Língua meda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Medo
Falado em: Média (atual Irã)
Total de falantes:
Família: Indo-europeia
 Indo-iraniano
  Iraniano
   Iraniano ocidental
    Iraniano do noroeste
     Medo
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: xme

A Língua meda ou medo, também conhecida como médico, era uma língua indo-iraniana falada na Antiguidade pelos medos,[1] povo que ocupou principalmente a região do atual Curdistão. Não existem textos preservados em língua meda, a gramática é desconhecida e o idioma é documentado apenas por meio de empréstimos em persa antigo.

O medo é considerada uma língua iraniana do noroeste, assim como o curdo moderno, o zazaki, o gilaki, o mazandarani e balúchi,[2] embora atualmente seja uma língua extinta.

Embora nada se saiba sobre a sua gramática, nota-se que existem semelhanças entre esta língua e as línguas avestana e persa antigo. Durante a existência do estado medo, a língua meda era o idioma oficial do estado nos territórios cobertos por este estado.[3]

História[editar | editar código-fonte]

O medo só é evidenciado pelos diversos empréstimos seus encontrados no persa antigo. Nada se conhece de sua gramática, "porém ele partilha importantes isoglossas fonológicas com o avéstico, e não com o persa antigo. (...) Sob o domínio médico, o medo deve ter sido, até certo ponto, o idioma oficial na Pérsia ocidental."[3]

Nenhum documento datado do período medo foi preservado, e não se sabe com qual escrita os textos produzidos por este povo eram feitos. Até agora apenas uma inscrição do período pré-aquemênida, uma placa de bronze, foi descoberta no território da Média, uma inscrição cuneiforme escrita em acádio, talvez por volta do século VIII a.C., porém nenhum nome meda é mencionado nela.[4]

Alguns estudiosos atuais sugeriram que o chamado linear elamita, que ainda não foi decifrada, poderia ter sido usada para escrever o idioma dos medos, presumindo que Kutik-Inshushinak seria o nome original iraniano de Ciaxares, em vez de um rei elamita do período não muito anterior ao uso dela.[5]

Citação bíblica[editar | editar código-fonte]

Na Bíblia, no Livro dos Atos dos Apóstolos, há menção de que, dentre os presentes em Jerusalém quando da descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, havia falantes da língua meda.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ancient Iran::Language». Encyclopædia Britannica Online. 2007. Consultado em 9 de março de 2007 
  2. Schmitt, Rüdiger (1989). Compendium Linguarum Iranicarum. Wiesbaden: Reichert 
  3. a b Skjærvø, Prods Oktor (2005). An Introduction to Old Persian (PDF) 2ª ed. Cambridge: Harvard 
  4. Dandamayev, Muhammad & I. Medvedskaya (2006). «Media». Encyclopedia Iranica OT 10 ed. Costa Mesa: Mazda 
  5. Gunnar Heinsohn, Cyaxares: Media’s Great King in Egypt, Assyria & Iran, Universidade de Bremen, maio de 2006