterais e metralhadoras axiais de 20 mm ou lança-foguetes. No Brasil, apenas metralhadoras axiais.
Notas
Nota1: Dados se referem ao modelo AS332 L1

O Eurocopter AS332 Super Puma (também chamado Caracal), originalmente fabricado pela Aérospatiale, hoje Eurocopter, é um helicóptero médio para o mercado civil e militar. É uma versão maior e remotorizada do original Aérospatiale SA-330 Puma.

O tipo obteve imenso sucesso, pois foi escolhido por mais de 37 forças por todo mundo e mais de 1.000 operadores civis. O Super Puma alcançou grande sucesso no setor offshore, no transporte de equipamento e pessoas para plataformas de petróleo. Existem versões equipadas para os mais diversos usos. Desde a década de 1990 que a variante militar do Super Puma é chamada Cougar. Pode levar de 21 a 25 combatentes, além da tripulação. Pode levar até 4,5 toneladas de carga em gancho externo.

Versões[editar | editar código-fonte]

  • Super Puma AS-332 L1 - helicóptero de transporte civil, possui motores Turbomeca Makila 1 A1.
  • Super Puma AS-332 L2 - equipado com motores Turbomeca Makila 1 A2 é uma versão que se beneficiou dos avanços tecnológicos e do aprendizado com a operação das versões anteriores.
  • Super Puma AS-332 F1 ou Cougar AS-532 MK1 - aeronave AS-332 L1 navalizada, a F1 pode operar embarcada, dobra a cauda e recolhe as pás do rotor principal para hangaragem.
  • Cougar AS-532 MK2 - aeronave AS-332 L2 navalizada.
  • Cougar AS-532 UC - versão de fuselagem normal desarmada.
  • Cougar AS-532 AC - versão de fuselagem normal armada.
  • AS-332 M ou AS-532 UL - versão de fuselagem alongada desarmada.
  • Cougar AS-532 AL - versão de fuselagem alongada armada.
  • Cougar AS-532 MC - versão naval para Busca e Salvamento.
  • Cougar AS-532 SC - versão naval que pode ser equipada para guerra anti-superfície com mísseisAM39 Exocet e guerra anti-submarino com sonar de profundidade variável e torpedos.

EC-725[editar | editar código-fonte]

O EC-725 é um helicóptero militar de largo alcance, motorizado com dois Turbomeca Makila 2A, que acomoda 2 tripulantes e até 29 soldados. É a versão militar do civil EC-225.

As melhoras no EC-725 em comparação com modelos anteriores incluem melhoras nas capacidades de combate, um desenho modular dos componenetes mecânicos, o uso de materiais compostos, melhora da aviônica e um sistema de monitorização da aeronave.

O modelo conta com mais de 550 unidades fabricadas e um total de horas de vôo acima de 2.300.000.[1] Seu custo unitário é de US$ 50 milhões.

Em março de 2008 o ministro da defesa brasileiro Nelson Jobim anunciou a compra[2] e a fabricação pela Helibras de 50 helicópteros do novo modelo EC-725 Super Cougar/Caracal para as Forças Armadas Brasileiras.

No dia 20 de dezembro de 2010 foram entregues as 3 primeiras unidades, vindas da França. O restante das aeronaves será fabricado até 2016 em uma fábrica da Helibras, subsidiária da Eurocopter, na cidade mineira de Itajubá, detalhou Jobim. O país investirá cerca de R$ 5,1 bilhões na aquisição e fabricação dos helicópteros, que serão utilizados por Exército, Marinha e a Aeronáutica. O Super Cougar EC-725 tem capacidade para dois tripulantes, 29 soldados totalmente equipados e uma carga de 2.268 quilos. A aeronave tem uma autonomia de voo de cinco horas, segundo dados oficiais.[3]

A Força Aérea Francesa usa este modelo na Guerra do Afeganistão, em auxílio às forças de coalizão, principalmente na capital, Cabul.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

É operado pelas três forças armadas como helicóptero de transporte médio com missões específicas de cada força.

Força Aérea Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em 1986, a FAB recebeu 10 aeronaves AS-332M, devolvendo como parte da negociação os helicópteros Puma que operava anteriormente. As aeronaves foram integradas ao 3º/8º GAv que as utiliza em transporte aéreo, ou ainda, aproveitando sua longa autonomia, em missões de busca e salvamento.

Em 1997, foi recebida uma aeronave AS-332M, com configuração para transporte VIP. Esta aeronave foi entregue ao Grupo de Transporte Especial. Posteriormente, outra aeronave do lote anterior foi convertida e entregue ao GTE.

No final de 2006, foi entregue a primeira blindagem removível fabricada pela Helipark. Foram desenvolvidos painéis de blindagem para os assentos dos pilotos, portas e laterais.

Marinha do Brasil[editar | editar código-fonte]

A partir de 1987, foram recebidos seis helicópteros Eurocopter AS-332 F1 pela Marinha do Brasil. Em 1994, foram adquiridos dois AS 532 Mk1, similares aos anteriores. Todas as aeronaves estão integradas ao 2º Esquadrão de Emprego Geral (HU-2). Além das missões de transporte, realizam operações de busca e salvamento a bordo do NAe São Paulo, NDD Rio de Janeiro, NDD Ceará, NDCC Mattoso Maia e NDCC Garcia D'Avila no decorrer das operações aéreas. Uma aeronave, prefixo N-7072, foi perdida em acidente, em operação com o NAeL Minas Gerais a 18 de setembro de 1990. Outra aeronave da Marinha, N-7075, foi perdida após uma aterrisagem forçada no aeródromo de Cabo Frio, em 20 de fevereiro de 2008.

Exército Brasileiro[editar | editar código-fonte]

O Exército Brasileiro adquiriu oito unidades AS-532UE entregues a partir de 2002. É o helicóptero com maior autonomia e capacidade de carga da força. Encontram-se integrados ao e ao 4º Batalhão de Aviação do Exército.

O helicóptero é atualmente o mais moderno Cougar das Forças Armadas Brasileiras e está equipado com cockpit blindado e NVG (óculos de visão noturna). A aeronave trouxe grande flexibilidade às forças aeromóveis, pois facilitou o apoio logístico e permite o transporte de peças de artilharia.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]