Gervásio Baptista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gervásio Baptista
Nascimento 19 de junho de 1923 (95 anos)
Salvador
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista
Empregador Empresa Brasil de Comunicação
Gervásio Baptista e Michel Temer em 2016

Gervásio Baptista (Salvador, 19 de junho de 1923), é um fotojornalista brasileiro. Registrou alguns dos mais importantes episódios da história brasileira e mundial.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estreou no jornalismo aos doze anos, fotografando como assistente para o jornal O Estado da Bahia.

Nos anos 50, transfere-se para o Rio de Janeiro, a convite de Assis Chateaubriand, dono dos Diários Associados, com quem travara contato um ano antes durante visita de Chatô à Feira de Santana, para trabalhar em O Cruzeiro.

Em 1954, vai para a revista Manchete onde permanece até o fechamento da mesma, em 2000. É lá que registra, semana a semana, a construção da nova capital. É de sua autoria a conhecida foto de Juscelino Kubitschek acenando com a cartola para o povo, que estampou a capa da Manchete sobre a inauguração de Brasília e tomou o mundo.

Suas fotos do enterro de Getúlio Vargas, em São Borja, Rio Grande do Sul, também geraram um número especial da revista.

Como fotógrafo oficial dos concursos Miss Brasil e Miss Universo, Gervásio viajou o mundo para retratar a beleza da mulher brasileira no período áureo desses eventos. Fotografou Fidel Castro, Che Guevara e fez um registro diferenciado da Revolução Cubana. Também deu sua leitura sobre a Revolução dos Cravos, em Portugal. Acompanhou e registrou a queda do presidente argentino Juan Domingo Perón e esteve em Saigon, para registrar a Guerra do Vietnã.

Durante a ditadura, teve várias passagens pela prisão, mas por não ter engajamento político, sempre foi libertado rapidamente e sem maiores conseqüências. Em tais ocasiões dividiu cela com o ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes e o advogado e ativista político Francisco Julião, fundador da Liga Camponesa, entre outros.

Fotógrafo oficial de Tancredo Neves, fez, com exclusividade, a última foto do presidente, acompanhado da equipe médica do Hospital de Base do Distrito Federal.

Discípulo de Henri Cartier-Bresson, a quem conheceu pessoalmente. Gervásio continua atuante, contratado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e prestando serviços ao Supremo Tribunal Federal (STF) e é citado como decano do fotojornalismo pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI).[3]

Fatos atuais[editar | editar código-fonte]

O Supremo Tribunal Federal homenageou Gervásio Baptista por 50 anos de dedicação ao fotojornalismo.[4] A mostra, denominada "50 Anos de Fotojornalismo" ocupou o Hall dos Bustos do STF de 12 de março até 18 de abril de 2008.[5][6]

Até 2015, Gervásio atuou STF, contratado pela empresa Partners Comunicação Integrada.

Referências

  1. «Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico». Agência Brasil. 22 de setembro de 2018 
  2. «Conheça Gervásio Baptista: dono da foto mais famosa de JK emociona-se em homenagem». JBr. 22 de setembro de 2018 
  3. «Arquivos Gervásio Baptista - Diário do Poder». Diário do Poder. Consultado em 22 de setembro de 2018 
  4. «Galeria Gervásio Baptista - 50 anos de fotografia». www.stf.jus.br (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2018 
  5. «Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico». Agência Brasil. 22 de setembro de 2018 
  6. Braziliense, Correio (20 de fevereiro de 2018). «Aos 96 anos, Gervásio Baptista, fotógrafo de JK, opera o fêmur após queda». Correio Braziliense