Francisco de Joyeuse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
François de Joyeuse
Cardeal da Santa Igreja Romana
Deão do Colégio dos Cardeais
Arcebispo de Rouen
O Cardeal de Joyeuse sagra Maria de Médicis em 1610, por Peter Paul Rubens.

Título

Cardeal-bispo de Óstia-Velletri
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 1581
Ordenação episcopal 1581
Cardinalato
Criação 12 de dezembro de 1583, pelo Papa Gregório XIII
Brasão
COA Cardinal de Joyeuse.svg
Dados pessoais
Nascimento França Carcassonne
24 de junho de 1542
Morte França Avinhão
23 de agosto de 1615 (73 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Francisco de Joyeuse (24 de Junho de 1562 - 23 de Agosto de 1615) foi um cardeal e político francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É o segundo filho (depois de Anne de Joyeuse), de Guilherme de Joyeuse et de Marie de Batarnay.

Sendo o caçula, é destinado à carreira eclesiástica. Graças à influência de seu irmão Anne, Mignon do Rei Henrique III de França, obtém o barrete de cardeal em 23 de Janeiro de 1584, com a idade de 22 anos.

Francisco de Joyeuse é nomeado « Protetor dos Negócios da França na Corte de Roma » em 16 de Fevereiro de 1587 ; sob este título, representa não só os interesses dos súditos franceses estabelecidos em Roma, mas também os interesses do Rei de França junto ao Papa Sixto V.

Após a morte de Henrique III, o Cardeal de Joyeuse volta a Toulouse e participa de ações da Liga Católica.

Mesmo assim, a partir de 1593 prefere aliar-se a Henrique IV e, novamente em Roma, obtém a absolvição do rei pelo Papa Clemente VIII, em 17 de Setembro de 1595.

Francisco de Joyeuse negocia também a anulação do casamento de Henrique IV com Margarida de Valois, irmã de seu predecessor, Henrique III, em 17 de Dezembro de 1599.

Em 1607, serve de mediador entre a Santa Sé e a República de Veneza que vai originar a revogação do embargo que o Papa Paulo V havia lançado contra a Sereníssima.

Em 13 de Maio de 1610, sagra Maria de Médicis em Saint-Denis.

No entanto, após o assassinato de Henrique IV, o cardeal perde sua influência sob a regência de Maria de Médici.

Estava a caminho de Roma quando morre em Avinhão, em 23 de Agosto de 1615, aos 53 anos.

Lista de seus benefícios eclesiásticos[editar | editar código-fonte]

  • Arcebispo de : Narbona (a partir de 1581); Toulouse (a partir de 1584) ; Rouen (a partir de 1604).
  • Abade de : Marmoutier (a partir de 1584); Saint-Florent d'Angers (a partir de 1587); Mont-Saint-Michel (a partir de 1588); Fécamp (a partir de 1589) ; La Daurade (a partir de 1591); Eaunes (a partir de 1591); La Grasse (a partir de 1593); Bolbone (a partir de 1597, trocada pela a Abadia de La Daurade); Saint-Sernin (a partir de 1597); Saint-Géraud d'Aurillac (a partir de 1603); Grandselve (a partir de 1612); Saint-Martin de Pontoise (a partir de 1612); Juilly (a partir de 1613); Saint-Martin de Cauchenne (a partir de 1614).
  • Abade comandatário de Notre-Dame-de-Chambons.
  • Prior de Auzat, Naussac, Ruoms, Saint-Cirgues, Montbazens.
  • Cardeal em 1584.
  • Deão do Colégio dos Cardeais em 1611.
  • Igrejas e Bispados atribuídos a Francisco de Joyeuse enquanto cardeal : Saint-Sylvestre (1585-1587) ; Trinité-des-Monts (1587-1594) ; Saint-Pierre-aux-liens (1594-1604); Sainte-Sabine (1604-1611); Ostia (1615, como deão dos cardeais).

Lista sucinta de seu patrimônio familiar[editar | editar código-fonte]

  • Duque de Joyeuse
  • Barão de Arques, Couiza, Puivert (baroneria vendida em 1610), Chalabre, Laudun, Descours, Rochemaure.
  • Senhor de Linières, Secourrieu, Lésignan, Lafitte.
  • Por arbitragem, o Condado de Batarnay retirado em 1602 da posse de Francisca de Batarnay, dama de Montrésor e tia materna do Cardeal de Joyeuse.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por:
Domenico Pinelli
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-bispo de Óstia

Sucedido por:
Antonio Maria Galli
Decano do Colégio dos Cardeais
16111615
Ícone de esboço Este artigo sobre História da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.