Martha Batalha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Martha Mamede Batalha (Rio de Janeiro, 1973) é uma jornalista, editora e escritora brasileira.[1][2]

Estudou na PUC-Rio, onde se graduou em Jornalismo e mais tarde fez mestrado em Literatura Brasileira. Foi repórter e editora dos jornais O Dia, O Globo e Extra. Também colaborou com a revista Época.[3]

Fundou em 2003 a editora Desiderata, que publicou antologias de textos e ilustrações dos jornais humorísticos O Pasquim e O Planeta Diário. Também publicou obras de Millôr Fernandes, Ivan Lessa e André Dahmer e trouxe para o Brasil a exposição World Press Photo.[4] Vendeu a editora para a Ediouro em 2008.[5]

Prosseguiu seus estudos nos EUA, com um mestrado em Editoração na New York University, onde recebeu a bolsa Oscar Dystel.[6]

Seu primeiro romance, A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, foi vendido para editoras da Alemanha e Noruega antes mesmo de ser publicado no Brasil.[7]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 2016 - A Vida Invisível de Eurídice Gusmão

Referências

  1. É tudo verdade. Revista TPM, outubro de 2006. P. 100
  2. Editoras estrangeiras acolhem escritora brasileira rejeitada no país. Folha de S. Paulo, 23 de fevereiro de 2016
  3. Mulher 7x7. Época
  4. A dor do mundo pela lente do fotojornalismo. CRE Mário Covas, 3 de novembro de 2004
  5. Grupo Ediouro compra a editora carioca Desiderata. Folha de S. Paulo, 4 de janeiro de 2008
  6. NYU's Graduate Publishing Program Announces Winner of 2009 Oscar Dystel Fellowship. New York University, 4 de fevereiro de 2009 (em inglês)
  7. Quem sabe, sabe. Edição do Brasil, 12 de dezembro de 2015

Ligações externas[editar | editar código-fonte]