Márcio Labre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Márcio Labre
Deputado federal pelo Rio de Janeiro
Período 1 de fevereiro de 2019 até Atualidade
Dados pessoais
Nome completo Márcio da Silveira Labre
Nascimento 27 de fevereiro de 1974 (45 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Partido PSL (2018-atualmente)
Profissão empresário e jornalista
linkWP:PPO#Brasil

Márcio da Silveira Labre (Rio de Janeiro, 27 de fevereiro de 1974), ou simplesmente Márcio Labre, é um político, empresário e jornalista brasileiro filiado ao Partido Social Liberal (PSL).[1] É conhecido pelo seu trabalho jornalistico ligado às teses do conservadorismo filosófico e político. Nas eleições de 2018, foi eleito deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro.[2]

Atuação parlamentar[editar | editar código-fonte]

Revisão das Anistias

Em 5 de fevereiro de 2019 protocolou o Projeto de Lei 259/2019 em que propõe a revisão minuciosa das pensões dadas aos anistiados. Segundo o deputado federal os custos das pensões para os anistiados podem chegar a 15 bilhões de reais.[3]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Na segunda semana como deputado federal em exercício, casou controvérsias a enviar um projeto de lei que propunha proibir a venda, distribuição, propaganda e doação de alguns anticoncepcionais, tais como o DIU, Norpant e entre outros, sob a justificativa de serem "micro-abortivos".[4][5][6]

O Projeto de Lei 261/2019 causou grande polêmica e repercussão, com isso o parlamentar decidiu retirar o projeto de lei, dizendo que era "necessário aprofundar o terma apresentado".[7] De acordo com o parlamentar, houvera um erro legislativo, em que um dos seus assessores protocolou o referido projeto de lei que fora sugerido ao deputado federal e ainda não havia sido revisado nem aprovado por ele. A polêmica ficou conhecido nos bastidores como "Eu assino pelo meu gabinete" graças ao vídeo de esclarecimento que o deputado federal publicou dizendo que assumia o erro e que tomou as medidas para corrigi-lo.[8][9]

Referências

  1. «Márcio Labre 1752 (PSL) Deputado Federal». especiais.gazetadopovo.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  2. «Veja os deputados eleitos no Rio para a Câmara». O Globo. 8 de outubro de 2018. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  3. Labre, Marcio (4 de fevereiro de 2019). «Duas décadas e quase 15 bi retirados do tesouro para indenizações e pensões de "anistiados" do regime militar. Alguns proventos chegam a 30 mil. Meu projeto de Lei protocolado hoje, propõe uma varredura minuciosa nos critérios de concessão destes benefícios. Leia na íntegra:pic.twitter.com/lDb6GFto0M». @marciolabre. Consultado em 9 de fevereiro de 2019  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  4. «Projeto de Lei N° 261/2019». Câmara dos Deputados. 6 de fevereiro de 2019. Consultado em 9 de fevereiro de 2019 
  5. Povo, O. (6 de fevereiro de 2019). «Deputado do PSL volta atrás e retira Proposta que proibiria a distribuição de métodos contraceptivos». O Povo - Brasil. Consultado em 9 de fevereiro de 2019 
  6. «Deputado propõe proibir pílula do dia seguinte e recua após repercussão». noticias.uol.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2019 
  7. «Requerimento de retirada de tramitação n°219, 2019». Câmara dos Deputados. 6 de fevereiro de 2019. Consultado em 9 de fevereiro de 2019 
  8. «Nota de Esclarecimento» (PDF). Critica Nacional. Autoria desconhecida. Consultado em 9 de fevereiro de 2019  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda); Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. Canal Labre TV, Marcio Labre comenta o Projeto sobre contraceptivos., consultado em 9 de fevereiro de 2019 


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.