Metafísica (Aristóteles)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Metafísica (em grego clássico: τὰ μετὰ τὰ φυσικά, em latim: metaphysica) é um dos principais tratados do filósofo grego Aristóteles (século IV a.C.), bem como uma das principais obras da História da Filosofia como um todo. O título, a compilação e a organização foram realizadas após a morte de Aristóteles, provavelmente por Andrônico de Rodes. O nome "metafísica" literalmente significa "depois (do livro) da Física", e possivelmente foi atribuído por se tratar de uma obra que continua e desenvolve questões estabelecidas previamente na Física de Aristóteles. Todavia, por feliz coincidência a expressão τὰ μετὰ τὰ φυσικά, quando se dá a μετὰ o sentido de "além" ou "acima", assume um significado que se presta perfeitamente para indicar o próprio conteúdo, ou seja, a pesquisa sobre o ser suprassensível e transcendente, que é o objeto dos catorze livros aos quais tal expressão foi imposta como título[1]. Neste, é desenvolvido um minucioso estudo de ontologia, isto é, do "ser" abrangendo sua relação com causalidade, bem como os conceitos de forma, matéria, potência e ato, bem como o estatuto ontológico de objetos matemáticos e o desenvolvimento de sua teologia. Nas expressões do próprio Aristóteles, sua metafísica é chamada de a "Filosofia Primeira" (em grego: τὰ περὶ τῆς πρώτης φιλοσοφίας, daquilo sobre a filosofia primeira), sendo esta a "ciência das causas primeiras", ou a "ciência do ser" - mas não do ser na da medida em que é atribuído a algo, mas enquanto ser em si mesmo, i.e. "ser qua (enquanto) ser".

Resumo[editar | editar código-fonte]

O tratado Metafísica é composto por quatorze livros: Alpha (Α); 2, alpha menor (α); 3, Beta (Β); 4, Gamma (Γ); 5, Delta (Δ); 6, Epsilon (Ε); 7, Zeta (Ζ); 8, Eta (Η); 9, Theta (Θ); 10, Iota (Ι); 11, Kappa (Κ); 12, Lambda (Λ); 13, Mu (Μ); 14, Nu (Ν):

Livros I-VI[editar | editar código-fonte]

Livro I Alpha (Α) descreve a "Filosofia Primeira" e seus objetivos enquanto uma ciência que se ocupa do conhecimento dos primeiros princípios e da causa primeira dos seres.

Livro II alpha menor (α) nomeado como "pequeno alpha", possivelmente porque fora esquecido de uma primeira tentativa de compilação e posteriormente percebeu-se que não poderia ter sido elaborado antes do já estabelecido Livro Alpha nem após o Livro Beta. Seu objetivo é oferecer uma ideia de como são adquiridos os primeiros princípios e o próprio conhecimento.

Livro III Beta (Β) é um livro aporético, ou seja, livro que apresenta uma lista de aporias (i.e. dificuldades) relacionadas aos problemas filosóficos que interessam a Aristóteles[2]

Livro IV Gamma (Γ) apresenta os princípios necessários para o estabelecimento de uma ciência do ser, entre os quais o princípio de não-contradição - dito o princípio mais firme de todos.

Livro V Delta (Δ) é léxico filosófico, apresentando uma lista de conceitos e suas definições.

Livro VI Epsilon (Ε) tem dois objetivos principais: a hierarquia das ciências - que pode ser tanto produtiva, prática como teórica. Uma vez que as ciências teóricas se ocupam do ser e dos seres, Aristóteles estabelece que uma ciência que se ocupe do ser na medida em que é ser seria a Filosofia Primeira, a mais elevada de todas as ciências, porque se ocupará do fundamento último da realidade. Outra preocupação do Livro VI é provar que o ser (τὸ ὄν) quando considerado por acidente (κατὰ συμβεβηκός) não pode ser estudado como uma ciência.

Livros VII-IX[editar | editar código-fonte]

Considerados os livros centrais e mais importantes da Metafísica.

Livro VII Zeta (Ζ) é conhecido como o tratado do ser, pois reúne as principais discussões relacionadas ao estudo do ser. É iniciado como a afirmação de que o "ser é dito de muitos modos", e explora essa pluralidade, buscando também responder o que é o ser (na medida em que ele é ser, e não um atributo).

Livro VIII Eta (Η) consiste em um resumo da discussão previamente estabelecida no livro VII e adiciona detalhes sobre a relação da substância com os conceitos de potência, ato e diferença, bem como desenvolve a questão da unidade da substância.

Livro IX Theta (Θ) desenvolve as noções de potência e ato.

Livros X-XIV[editar | editar código-fonte]

Livro X Iota (Ι) apresenta uma discussão sobre unidade, um e muitos, igualdade e diferença.

Livro XI Kappa (Κ)

Livro XII Lambda (Λ)

Livro XIII Mu (Μ)

Livro XIV Nu (Ν) apresenta uma filosofia dos seres matemáticos, em particular quantos números existem.


Traduções em português[editar | editar código-fonte]

Traduções diretas do texto original grego da Metafísica de Aristóteles:

  • ANGIONI, Lucas (2008). Aristóteles: Metafísica - Livros I, II e III. Campinas, Brasil: IFCH/UNICAMP.
  • ANGIONI, Lucas (2007). Aristóteles: Metafísica - Livros IV e VI. Campinas, Brasil: IFCH/UNICAMP.
  • ANGIONI, Lucas (2005). Aristóteles: Metafísica - Livros VII-VIII. Campinas, Brasil: IFCH/UNICAMP.
  • ANGIONI, Lucas (2005). Metafísica de Aristóteles - Livro XII. Cadernos de História e Filosofia da Ciência 15 (1).
  • ANGIONI, Lucas (2003). Metafísica de Aristóteles - Livro V (Delta), 1-8. Phaos 3:5-21.
  • ANGIONI, Lucas (2017). Metafísica de Aristóteles - Livro V (Delta), 9-18. Dissertatio 46:173-183.
  • ANGIONI, Lucas (2019). Metafísica de Aristóteles - Livro V (Delta), 18-30. Dissertatio 48:286-294.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Metafísica (Aristóteles)


  1. Reale, Giovanni (2001). Aristóteles Metafísica. São Paulo: Edições Loyola. p. 27. ISBN 85-15-02361-X 
  2. Rrobert Maynard Hutchins (1952), Great Books of the Western World 8: Aristotle, p. 495