Federação Sindical Mundial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Federação Sindical Mundial
(FSM)
Ficheiro:World Federation of Trade Unions logo.svg
Lema "Classista – unitária – democrática – moderna – independente"
Tipo Federação internacional de sindicatos
Fundação 3 de outubro de 1945 (76 anos)
Propósito sindicalismo
Sede Atenas, Grécia Grécia
Membros 92 milhões
Línguas oficiais inglês, espanhol, francês, árabe, russo, português (idiomas presentes no site oficial)
Filiação Organização Internacional do Trabalho (OIT)
Presidente Michael Mzwandile Makwayiba
Sítio oficial www.wftucentral.org (em inglês)

A Federação Sindical Mundial (FSM) é uma federação internacional de sindicatos.

História[editar | editar código-fonte]

XIV Congresso da FSM realizado na cidade de Havana, Cuba, em dezembro de 2005

A FSM foi fundada em 3 de outubro de 1945 em Paris, França.[1] É a segunda organização sindical mais antiga do mundo e fundadora da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Segue a linha do movimento sindical de classe e luta contra o capitalismo e o imperialismo por uma sociedade sem a exploração do homem pelo homem. Sua tendência é comunista e marxista-leninista.

Inicialmente a FSM abrigou os sindicatos da Europa, América do Norte e do resto do mundo de tendências social-democrata e comunista. Porém, devido às tensões da Guerra Fria e às divergências entre essas mesmas tendências, os sociais-democratas se separaram e formaram a Confederação Internacional de Sindicatos Livres (COISL) - que, em 2006, fundiu-se à Confederação Mundial do Trabalho (CMT) para formar a Confederação Sindical Internacional (CSI).

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Atualmente a FSM possui cerca de 92 milhões de membros em 126 países (dados do período 2011-2016).[2] No Brasil, é representada pela central sindical CTB, que chegou a ocupar uma cadeira da vice-presidência em 2011[3] e pela Unidade Classista, que é membro da FSM desde 2016.[4] Em 2019 a FSM mostrou-se solidária com os trabalhadores e povo da Síria.[5]

Sedes[editar | editar código-fonte]

As sedes da FSM de 1945 até os dias atuais:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A estrutura, a organização e direção da FSM são compostas, respectivamente, pelo Congresso Sindical Mundial, Conselho Presidencial e Secretariado.

Congresso Sindical Mundial[editar | editar código-fonte]

Edição Ano Sede
I 3-8 de outubro de 1945 França Paris
II 29 de junho-9 de julho de 1949 Itália Milão
III 10-21 de outubro de 1953 Áustria Viena
IV 4-15 de outubro de 1957 Alemanha Oriental Leipzig
V 4-15 de dezembro de 1961 União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Moscou
VI 8-22 de outubro de 1965 Polónia Varsóvia
VII 17-31 de outubro de 1969 Hungria Budapeste
VIII 15-22 de outubro de 1973 Bulgária Varna
IX 16-23 de abril de 1978 Tchecoslováquia Praga
X 10-15 de fevereiro de 1982 Cuba Havana
XI 1986 Alemanha Oriental Berlim
XII 13-19 de novembro de 1990 União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Moscou
XIII 1994 Síria Damasco
XIV 25-28 de março de 2000 Índia Nova Delhi
XV Dezembro de 2005 Cuba Havana
XVI 6-10 de abril de 2011 Grécia Atenas
XVII 5-8 de outubro de 2016 África do Sul Durban

Conselho presidencial[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Secretariado[editar | editar código-fonte]

Secretários-gerais[editar | editar código-fonte]

A seguir, a lista de secretários-gerais da FSM desde a sua fundação até a atualidade:

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]