Magia Goética

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Magia goética ou magia goécica, também chamada simplesmente de goétia ou goécia em referência ao antigo texto homônimo que a descreveu, é um complexo sistema mágico que, na tradição ocultista ocidental, trata da suposta evocação de 72 entes preternaturais, concebidos como "deuses" por alguns, "espíritos" por outros, "demônios" por teurgos, e conhecidos no meio ocultista como goécios. O sistema teria sido supostamente aprendido ou inventado por Salomão, rei de Israel, e aperfeiçoado por praticantes posteriores, conhecidos como goetas.

Variante do círculo e triângulo de Aleister Crowley, usado na evocação dos setenta e dois goécios (entidades) do Ars Goetia.

O sistema de operação é simples, embora construído para impressionar curiosos e praticantes. Os instrumentos mágicos utilizados na prática vieram, também, a compor mais tarde o aparato de avios ritualísticos de vários outros sistemas mágicos - como os da feitiçaria wiccana.

Dentre esses instrumentos, ou "armas" mágicas na grafia do texto, estão a baqueta (assimilada pelos de fora como a "varinha mágica"), o círculo de guarda, o triângulo de manifestação, o selo mágico, o hexagrama e o pentagrama.

A baqueta ou, às vezes, cajado goécico, serve como instrumento coordenador e expresso da vontade dos goetas.

O círculo goécico, ou da guarda, é uma série concêntrica de diversos círculos contendo termos hebraicos e gregos, transliterados ou não, indo desde nomes divinos a palavras mágicas, para resguardar os conjurantes contra os malefícios diretos da entidade.

O triângulo de manifestação, ou das aparições, é o espaço dentro do qual o goécio escolhido se manifestará, visivelmente ou não, após ser evocado e lá confinado pelos goetas.

O selo mágico ou sigilo (lat: sigillum, "selo"), na grafia dos grimórios, é a carântula que contém a "assinatura" (símbolo individual) do goécio escolhido, totalizando 76 selos para 72 entidades (quatro delas possuem dois sigilos). O selo é colocado no meio do triângulo das aparições, e supostamente servirá como um "elo", "portal" ou inter-mundi (espaço entre mundos) conectando o plano físico com o espiritual. O material no qual o selo será riscado só pode ser utilizado uma vez por operação, devendo ser ritualmente destruído após cada evocação, não importando se teve ou não sucesso. Por isso, recomenda-se que o selo seja riscado em pergaminhos ou papéis, ao invés de materiais mais caros como plaquetas de madeira, metal ou porcelana.

O pentagrama e o hexagrama são, por fim, amuletos, e são utilizados ao longo da operação para coagir a entidade a obedecer os goetas.

Os Nomes dos Goécios[editar | editar código-fonte]

  1. Baal;
  2. Agares;
  3. Vassago;
  4. Samigna;
  5. Marbs;
  6. Valefor;
  7. Amon;
  8. Barbatos;
  9. Paimon;
  10. Buer;
  11. Gusion;
  12. Sitri;
  13. Beleth;
  14. Leraie;
  15. Aligos;
  16. Zepar;
  17. Botis;
  18. Bathin;
  19. Saleos;
  20. Purson;
  21. Marax;
  22. Ipos
  23. Aym;
  24. Neberius;
  25. Glasya-Labolas;
  26. Bune;
  27. Ronove;
  28. Berith;
  29. Astaroth;
  30. Forneus;
  31. Foras;
  32. Asmoday;
  33. Gaap;
  34. Furtur;
  35. Marchosias;
  36. Stolas;
  37. Phenex;
  38. Halphas;
  39. Malphas;
  40. Raum;
  41. Focalor;
  42. Vepar;
  43. Sabnock;
  44. Shax;
  45. Vine;
  46. Bifrons;
  47. Vual;
  48. Hagenti;
  49. Crocell;
  50. Furcas;
  51. Balam;
  52. Alloces;
  53. Camio;
  54. Murmur;
  55. Orobas;
  56. Gremory;
  57. Ose;
  58. Amy;
  59. Orias;
  60. Vapula;
  61. Zagan;
  62. Valac;
  63. Andras;
  64. Haures;
  65. Andrealphus;
  66. Cimejes
  67. Amdusias;
  68. Belial;
  69. Decarabia;
  70. Seere;
  71. Dantalion;
  72. Andromalius

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Ocultismo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]