Macuco (Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros verbetes com este nome, veja Macuco (desambiguação).
Município de Macuco
Bandeira de Macuco
Brasão de Macuco
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 28 de dezembro de 1995 (20 anos)
Gentílico macucoense
CEP 28545-000
Prefeito(a) Félix Lengruber (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Macuco
Localização de Macuco no Rio de Janeiro
Macuco está localizado em: Brasil
Macuco
Localização de Macuco no Brasil
21° 59' 02" S 42° 15' 10" O21° 59' 02" S 42° 15' 10" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Centro Fluminense IBGE/2008[1]
Microrregião Cantagalo-Cordeiro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Cantagalo, Cordeiro, São Sebastião do Alto e Trajano de Morais
Distância até a capital 210 km
Características geográficas
Área 77,080 km² [2]
População 5 530 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 71,74 hab./km²
Altitude 266 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,769 (41º) – alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 64 198,468 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 544,41 IBGE/2008[5]
Página oficial

Macuco é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma latitude 21º59'02" sul e a uma longitude 42º15'10" oeste, estando a uma altitude de 266 metros. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 5 530 habitantes em 2014. É o município fluminense com a menor população.

Possui uma área de 77,6 km².

História[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento Macuco deve-se, principalmente ao Barão de Nova Friburgo; responsável pela execução da malha ferroviaria para escoar a produção cafeeira de suas fazendas e região para a cidade do Rio de Janeiro -então capital do Império- em meados de 1860. Bernardo Clemente Pinto, cantagalense, adicionou ramais a primitiva ferrovia, prosperando o povoado de Macuco. O povoamento teve origem nos arredores fazenda Cordeiro graças aos fluxos de colonização que se dirigiram para a localidade de Macuco e, também, de Cordeiro.

Subordinado ao município de Cantagalo, o então distrito de Cordeiro consegue sua autonomia municipal em 1943. O distrito de Macuco deixa de pertececer a Cantagalo e passa a ser incorporado territorialmente ao novo município de Cordeiro.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

O antigo distrito do município de Cordeiro, Macuco, foi emancipado, após plebiscito realizado entre a população local, no dia 28 de dezembro de 1995 em ato solene realizado no Palácio do Ingá (Palácio Nilo Peçanha)[1], em Niterói, pela Lei n°2497, sancionada pelo Governador Marcello Alencar. Em 1997, foi instalado o município de Macuco, antigo segundo distrito de Cordeiro como resultante das suas primeiras eleições municipais, em 1996; na qual concorreram José Carlos Boaretto (PDT) - mentor de todo o processo emancipacionista de Macuco - e Maurício Bittencourt (PP), vencendo este último.

Até 2013, o prefeito era Rogério Bianchini (PMDB), cumprindo seu segundo mandato. Rogério foi o vice-prefeito nos dois mandatos de seu predecessor. Atualmente o prefeito é Félix Lengruber (PMDB).

Sua principal atividade econômica é a pecuária leiteira, e no município encontra-se instalada a Cooperativa Regional Agro-Pecuária de Macuco, segunda maior processadora de leite do estado.

Desde 2005, Macuco abriga também uma unidade da CCA Laticínios, fabricante de leite de cabra em pó.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Macuco não possui distritos. Os bairros da cidade, de acordo com a lei 284/05 são: Barreira, Centro, Dr. Chiquito, Glória, Maravilha, Nova Macuco, Paraíso, Reta, São José, Santos Reis, Volta da Ferradura e Volta do Umbigo.


Desigualdade entre homens e mulheres[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Em 2009, o Globo Repórter da Rede Globo divulgou que na cidade as mulheres têm 50% menos chances de conseguir maridos, em comparação com as mulheres brasileiras no geral.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Estimativa populacional 2014 IBGE». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]