Integral de Henstock–Kurzweil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Henstock–Kurzweil integral» na Wikipédia em inglês (desde abril de 2010). Ajude e colabore com a tradução.

Em matemática, a integral de Henstock–Kurzweil, também conhecida como integral de Denjoy e integral de Perron, é uma definição possível de integral de uma função. É uma generalização da integral de Riemann a qual em algumas situações é mais útil que a integral de Lebesgue.

Esta integral foi primeiramente definida por Arnaud Denjoy (1912). Denjoy estava interessado em uma definição que levaria a integrar funções como

Enta função tem uma singularidade em 0, e não é integravel por integral de Lebesgue. Entretanto, parece natural calcular-se sua integral, exceto em [−ε,δ] e então fazendo-se ε, δ → 0.


Definição[editar | editar código-fonte]

A definição de Henstock é a seguinte:

Dada uma partição aditiva P de [a, b], diz-se

e uma função positiva

a qual chamamos um calibre, diz-se que P é -refinado se

Para uma partição aditiva P e uma função

define-se a soma de Riemann como sendo

Dada uma função

define-se um número I sendo a integral de Henstock–Kurzweil de f se para cada ε > 0 existe um calibre tal que sempre P seja -refinado, tem-se

Se um tal I existe, diz que f é Henstock–Kurzweil integrável em [a, b].

O lema de Cousin estabelece que para cada calibre , tal -refinada partição P existe, então esta condição não pode ser satisfeita pela ausência. A integral de Riemann pode ser considerada como um caso especial onde somente permite-se calibres constantes.

Referências

  • Das, A.G. (2008). The Riemann, Lebesgue, and Generalized Riemann Integrals. Narosa Publishers. ISBN 978-8173199332.