Imperador Shoko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Imperador Shoko
Imperador de Flag of Japan.svg Japão
Período 1412 até 1428
Antecessor Imperador Go-Komatsu
Sucessor Imperador Go-Hanazono
Dados pessoais
Nascimento 12 de maio de 1401
Morte 30 de agosto de 1428 (27 anos)
linkWP:PPO#Japão

Imperador Shoko (称光天皇, Shōkō-tennō?, 14011428) foi o 101º imperador do Japão, na lista tradicional de sucessão. Pertencia ao Ramo Jimyōin-tō da Família Imperial. [1]. Seu reinado abrangeu os anos de 1412 a 1428 [2]

Vida[editar | editar código-fonte]

Antes de ascender ao Trono do Crisântemo, seu nome pessoal (imina) era Príncipe Imperial Mihito. Ele era o filho do Imperador Go-Komatsu . Sua mãe era Hinonishi Motoko, filha de Hino Sukekuni.

Os kanji de seu nome Shōkō (称光) foi formado tomando-se o primeiro kanji dos nomes da Imperatriz Shotoku (称徳) e do Imperador Konin (光仁).

Shōkō tornou-se imperador após a abdicação de seu pai, Imperador Go-Komatsu em 5 de outubro de 1412, mas este continuou a administrar o pais como Imperador Aposentado durante o reinado de Shōkō com a supervisão do Shōgun Yoshimochi . [2]

A sucessão de Shōkō enfureceu muito o antigo imperador do sul, Go-Kameyama, que protestou ao Shōgun afirmando que sua concordância com o acordo de reconciliação de 1932 estava no entendimento de que um membro de seu ramo da Família imperial sucederia Go-Komatsu. Este realmente foi o caso, mas a alegação de Go-Kameyama foi ignorada por Yoshimochi. Go-Kameyama tentou reunir apoio suficiente para um desafio armado, mas não obteve sucesso, apesar de Shōkō ter provado que não tinha as minimas condições para ser um bom soberano. [3]

Em 18 de julho de 1419 ocorreu a Invasão Oei onde a Dinastia Joseon da Coreia invadiu a província de Tsushima para lutar contra piratas que estavam baseados na Ilha de Tsushima. [4]

Em 1423 o Shōgun Yoshimochi se aposenta em favor de seu filho, Ashikaga Yoshikatsu, que tinha na época 17 anos de idade. Mas, três anos depois Yoshikatsu veio a falecer e Yoshimochi volta a assumir o cargo se Shogun até sua morte em 3 de fevereiro de 1428, aos 43 anos de idade. Neste mesmo ano em agosto o Imperador Shōkō veio a falecer [2]

Durante seus dezesseis anos no trono Shōkō não se interessou pelos assuntos familiares, mas revelou ter um temperamento violento, excêntrico e imprevisível. Apesar de se interessar por exercícios militares em geral e no arco e flecha em particular. Professava ser um budista fervoroso e ser vegetariano. Mas também era um bêbado briguento, que frequentemente espancava as mulheres do palácio com as costas de sua espada. Shōkō era pai de três filhas, mas depois, tornou-se obcecado pela magia tântrica, e absteve-se do sexo na crença de que assim aumentaria seus poderes. O que não adiantou muito para prolongar a sua vida, pois morreu com menos de 30 anos. [3]

Antes da morte de Shōkō, seu pai Go-Komatsu o havia instado a adotar o Príncipe Imperial Sadafusa, neto do terceiro soberano do norte Sukō, e torná-lo seu herdeiro. Mas Shōkō teve um de seus ataques de fúria e não pôde ser persuadido a obedecer. Sadafusa, prudentemente, deixou a capital e tornou-se um sacerdote budista então Go-Komatsu adotou o filho deste Hikohito de dez anos de idade, seu sobrinho de terceiro grau. Que foi o sucessor de Shōkō após a morte deste se tornando o Imperador Go-Hanazono [5]

A Agência da Casa Imperial reconhece Fukakusa no kita no misasagi (深草北陵) em Fushimi-ku, Quioto como seu túmulo. [1]

Daijō-kan[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Daijō-kan



Precedido por
Go-Komatsu
Japanese Imperial Seal.svg -- 101º Imperador do Japão
1412 - 1428
Sucedido por
Go-Hanazono


Referências

  1. a b Agência da Casa Imperial: Shōkō-tennō (em japonês)
  2. a b c Klaproth, Julius von (1834). Annales des empereurs du Japon (em francês). [S.l.]: Oriental Translation Fund, pp.327-331 
  3. a b Martin, Peter (1997). The Chrysanthemum Throne:. A History of the Emperors of Japan (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press, pp. 94-95. ISBN 9780824820299 
  4. Rambelli, Fabio (2018). The Sea and the Sacred in Japan:. Aspects of Maritime Religion (em inglês). [S.l.]: Bloomsbury Publishing, p.91. ISBN 9781350062863 
  5. Martin (1997). The Chrysanthemum Throne:. ... [S.l.]: pp. 95-96 

Ver também[editar | editar código-fonte]