Lista de testes de mísseis norte-coreanos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tem havido um grande número de testes de mísseis norte-coreanos. A Coreia do norte tem desencadeado uma série de testes de mísseis de curto alcance no Mar Do Japão (Mar da Coreia Oriental), aparentemente como gesto político.

  • Teste de míssil norte-coreano de 1993 - (29 ou 30 de Maio de 1993) - Míssil Nodong
  • Teste de míssil norte-coreano de 2006 - (5 de julho de 2006) - Taepodong-2 (Falha)
  • Teste de míssil norte-coreano de 2009 - (4 de julho de 2009)
  • Lançamento bem sucedido de um míssil  Kwangmyŏngsŏng-3 em 12 de dezembro de 2012.
  •  Teste de míssil norte-coreano de 2013 - (18, 19 ou 20 de maio de 2013 - Parte da Crise coreana de 2013).
  • Teste de míssil norte-coreano de de 2014 - (Março de 2014), Míssil Nodong lançado com sucesso.
  • Coreia do norte alega ter lançado com sucesso um míssil a partir de um submarino (Maio de 2015).
  • Lançamento bem sucedido de um Kwangmyŏngsŏng-4 (7 de Fevereiro de 2016)
  • Teste com motor de míssil balístico intercontinental (Abril de 2016)
  • Coreia do norte afirma ser capaz de lançar um míssil capaz de atingir os Estados Unidos da América (agosto de 2016)
  • Teste de míssil norte-coreano de 2017 (29 de agosto de 2017)

Em 7 de fevereiro de 2016, cerca de um mês após ter feito um teste com uma suposta Bomba de Hidrogênio, A Coreia do Norte afirmou ter colocado em órbita um satélite. O Primeiro-Ministro do Japão, Shinzō Abe, tinha avisado para a Coreia não lançar o foguete, se o fizessem iriam violar o território japonês. No entanto, a Coreia do Norte lançou um foguete de qualquer maneira, alegando que o satélite foi puramente destinado para fins pacíficos e cíentificos. Várias nações, incluindo os Estados Unidos, o Japão e a Coreia do Sul, têm criticado o lançamento, e apesar do governo Norte-coreano afirmar que o foguete foi lançado com pacíficos. Os governos ocidentais acreditam que o foguete foi um teste para executar um teste com ICBM, sobre o pretexto de lançamento de satélites com fins pacíficos. A China também criticou o lançamento, no entanto, pediu "as partes relevantes" para "abster-se de ações que pode escalar as tensões na península coreana".

Enquanto alguns pronunciamentos norte-coreanos foram tratados com ceticismo, os analistas estão tratando do ritmo incomum de testes com mísseis e bombas muito a sério. Em um extremo, o Almirante do Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (North American Aerospace Defense Command), disse ao Congresso norte-americano em março de 2016 que:   "É a decisão prudente da minha parte supor que [Kim Jong Un] tem a capacidade de miniaturizar uma arma nuclear e colocá-lo em um ICBM", sugerindo uma grande mudança de alguns anos anteriores.

A Coreia do norte reapareceu no noticiário mundial ao lançar um míssil a partir de um submarino em 23 de abril de 2016; enquanto o míssil só viajou de 30 km, de um analista norte-americano observou que: "A capacidade da Coreia do norte de lançamento passou de uma brincadeira para algo muito grave" A Coreia também realizou vários testes de mísseis em 2016.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

1.http://edition.cnn.com/2013/05/18/world/asia/north-korea-missiles/index.html

2.http://www.foxnews.com/world/2013/05/19/north-korea-fires-projectile-into-eastern-waters.html?cmpid=cmty_twitter_fn#ixzz2TkTJnILC

3.http://www.foxnews.com/world/2013/05/19/north-korea-fires-projectile-into-eastern-waters.html?cmpid=cmty_twitter_fn#ixzz2TkTJnILC