Leandro Konder

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leandro Konder
Nome completo Leandro Augusto Marques Coelho Konder
Nascimento 3 de janeiro de 1936
Petrópolis
Morte 12 de novembro de 2014 (78 anos)
Nacionalidade  brasileiro
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ocupação filósofo, professor universitário
Influências
Empregador Universidade Federal Fluminense, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Escola/tradição marxismo

Leandro Augusto Marques Coelho Konder ORB[1] (Petrópolis, 3 de janeiro de 193612 de novembro de 2014) foi um filósofo marxista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primogênito de Valério Konder e Ione Marques Coelho. Tem um irmão mais novo, o jornalista Rodolfo Konder, e uma irmã mais nova, Luíza Eugenia Konder.[2] Tem dois filhos e dois netos.[3]

Formou-se em direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em 1984, obteve o título de doutor em filosofia pela UFRJ. Atuou como advogado criminalista e, depois, trabalhista, até ser demitido dos sindicatos em que trabalhava, em função do golpe militar de 1964. Foi professor da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Atuante escritor, foi autor de inúmeras obras em diversas áreas do conhecimento, como filosofia, sociologia, história e educação.

Em 1972, forçado a sair do Brasil, foi para a Alemanha, onde trabalhou na Universidade de Bonn, e para a França. Retornou ao país em 1978 e, de 1984 a 1997, foi professor no Departamento de História da UFF. A partir de 1985, lecionou no Departamento de Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Dos anos 1960 em diante, foi um dos principais divulgadores do marxismo no Brasil, tendo especial papel na introdução da obra de Lukács no país.

Tem 21 livros publicados e os que mais se destacam são A derrota da dialética, Flora Tristan – Uma vida de mulher, uma paixão socialista, Walter Benjamin – O marxismo da melancolia, Fourier – O socialismo do prazer – Vida e obra, O que é dialética e O futuro da filosofia da práxis.[carece de fontes?] Publicou também os romances A morte de Rimbaud e Bartolomeu.

Em 2008, publicou Memórias de um intelectual comunista (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 264 pp.)

Desde 2005, coordenava a coleção Marxismo e Literatura, da editora Boitempo.

Ele faleceu em 12 de novembro de 2014, aos 78 anos.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • A Cidade de Cada Um - Editora Civilização Brasileira - Rio de Janeiro 1963: Coletânea com o conto: Um Ordálio Carioca
  • Introdução ao Fascismo - Edições graal - Série Teoria e Realidade - Rio de Janeiro 1977.
  • A questão da ideologia - Companhia das Letras
  • Em torno de Marx - Editora Boitempo
  • A morte de Rimbaud - Companhia das Letras
  • Filosofia e educação: de Socrates a Habermas - Coleção Fundamentos da Educação - Editora Forma e Ação
  • Walter Benjamin: O Marxismo da Melancolia - Editora Campus

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]