Giancarlo De Sisti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Giancarlo De Sisti
Giancarlo De Sisti
Informações pessoais
Data de nasc. 13 de março de 1943 (76 anos)
Local de nasc. Roma, Itália
Informações profissionais
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1960–1965
1965–1974
1974–1979
Itália Roma
Itália Fiorentina
Itália Roma
Seleção nacional
1967–1972 Flag of Italy.svg Itália 029 000(4)
Times/Equipas que treinou
1981–1985
1985–1987
1991–1992
Itália Fiorentina
Itália Udinese
Itália Ascoli

Giancarlo De Sisti (Roma, 13 de março de 1943) é um ex-futebolista e treinador italiano que atuava como meia.[1]

Carreira como Jogador[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Mais conhecido por seu apelido Picchio, ele jogou pela Roma em duas ocasiões (1960–65 e 1974–1979) e na Fiorentina (1965–1974), conquistando vários títulos nacionais e internacionais com ambos os clubes. Ele fez sua estréia na Serie A com a Roma em uma derrota por 2 a 1 para a Udinese, em 12 de fevereiro de 1961, na qual ele substituiu o seu mentor, Juan Alberto Schiaffino. Ele desfrutou de seu período de maior sucesso com a Fiorentina, quando ganhou o título da Serie A em 1969, antes de retornar à Roma em 1974. Ele ganhou a Coppa Italia com os dois clubes, em 1964 e 1966.[2]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Internacionalmente, De Sisti jogou 29 jogos e marcou 4 gols pela seleção italiana entre 1967 e 1972, fazendo a sua estreia em 1 de Novembro de 1967, numa vitória em casa sobre o Chipre, por 5-0, num jogo da fase de qualificação para a Eurocopa de 1968. Mais tarde, ele jogou no time vencedor da Eurocopa de 1968 em casa, jogando na vitória por 2 a 0 sobre a Iugoslávia em Roma. Ele também foi membro do time italiano que disputou a Copa do Mundo de 1970 no México.[3][4]

Carreira como Treinador[editar | editar código-fonte]

Após sua aposentadoria, De Sisti começou sua carreira como técnico, conquistando seus distintivos de treinador em 1980, e tornando-se técnico da Fiorentina no final daquele ano, perdendo por pouco o título para a rival Juventus em 1982. Ele foi forçado a deixar o cargo em 1985 após ser diagnosticado com um abscesso cerebral. Ele retornou ao futebol comandando a Udinese no final daquele ano, ele ficou por duas temporadas no clube e depois foi contratado pela Federação Italiana de Futebol para ser treinador do time Junior (1988-1990) e dos esquadrões militares (1990-91), ganhando um Campeonato Mundial Militar em 1991. Ele foi contratado pelo Ascoli no fim desse mesmo ano, sendo sucessivamente demitido em janeiro de 1992.

Em março de 2003 - depois de mais de uma década de inatividade - De Sisti voltou a treinar, juntando-se à Lazio como treinador da equipe juvenil. Ele deixou o cargo apenas alguns meses depois, após a nomeação de Roberto Mancini como novo treinador da biancazzurri.[5]

Estilo de Jogo[editar | editar código-fonte]

Um meio-campista criativo e talentoso, considerado um dos maiores criadores de sempre da Itália e da Roma, De Sisti era conhecido pelo seu estilo de jogo simples, mas eficiente; Ele ficava constantemente à procura de espaços, jogando com passes curtos e precisos e dando muito poucos toques na bola. Ele era conhecido por sua compostura sob pressão e sua consistência, e raramente errava passes.

Pós-Futebol[editar | editar código-fonte]

De Sisti trabalhou como comentarista de futebol de rádio e televisão.

Ele foi eleito para o Hall da Fama da Roma e da Fiorentina.[6][7]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Roma
Fiorentina
Itália

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «DE SISTI, Giancarlo in "Enciclopedia dello Sport"». www.treccani.it (em italiano). Consultado em 18 de setembro de 2018 
  2. «Tutta la Roma sul WEB». 24 de setembro de 2015. Consultado em 18 de setembro de 2018 
  3. «Elenco Italiano na Copa de 70». Consultado em 13 de março de 2016 
  4. «Giancarlo De Sisti - International Appearances». www.rsssf.com. Consultado em 18 de setembro de 2018 
  5. «Archivio Corriere della Sera». archiviostorico.corriere.it (em italiano). Consultado em 18 de setembro de 2018 
  6. «IV Hall of Fame Viola: Toldo, Chiarugi e non solo entrano nella galleria degli onori - Viola News». Viola News (em italiano). 8 de dezembro de 2015 
  7. «De Sisti: Roma is Roma and that's all there is to it». www.asroma.com (em inglês). Consultado em 18 de setembro de 2018