José Walter Bautista Vidal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José Walter Bautista Vidal, conhecido simplesmente como Bautista Vidal (Salvador, 2 de dezembro de 1934Brasília, 1º de junho de 2013) foi um engenheiro e físico brasileiro, ex-professor da Universidade de Brasília que, juntamente com Urbano Ernesto Stumpf (1916-1998), foi o idealizador do motor a álcool e é considerado uma das maiores autoridades do país em produção de energia, responsável pela implantação de 30 instituições de pesquisas e centros tecnológicos, no Brasil[1].

Obras[editar | editar código-fonte]

J. W. Bautista Vidal é autor de 12 livros, dentre eles se destacam:

  • De Estado Servil à Nação Soberana - Civilização Solitária dos Trópicos
  • Soberania e Dignidade, Raízes da Sobrevivência
  • O Esfacelamento da Nação
  • A Reconquista do Brasil.
  • Brasil civilização suicida.

Esses cinco títulos são um depoimento sobre os acontecimentos do tempo em que fez parte do governo como principal mentor do Pró-Alcool. A leitura é obrigatória para quem quer entender mais sobre a economia Brasileira e o porquê de sermos tão tecnologicamente dependentes dos países não tropicais, mesmo sendo aqui o melhor lugar para se produzir combustíveis renováveis.

Em seu discurso, critica de forma enfática a dependência do Brasil às instituições financeiras internacionais, FMI e Banco Mundial. Releva a importância de nossos dirigentes conduzirem a nação brasileira com responsabilidade, uma vez que o Brasil seria o pais mais rico do mundo, com a energia solar, terras cultiváveis e água doce em abundância. Isso sim seria lastro para uma economia real e não uma economia baseada em "papel pintado" - dólar - e de controle conforme os interesses internacionais.

Vidal também ocupou várias funções no governo federal. Ele foi secretário de Estado de Ciências e Tecnologia nos governos de Ernesto Geisel e de José Sarney.

Morte[editar | editar código-fonte]

Morreu, por volta das 12h de 1º de junho de 2013, aos 78 anos[2], de falência múltipla dos órgãos após permanecer internado com complicações renais por cerca de 10 dias no Hospital Santa Luzia, em Brasília.

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências citadas

  1. Tribuna da Bahia. Cientista dá nome a Parque Tecnológico, acessado em 22 de maio de 2014.
  2. «Morre ex-professor da UnB José Walter Bautista Vidal de falência múltipla». Consultado em 20 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]