Ferdinando Marcos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ferdinand Emmanuel Edralín Marcos
Ferdinand Emmanuel Edralín Marcos
Presidente das Filipinas
Período 30 de dezembro de 1965 - 25 de fevereiro de 1986
Antecessor(a) Diosdado Macapagal
Sucessor(a) Corazon Aquino
Dados pessoais
Nascimento 11 de setembro de 1917
Sarrat, Ilocos Norte, Filipinas
Morte 28 de setembro de 1989 (72 anos)
Honolulu, Havaí, Estados Unidos
Primeira-dama Imelda Marcos
Partido Partido Liberal ng Pilipinas
Partido Nacionalista
Kilusang Bagong Lipunan
Religião Catolicismo Romano
Profissão advogado e político

Ferdinand Emmanuel Edralín Marcos (Sarrat, 11 de setembro de 1917Honolulu, Havaí, 28 de setembro de 1989) foi um político e advogado filipino, presidente de seu país de 1965 a 1986. Casado com Imelda Marcos, ex-ganhadora de concurso de beleza nas Filipinas, que também ficou conhecida por sua grande coleção de sapatos.

Foi eleito para a Câmara dos Representantes, em 1949, e para o Senado em 1959. Depois de ter perdido as eleições presidenciais como candidato do Partido Liberal em 1964, veio a ser eleito presidente como candidato do Partido Nacionalista ainda em 1964, sendo reeleito em 1969 e ainda em 1981.

Durante o seu governo realizaram-se reformas econômicas e sociais, assim como elaborou uma nova Constituição em que atribuía mais poderes à Presidência. A forte oposição levou-o a prender os seus líderes opositores e a instaurar a lei marcial, iniciando uma guerra de guerrilha pelos maoistas e separatistas muçulmanos. Levantou a lei marcial em 1981, mas, no entanto, a corrupção do Governo aumentou, bem como a pobreza e a guerrilha.

Ferdinando Marcos e George Shultz, em 1982.

Em 1986, foi declarado oficialmente vencedor das eleições, mas suspeitou-se a nível nacional e internacional de fraude eleitoral maciça, tendo-se o exército, então, dividido e Marcos fugido para o Havaí (já no curso da chamada Revolução de Edsa ou Revolução do Poder Popular[1] ) subindo ao poder Corazón Aquino, a viúva de Benigno Aquino, um dos seus grandes opositores, assassinado em 1983, quando do seu regresso às Filipinas.

Em novembro de 2016, foi enterrado no Cemitério dos Heróis Filipinos.[2]

Referências


Precedido por
Diosdado Macapagal
Presidente das Filipinas
1965 - 1986
Sucedido por
Corazon Aquino


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.