Mujer, casos de la vida real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde fevereiro de 2010).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Logotipo da série.

Mujer, casos de la vida real foi uma série de televisão mexicana produzida pela Televisa entre 1985 e 2005. A cada episódio o programa abordava histórias ficticias sobre problemas comuns como: desilusões amorosas, traições, maus tratos, diferentes abusos físicos e psicologísticos, incesto, prostituição, violência doméstica, entre outros.

Histórico[editar | editar código-fonte]

No decorrer dos primeiros anos, o programa conduzido por Silvia Pinal apresentou muitas histórias de amor, alegres e leves. A suavidade do programa era necessária na década de 80, tendo em vista que temas violentos não eram debatidos na televisão mexicana.

Com a entrada dos anos 90, no entanto, a série ousou tratar de temas mais arriscados, apresentando casos de aborto, abuso infantil, sequestro, homossexualidade, incesto, prostituição, vandalismo, câncer, AIDS e muitos outros. Tais mudanças levou o programa a discutir temas que normalmente se mantinham longe da opinião pública.

Durante todo o tempo que ficou no ar, mais de 20 anos, a série manteve ótimos números de audiência,

Elenco[editar | editar código-fonte]

Com um elenco dinâmico, a cada episódio apresentava novos artistas. Em algumas ocasiões convidavam os protagonistas reais dos casos expostos para dar um testemunho de maneira anonima, ou até mesmo, revelando sua identidade. Sem embargo, o programa foi também uma plataforma de lançamento para atores e atrizes em início de carreira ou retornando ao cenário artístico.

Alguns artistas que se destacaram nas artes cênicas e que já passaram pela série são:

ARTISTA ANO EPISÓDIO
Iran Castillo 1991 El anzuelo
Kuno Becker 1997 Que hacen nuestros hijos?
Anahí 1997
Dulce María 1998 Niño Problema
Valentino Lanus 2001 Corazón de puerto
Alfonso Herrera 2002 Aborto
Ana Layevska 2002 Escandalo
Daniela Lujan 2003 La custodia

Temas musicais[editar | editar código-fonte]

Desde o principio o programa era embalado por um som instrumental. Apenas em 2005 estreou o tema musical composto por Eduardo Antonio llamado "Mujer", e em 2006 Alejandra Guzmán (filha de Pinal) interpretou outro tema de mesmo nome.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

TV Y NOVELAS[editar | editar código-fonte]

ANO CATEGORIA PROGRAMA RESULTADO
2001 Mejor programa dramático Mujer, casos de la vida real Ganadora
2002 Mejor programa dramático Mujer, casos de la vida real Ganadora
2006 Mejor Programa de Comedia o Serie Mujer, casos de la vida real Nominada


Premios especiales TVyNovelas (México)[editar | editar código-fonte]

  • Melhor série transmitida por 5 anos consecutivos (1991): Silvia Pinal.
  • Por 10 anos de permanência no ar (1996): Mujer, casos de la vida real.3
  • Melhor série de conteúdp social (2005) - Mujer, casos de la vida real
  • Serie com mais tempo de exibição: Mujer, casos de la vida real (2007): Silvia Pinal.

Exibição no Brasil[editar | editar código-fonte]

Casos da Vida Real estreou nas tardes do SBT em 5 de janeiro de 2004.[1]

Apresentado por Silvia Abravanel, o programa apresentava histórias verdadeiras encenadas por atores mexicanos. Cada programa era de acordo com um tema, era uma versão do programa mexicanos Casos de la vida real. O último programa foi exibido no dia 27 de fevereiro de 2004.

Referências

  1. Filha de Silvio Santos faz teste no SBT Folha de S.Paulo (19 de dezembro de 2003). Visitado em 19 de maio de 2015.
Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.