Manuel Puig

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel Puig
Manuel Puig
Nome completo Juan Manuel Puig Delledonne
Nascimento 28 de dezembro de 1932
General Villegas, província de Buenos Aires
Morte 22 de julho de 1990 (57 anos)
Cuernavaca
Nacionalidade Argentina Argentino
Ocupação Escritor
Magnum opus A traição de Rita Hayworth

Juan Manuel Puig Delledonne (General Villegas, 28 de dezembro de 1932Cuernavaca, 22 de julho de 1990) foi um escritor argentino.

Em 1946 mudou-se para a capital do pais, Buenos Aires. Começou então sua fascinação pelo cinema, assistindo regularmente às "matinées" de cinema aos domingos.[1]

Em 1950 começou a estudar arquitetura e, em 1951, trocou de curso para filosofia. Em 1956 fez cursos no Centro Sperimentale di Cinematografia, em Roma. Depois, morou em Londres e Estocolmo, dando aulas de italiano e espanhol enquanto começava a escrever seus roteiros para o cinema.[2]

Entre 1961 e 1962 trabalhou como assistente de direção em filmes na Argentina e na Itália. Em 1965 transfere-se para Nova York, onde começou a escrever seu primeiro romance - A traição de Rita Hayworth - que ficou aguardando publicação durante 3 anos, depois de vencer o Concurso Biblioteca Breve, da editora Seix Barral e de ser considerado o Melhor Romance de 1968-1969, pelo jornal francês Le Monde. A história, ambientada na cidade fictícia de Coronel Vallejos (em clara alusão a sua cidade natal, General Villegas), já esboça as características básicas de sua obra - associação de ideias, montagens, deslocamentos e emprego de estereótipos de gêneros considerados "menores": fotonovelas, radioteatro, folhetins.[2]

Em 1973 publicou The Buenos Aires Affair. Além de ter o romance censurado pelo governo argentino, Puig passou a receber ameaças telefônicas do grupo parapolicial conhecido como Triple A. Na sequência, decide mudar-se para o México, onde termina El beso de la mujer araña em 1976. O romance narra a história de dois prisioneiros, que compartilham a cela de uma prisão situada em algum país da América Latina. Um deles, Valentín Arregui é um militante político; o outro, Luís Molina, é um homossexual condenado por corrupção de menores. Valentín e Molina travam uma relação complexa, que se desenvolve dentro de uma atmosfera onírica, alimentada pelo cinema noir dos anos 1940.

Em 1981 Puig transfere-se para o Rio de Janeiro e adapta El beso de la mujer araña para o cinema. É principalmente graças ao filme brasileiro O Beijo da Mulher-Aranha (1985), dirigido por Héctor Babenco, que a obra do escritor ganhará notoriedade mundial. No filme, Sônia Braga faz o papel da Mulher Aranha; Valentín será interpretado por Raul Julia, e William Hurt será Molina, em atuação magistral, que lhe renderá o Oscar de melhor ator, em 1985. O livro será igualmente adaptado para o teatro musical, e o próprio Puig adaptou-o também para o teatro.

Na mesma época, escreveu, em língua portuguesa, o musical Gardel, uma lembrança .

En 1988 publicou seu último romance, Cae la noche tropical. Um ano depois, deixou o Brasil para voltar ao México, estabelecendo-se com sua mãe em Cuernavaca. Começou a escrever a novela Humedad relativa: 95%, mas não chega a concluí-la.[3] Estava cuidando da reforma da casa, quando teve uma crise de vesícula. Foi operado de emergência e faleceu, no dia seguinte ao da cirurgia.

Romances[editar | editar código-fonte]

  • A traição de Rita Hayworth - no original La traición de Rita Hayworth (1968)
  • Boquitas pintadas (1969)
  • The Buenos Aires Affair (1973)
  • O Beijo da Mulher Aranha - no original El beso de la mujer araña (1976)
  • Pubis angelical (1979)
  • Maldición eterna a quien lea estas páginas (1980)
  • Sangre de amor correspondido (1982)
  • Cae la noche tropical (1988)
  • Humedad relativa 95% (incompleto) (1990)

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]