Goetia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Goétia ou Ars Goetia, em português goécia (gr. goeteia, "feitiçaria" ou, literalmente, "uivo"), é um sistema mágico e compêndio ritualístico semelhante (porém oposto) à teurgia, que trata dos instrumentos e modos para invocação e evocação de 72 espíritos malignos conhecidos no meio ocultista como goécios por sua estrita relação e origem com esse sistema mágico. Um praticante de goécia é chamado de goeta.

A goécia baseia-se na tradição e simbólica judaico-cristã-islâmicas, e tem sua origem traçável na literatura corânica, que por sua vez baseia-se em antigas literaturas apócrifas e pseudo-epigráficas referentes a detalhes de eventos marcantes da época veto-testamentária - mais exatamente, os eventos em torno da construção do Templo de Salomão. Dentre esses antigos textos, o mais notório seria o manuscrito apócrifo conhecido como O Testamento de Salomão.

Este manuscrito é o primeiro registro escrito da lenda (que mais tarde se tornaria artigo de fé na religião muçulmana graças à surata 72 do Corão) de que Salomão, rei de Israel, desenvolveu (seja por graça angélica ou por influência de suas esposas gentias) um complexo sistema que lhe dava controle e poderes sobrenaturais sobre os arquidemônios da Terra, e por extensão sobre todos os espíritos malignos governados por eles. Com isso, e talvez na intenção arriscada de fazer males que possam vir para o bem, o Rei Salomão escravizou esses demônios e os forçou a construir em honra a Deus o famoso templo que leva seu nome, atitude que mais tarde o levou a se arrepender, ser castigado e alertar ao leitor para que não se deixe levar por esse tipo de boa-fé e ingenuidade.

A Arte da Goécia (lat: Ars Goetia), geralmente chamada apenas de goétia ou goécia, é ensinada na primeira parte das Clavículas de Salomão, um antigo grimório do Século XVII. Este primeiro capítulo é conhecido como "Lemegeton Clavicula Salomonis" ou "A Chave Menor de Salomão", e nele estão descritos todos os 72 espíritos infernais que podem ser conjurados pelo goeta, bem como como todos os detalhes dos instrumentos e métodos que supostamente foram desenvolvidos e usados pelo próprio Salomão.

Estes 72 espíritos são também conhecidos como "daemons" (demônios) e, apesar de serem 72 entidades, há 76 "sigilos" ou carântulas de evocação, pois quatro dos demônios possuem dois sigilos.

Os 72 Espíritos Goécios[editar | editar código-fonte]

  1. Baal;
  2. Agares;
  3. Vassago;
  4. Samigina;
  5. Marbas;
  6. Valefor;
  7. Amon;
  8. Barbatos;
  9. Paimon;
  10. Buer;
  11. Gusion;
  12. Sitri;
  13. Beleth;
  14. Leraie;
  15. Aligos;
  16. Zepar;
  17. Botis;
  18. Bathin;
  19. Saleos;
  20. Purson;
  21. Marax;
  22. Ipos
  23. Aym;
  24. Neberius;
  25. Glasya-Labolas;
  26. Bune;
  27. Ronove;
  28. Berith;
  29. Astaroth;
  30. Forneus;
  31. Foras;
  32. Asmoday;
  33. Gaap;
  34. Furtur;
  35. Marchosias;
  36. Stolas;
  37. Phenex;
  38. Halphas;
  39. Malphas;
  40. Raum;
  41. Focalor;
  42. Vepar;
  43. Sabnock;
  44. Shax;
  45. Vine;
  46. Bifrons;
  47. Vual;
  48. Hagenti;
  49. Crocell;
  50. Furcas;
  51. Balam;
  52. Alloces;
  53. Camio;
  54. Murmur;
  55. Orobas;
  56. Gremory;
  57. Ose;
  58. Amy;
  59. Orias;
  60. Vapula;
  61. Zagan;
  62. Valac;
  63. Andras;
  64. Haures;
  65. Andrealphus;
  66. Cimejes
  67. Amdusias;
  68. Belial;
  69. Decarabia;
  70. Seere;
  71. Dantalion;
  72. Andromalius

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Ocultismo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]