Grego panfílio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
História da
língua grega

(ver também: alfabeto grego)
P46.jpg

Proto-grego
Micênico (c. 1600–1000 a.C.)
Grego antigo (c. 1000–330 a.C.)
Dialetos:
eólico, arcado-cipriota, ático-jônico,
dórico, lócrio, panfílio;
grego homérico.
possivelmente macedônio.

Koiné (c. 330 a.C.–330 d.C.)*
Grego medieval (330–1453)
Grego moderno (a partir de 1453)
Dialetos:
capadócio, cretense, cipriota,
demótico, griko, catarévussa,
ievânico, pôntico, tsacônio


*Datas (começando com o grego antigo) de Wallace, D. B. (1996). Greek Grammar Beyond the Basics: An Exegetical Syntax of the New Testament. Grand Rapids: Zondervan. p. 12. ISBN 0310218950 

O grego panfílio ou panfiliense é um dialeto isolado e pouco conhecido do grego antigo, que era falado na Panfília, região localizada na costa sul da Ásia Menor, na atual Turquia. Suas origens, bem como suas relações e seu parentesco com os outros dialetos gregos, são ainda incertas. Diversos estudiosos conseguiram estabelecer no panfílio importantes isoglossas com o arcado-cipriota, o que permitiu que ambos fossem estudados juntos. Panfília tem o significado, em grego, de "terra de todos os filos (tribos)", e, além dos aqueus, que ali se estabeleceram sob o comando de Anfíloco, Calcas e Mópso, Aspendo foi uma colônia de Argos, Sida foi colonizada por nativos de Cime, na Eólia, Sileu, colônia de alguma cidade grega ainda desconhecida, e Perga, de população nativa anatólica. O relativo isolamento do dialeto se deu antes mesmo do aparecimento do artigo grego; o panfílio é o único dialeto que não o usa, com a exceção do micênico e do grego poético.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]