Go-Sai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Imperador Go-Sai
Imperador Go-Sai
Imperador de Flag of Japan.svg Japão
Período 1655 até 1663
Antecessor Imperador Go-Komyo
Sucessor Imperador Reigen
Dados pessoais
Nascimento 1 de janeiro de 1638
Morte 22 de março de 1685 (47 anos)
linkWP:PPO#Japão

Imperador Go-Sai (後西天皇, Go-Sai-tennō?, 16381685) foi o 111º imperador do Japão, na lista tradicional de sucessão. [1] Seu reinado abrangeu os anos de 1655 a 1663.

Vida[editar | editar código-fonte]

Antes da ascensão ao Trono do Crisântemo, seu nome pessoal (sua imina) era Yoshihito [2] e seu título de pré-ascensão era Momozono-no-miya. [3] [4] Yoshihito foi o oitavo filho do Imperador Go-Mizunoo. Sua mãe foi Kushige Takako, que depois adotou o nome budista de Hōshunmon-in, mas foi criado como se fosse filho de Tōfuku-mon'in [3], a mãe da ex-imperatriz Meisho. O ex-imperador Go-Komyo também era seu meio-irmão.

Yoshihito tornou-se imperador quando Go-Komyo morreu. Esta morte deixou o trono vago e a sucessão (senso) foi recebida por Yoshihito. Pouco tempo depois, foi proclamado Imperador Go-Sai (sokui). Go-Sai tinha 18 anos quando ascendeu ao trono. [3] Os anos do reinado de Go-Sai correspondiam ao período em que Tokugawa Ietsuna era o líder do xogunato Tokugawa.

Go-Sai se casou com a Princesa Akiko filha de Yoshihito, o primeiro líder da casa principesca Takamatsu-no-miya; depois da morte deste se tornou o segunda líder. A partir dai seu reinado passou a ter um caráter temporário até que seu irmão mais novo, o Príncipe Imperial Satohito (o futuro Imperador Reigen) pudesse atingir a idade para se tornar imperador. [5]

Em 1655 o novo embaixador do Reino de Joseon (Coréia) chegou ao Japão. [2]

Em 02 e 03 de março de 1657 ocorreu o Grande Incêndio de Meireiki, onde cidade de Edo foi devastado por um violento incêndio. [2]

Em 1659 inicia-se a construção da ponte de Ryogoku (Ryogokubashi). [2]

Em 1661 um incêndio consome totalmente o Palácio Imperial em Quioto, após o incêndio a família real passou cerca de dois anos morando na Mansão Konoe, [6] além disso o Gekū de Yamada foi seriamente danificado pelo fogo. [2]

Em 20 de março de 1662 aconteceu um violento terremoto em Quioto que destruiu o túmulo do Taiko, Toyotomi Hideyoshi. [2] Neste mesmo ano Go-Sai permitiu que Tosa Hiromichi (1561-1633) um caligrafo e pintor da Escola Tosa, adotasse o nome Sumiyoshi (provavelmente em referência a um pintor do século XIII, Sumiyoshi Keinin) e assumindo a posição de pintor oficial do Sumiyoshi taisha. [2] [7]

Em 05 de março de 1663 o Imperador Go-Sai abdicou. Com isso o príncipe imperial Satohito recebeu a sucessão (senso) e pouco tempo depois, foi proclamado Imperador Reigen (sokui). [8]

Após sua abdicação Go-Sai se dedicou aos estudos dos clássicos e a compor wakas escrevendo vários livros entre eles a Coleção Dia das Águas (水日集, Suinichishū?) [9]

Em 26 de março de 1685 o ex-imperador Go-Sai veio a falecer; e um grande cometa foi observado cruzando o céu durante a noite. [2] Go-Sai passou a ser consagrado no mausoléu imperial (misasagi) nomeado Tsukinowa no misasagi, que está localizado em Sennyu-ji no bairro Higashiyama-ku em Quioto, o mesmo lugar onde seu pai (Go-Mizunoo)e seus irmãos (Meisho e Go-Komyo) são consagrados. [1]

Shōguns do reinado[editar | editar código-fonte]

Daijō-kan[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Daijō-kan



Precedido por
Go-Komyo
Japanese Imperial Seal.svg -- 111º Imperador do Japão
1655 - 1663
Sucedido por
Reigen


Referências

  1. a b Agência da Casa Imperial: Go-Sai-tennō (111) (em japonês)
  2. a b c d e f g h Klaproth, Julius von (1834). Annales des empereurs du Japon (em francês). [S.l.]: Oriental Translation Fund, pp. 415-416 
  3. a b c Ponsonby-Fane, Richard Arthur Brabazon (1959). The Imperial House of Japan (em inglês). [S.l.]: Ponsonby Memorial Society, p.116 
  4. Library, British (1990). The British Library Journal (em inglês). [S.l.]: British Museum Publications, p. 215. 
  5. Bodart-Bailey, Beatrice M. (2006). The Dog Shogun:. The Personality and Policies of Tokugawa Tsunayoshi (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press, p. 88. ISBN 9780824829780 
  6. Ponsonby-Fane, R. A. B. (3 de junho de 2014). Studies In Shinto & Shrines (em inglês). [S.l.]: Routledge, p. 105. ISBN 9781136892943 
  7. «Sumiyoshiha». Japanese Architecture and Art Net Users System (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2018 
  8. Shillony, Ben-Ami (2008). The Emperors of Modern Japan (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 145. ISBN 9789047442257 
  9. Lillehoj, Elizabeth (2011). Art and Palace Politics in Early Modern Japan, 1580s-1680s (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 256, n. 50. ISBN 9789004211261 

Ver também[editar | editar código-fonte]