Língua venética

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Venético
Falado em: Nordeste da Itália
Total de falantes: extinta entre os século V e I a.C.
Família: Indo-europeia
 Itálica?
  Venético
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: xve
Distribuição aproximada das línguas durante a Idade do ferro na península Itálica – século VI a.C.

Língua venética foi uma língua indo-europeia que era falada na atual região italiana do Vêneto, por volta do século VI a.C. O idioma já está extinto, não sendo mais falado. Não confundir com a língua vêneta, um idioma atualmente presente na região e que parece não ter parentesco com esse antigo idioma. Além da atual região italiana do Vêneto, a língua era falada em partes da atual Eslovênia, entre o delta do rio Pó e o sopé sul dos Alpes.[1][2]

A língua é atestada por mais de 300 inscrições breves que datam desde o século VI até I a.C. Seus falantes eram referidos pelos romanos como sendo os antigos habitantes da atual região do Vêneto e pelos gregos chamados de Enetoi. A língua se extinguiu por volta do século I a.C. com a assimilação dos habitantes locais pela esfera romana. Inscrições dedicando ofertas para a deusa Reitia são uma das principais fontes de conhecimento da língua venética. [3]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Alfabeto venético

O venético é uma língua dita centum (ramo europeu da línguas indo-europeias. As inscrições apresentam uma variante das antigas escritas itálicas, similares ao da língua etrusca.

A relação exata do venético com outros idiomas indo-europeus ainda está sendo investigada, mas a maioria dos estudiosos concorda que o venético e também a língua libúrnia estão mais próximas de línguas itálicas como o latim, o osco e o umbro. O venético pode ter relações próximas com as línguas ilírias faladas nos Balcãs ocidentais, embora essa teoria seja hoje bastante combatida. Lejeune tem estudado a real posição do venético entre as línguas indo-europeias. .[4]:p.163

Alguns aspectos similares com as línguas germânicas podem ser percebidos, em especial nas formas pronominais forms:[5]:p.708,882

Venético: ego = Eu, acusativo mego = me, mim
Gótico: 𐌹𐌺 (ik), acusativo 𐌼𐌹𐌺 (mik)
(Latim: ego, acusativo me)
Venético: sselboi sselboi = a si próprio
Alto-alemão antigo: selb selbo
(Latim: sibi ipsi)

Características[editar | editar código-fonte]

O venético apresentava cerca de cinco ou seis casos para substantivos e quatro conjugações (como em latim).

São conhecidos cerca de 60 palavras, mas alguns são originários do latim (liber.tos. < libertus) ou do etrusco. Muitos mostram claras origens indo-europeias, tais como vhraterei < do PIE (Proto-indo-europeu) *bhraterei = para o irmão.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Em venético, as oclusivas *bh, *dh and *gh se tornaram /f/, /f/ /h/, respectivamente, quando na posição inicial da palavra (como em latim e em osco-úmbro), mas em /b/, /d/ and /g/, respectivamente, em posição inicial inter-vogal (como latim). No venético, pelo menos os desenvolvimentos de *bh e *dh são claramente atestadas. Em faliscano e em osco-umbro, há internamente os /f/, /f/, /h.

Há claras indicações também dos desenvolvimentos do PIE *kʷ > kv, *gʷ- > w- e PIE *gʷʰ- > f- no venético, tendo as dua últimas situações paralelas com o latim; do mesmo modo a assimilação regressiva da sequência PIE *p...kʷ... > *kʷ...kʷ..., uma característica também encontrada no itálico e no céltico.

Referências

  1. Wallace, Rex (2004). Venetic in Roger D. Woodard (ed.), The Cambridge Encyclopedia of the World’s Ancient Languages, [University of Cambridge, pp. 840-856. ISBN 0-521-56256-2 Online version
  2. The Illyrians by J. J. Wilkes Page 77 ISBN 0-631-19807-5
  3. Cambridge Ebooks, The Ancient Languages of Europe
  4. Michel Lejeune (1974), Manuel de la langue vénète. Heidelberg: Indogermanische Bibliothek, Lehr- und Handbücher.
  5. Julius Pokorny (1959), Indogermanisches Etymologisches Wörterbuch. Bern.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mallory, Adams, Encyclopedia of Indo-European Culture, 1997.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.