João Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Cunha
Nascimento 30 de agosto de 1939 (79 anos)
Ribeirão Preto
Cidadania Brasil
Ocupação político

João Orlando Duarte da Cunha (Ribeirão Preto, 30 de agosto de 1939) é um político brasileiro. Filho de Orlando Ferreira da Cunha e Maria Antonieta Duarte da Cunha, foi vereador na sua cidade natal, deputado estadual e deputado federal. Exerceu o mandato de deputado federal constituinte em 1988 e foi quem proferiu o voto decisivo para a sacramentar eleição de Tancredo Neves[1] como o primeiro Presidente da República após a redemocratização do Brasil.

Vida pessoal e atuação na política[editar | editar código-fonte]

Iniciou na vida pública[2], elegendo-se Vereador em Ribeirão Preto, por dois mandatos de 1969 a 1973 e de 1973 a 1975 ambos pelo MDB, partido de oposição à ARENA, que era historicamente ligado ao regime militar. Foi candidato a Deputado Estadual por São Paulo (1970), também pelo MDB, obtendo apenas uma suplência. Também foi eleito deputado Federal por quatro mandatos consecutivos (de 1975 a 1991), sempre pelo partido MDB (PMDB a partir de 1983), tendo tomado parte da Assembléia Nacional Constituinte de 1988. No período como parlamentar, se destacou como membro de uma das alas que mais se opunha ao regime militar. Foi um ferrenho opositor ao AI-5 e denunciou publicamente o assassinato de Vladimir Herzog. Ao fim do regime militar, atribuiu João Figueiredo como o líder de uma facção criminosa que se mantivera no poder por mais de 20 anos.

Na Câmara dos Deputados participou de diversas comissões:[3]

  • Constituição e Justiça: Membro, 1981-1987;
  • Economia, Indústria e Comércio: Suplente, 1982;
  • Finanças: Vice-Presidente, 1977 e Membro, 1977, 1978-1980;
  • Relações Exteriores: Membro, 1975 e Vice-Presidente, 1976 e Suplente, 1979-1987;
  • Trabalho e Legislação Social: Suplente, 1979.

Como Deputado membro da Constituinte em 1987 integrou, como titular, a Comissão da Ordem Social, a Comissão da Ordem Econômica, a Subcomissão dos Direitos dos Trabalhadores e Servidores Públicos e a Subcomissão de Princípios Gerais, Intervenção do Estado, Regime da Propriedade do Solo e da Propriedade Econômica. Foi relator da CPI sobre a Petrobrás, Light e o Sistema Energético Brasileiro (1979) e Membro da CPI sobre a corrupção na administração direta e indireta (1980). [4]

Nas eleições indiretas para Presidente da República[5], em 15 de janeiro de 1984, deu o decisivo voto de número 344 que elegeu Tancredo Neves, como primeiro Presidente da República após o período da ditadura militar. Ao proclamar o voto, cerca das 11:30h, disse a frase que se tornou célebre: “Tenho a honra de dizer que o meu voto enterra a ditadura funesta que infelicitou a minha Pátria”,[6] causando comoção generalizada entre os presentes e por todo o país.

Ao fim dos anos 1980, também foi membro do PDT e, mais tarde, do PMN. Sua última incursão na vida política foi uma tentativa de eleição à Câmara dos Deputados, dessa vez pelo PTB, na qual não obteve êxito.[7]

Referências

  1. «João Cunha - CPDOC». CPDOC. Consultado em 2 de janeiro de 2018 
  2. «Conheça os Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  3. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOAO ORLANDO DUARTE DA CUNHA | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  4. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOAO ORLANDO DUARTE DA CUNHA | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  5. Minas, Estado de (12 de janeiro de 2015). «Sessão do Congresso que elegeu Tancredo Neves completa 30 anos». Estado de Minas 
  6. «5 vezes em que Ribeirão Preto foi o centro das atenções». Revide | Portal de Notícias de Ribeirão Preto e região. 14 de junho de 314  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOAO ORLANDO DUARTE DA CUNHA | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 27 de setembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.