Kremlin de Moscovo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Kremlin de Moscovo/Moscou e Praça Vermelha *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Moscow Kremlin and Bolshoy Kamenny Bridge late evening 01.JPG
Vista do Kremlin ao fim do dia
País  Rússia
Critérios i, ii, iv, vi
Referência 545
Coordenadas Moscou/Moscovo
Histórico de inscrição
Inscrição 1990  (14ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Kremlin Moscovo (português europeu) ou Moscou (português brasileiro) (em russo: Моско́вский Кремль, tr. Moskovskiy Kreml), geralmente referido como o Kremlin, é um complexo fortificado no centro da capital russa, nas margens do rio Moskva ao sul, com a Catedral de São Basílio e a Praça Vermelha a leste e o Jardim de Alexandre a oeste. É o mais conhecido dos kremlins (cidadelas russas) e inclui cinco palácios, quatro catedrais e uma muralha com torres. O complexo serve como a residência oficial do Presidente da Federação Russa.

O nome Kremlin significa "fortaleza dentro de uma cidade",[1] e muitas vezes também é usado como uma metonímia para se referir ao governo da Federação Russa em um sentido semelhante à forma como a Casa Branca é usada para se referir ao Gabinete Executivo do Presidente dos Estados Unidos, assim como Planalto também é por vezes empregado como designação ao Gabinete do Presidente da República do Brasil. O termo já tinha sido usado para se referir ao governo da União Soviética (1922-1991) e seus mais altos membros (tais como os secretários-gerais, primeiros-ministros, presidentes, ministros e comissários).

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

O local onde está o Kremlin tem sido continuamente habitado por povos fino-úgricos desde o século II aC. Os eslavos ocupavam a parte sul-ocidental da Colina Borovitsky já no século XI, como evidenciado por um selo metropolitano da década de 1090 que foi desenterrado por arqueólogos soviéticos na área. A tribo vyatichi construiu uma estrutura fortificada na colina onde o rio Neglinnaya flui para o rio Moskva.

Até o século XIV, o local era conhecido como o "grad de Moscou . A palavra "Kremlin" foi registrada pela primeira vez em 1331[2] (embora o etimologista Max Vasmer tenha mencionado um registro anterior, de 1320[3]). A fortaleza foi muito ampliada pelo príncipe Jorge I da Rússia em 1156, destruída pelos mongóis em 1237 e reconstruída em madeira de carvalho em 1339.[4]

Sede do grão-duques[editar | editar código-fonte]

Dmitri Donskoi substituiu as paredes de carvalho por uma forte cidadela de pedra calcária branca entre 1366 e 1368, sobre os fundamentos básicos das paredes atuais; esta fortificação resistiu a um cerco de Toctamix. O filho de Dmitri, Basílio I, retomou a construção das igrejas e claustros do Kremlin. A recém-construída Catedral da Anunciação foi pintada por Teófanes, o Grego, Andrei Rublev e Prokhor em 1406. O Mosteiro Chudov foi fundado pelo tutor de Dmitri, Alexis; enquanto sua viúva, Eudoxia, estabeleceu o Convento da Ascensão em 1397.[5]

Czares[editar | editar código-fonte]

Fotografia aérea do Kremlin

Ivã III organizou a reconstrução do Kremlin, convidando vários arquitetos qualificados na Itália renascentista, como Petrus Antonius Solarius, que projetou a nova muralha do Kremlin e suas torres, e Marcus Ruffus, que projetou um novo palácio para o príncipe. Foi durante seu reinado que as três catedrais existentes no Kremlin foram construídas. O edifício mais alto da cidade e da Rússia moscovita era Campanário de Ivã III da Rússia, construído entre 1505 e 1508 e ampliado para a sua altura atual em 1600. As paredes do Kremlin como estão atualmente foram construídas entre 1485 e 1495.[5]

Ocupações[editar | editar código-fonte]

Embora sendo uma fortaleza imponente, o Kremlin sofreu vários ataques dos quais alguns levaram à sua ocupação.

Características[editar | editar código-fonte]

As muralhas e as torres do Kremlin foram construídas por mestres italianos ao longo dos anos de 1485 a 1495. O triângulo irregular da parede do Kremlin abrange uma área de 275.000 metros quadrados. O seu comprimento total é 2,235 metros, mas a altura varia de 5 a 19 metros, dependendo do terreno. A espessura da parede é entre 3,5 e 6,5 metros.

Torres[editar | editar código-fonte]

Originalmente, havia dezoito torres no Kremlin, mas o seu número aumentou para 20 no século XVII. Apenas três das torres são quadrados no plano. A torre mais alta é a Troizkaya, que foi construída até sua altura atual de 73,9 metros em 1495. A maioria das torres foram originalmente coroadas com telhados de madeira; as tendas de tijolos existentes com tiras de azulejos coloridos são da década de 1680.

A muralha do Kremlin contém 20 torres, das quais a principal é a Torre do Salvador (ou Torre Spasskaya). Continuando no sentido dos ponteiros do relógio, seguem-se as torres do Senado, São Nicolau, Arsenal do Canto, Arsenal do Meio, Trindade, Comandante, Armaria, Borovitskaya, Água, Anunciação, Segredo, duas torres sem nome, Beklemishev, São Constantino e Santa Helena, Alarme e finalmente a Torre do Czar. Em frente à Torre da Trindade, no exterior do Kremlin, situa-se ainda a Torre Kutafya.

Monumentos[editar | editar código-fonte]

No interior do Kremlin situam-se vários palácios e igrejas. Os mais importantes são:

Panorama do Kremlin de Moscou

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Кремль». Vasmer Etymological dictionary 
  2. Agrawal, Premendra (4 de fevereiro de 2012). Silent Assassins Jan 11, 1966. [S.l.]: Agrawal Overseas. p. 184. ISBN 9789350878453. Consultado em 13 de agosto de 2015 
  3. Фасмера, Макс. «Этимологический Словарь Фасмера» [Vasmer's Etymological Dictionary] (em russo). p. 321 
  4. Michael C. Paul, "The Military Revolution in Russia 1550–1682", The Journal of Military History 68, No. 1 (January 2004), 31.
  5. a b Paul, "Military Revolution in Russia," 31.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ivanov V. N. Московский Кремль. Moscow, 1971.
  • Merridale, Catherine (2013). Red Fortress: History and Illusion in the Kremlin. New York: Henry Holt. 505 páginas. ISBN 9780805086805 
  • Nenakormova I. S. Государственные музеи Московского Кремля. Moscow: Iskusstvo, 1987.frt

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Imagem: Kremlin e Praça Vermelha, Moscovo O Kremlin de Moscovo faz parte do sítio Kremlin e Praça Vermelha, Moscovo, Património Mundial da UNESCO. Welterbe.svg
Ícone de esboço Este artigo sobre a Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.