Mulhouse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mulhouse
Bollwerk — Restos dos muros da cidade
Bollwerk — Restos dos muros da cidade
Bandeira de Mulhouse
Bandeira
Brasão de armas de Mulhouse
Brasão de armas
Mulhouse está localizado em: França
Mulhouse
Localização de Mulhouse na França
Coordenadas 47° 44' 57" N 7° 20' 24" E
País  França
Região Coats of arms of None.svg Grande Leste
Departamento Blason département fr Haut-Rhin.svg Alto Reno
Área
 - Total 22,18 km²
Altitude 240 m
População (2010) [1]
 - Total 109 588
    • Densidade 4 940,8 hab./km²
Gentílico Mulhousiano
Código Postal 68100 / 68200
Código INSEE 68224
Sítio http://www.mulhouse.fr

Mulhouse (Mulhouse em francês, Mülhausen em alemão, pronúncia em alsaciano Milhüsa) é a maior comuna do departamento (département) francês do Haut-Rhin e a segunda da região Grande Leste, depois de Estrasburgo. É atravessada por dois rios, o Doller e o Ill, afluentes do rio Reno. Mulhouse situa-se a aproximadamente 30 km ao norte de Basileia, na Suíça, a 15 km da fronteira franco-alemã e a 120 km ao sul de Estrasburgo.

História[editar | editar código-fonte]

Fachadas da prace da Reunião
Templo Saint-Etienne

O nome da cidade tem origem no alemão Mühlhausen (moinhos), pois as primeiras instalações sedentárias foram moinhos construídos à beira dos dois rios que banham a cidade. O símbolo da cidade é, naturalmente, uma roda de moinho.

Os primeiros traços escritos datam do século XII. Ela foi membro da Decápole, associação de cidades livres de Grande Leste, aliadas à Confederação Suíça. Mulhouse foi uma república germânica independente até sua reunião à França, em 4 de janeiro de 1798.

Por causa dessa união tardia com a França, e também porque a cidade não tinha grande importância na época, seu papel administrativo permaneceu limitado. Assim, Colmar, hoje com muito menos habitantes, ainda é a capital do departamento.

O desenvolvimento de Mulhouse foi estimulado pela expansão da indústria têxtil, depois pelas indústrias químicas e indústrias mecânicas a partir do meio do século XVIII. Mulhouse mantém nessa época relações privilegiadas com a Luisiana, de onde importa o algodão, assim como com o Oriente. Isso explica por que seu centro histórico é pequeno se comparado ao resto da cidade.

Mulhouse é constituída principalmente da cidade baixa e da cidade alta.

  • A cidade baixa era, antigamente, o bairro dos mercadores e artesãos. Desenvolveu-se ao redor da Praça da Reunião, assim chamada em comemoração da união da cidade à França. Hoje em dia é um espaço de uso exclusivo de pedestres.
  • A cidade alta desenvolveu-se a partir do século XVIII. Diversas ordens monásticas ali se estabeleceram, principalmente os Franciscanos, os Augustinos, os Clarisses e os Cavaleiros de Malta.
  • O Bairro Novo é o primeiro exemplo de urbanismo planeado em Mulhouse, a partir de 1826, após a destruição dos muros da cidade (como em diversas cidades francesas). Ele se concentra em torno da praça da República.
  • O bairro do Rebberg compreende as mansões inspiradas pelas residências a pórticos e colunas dos plantadores de algodão da Luisiana. No início, esse espaço era ocupado pelos vinhedos da cidade (reb: vinha ; berg: colina). Ali se encontram casas de inspiração inglesa: os cottages, em referência à aproximação com Manchester, principalmente quando das viagens dos filhos de famílias de industriais à Inglaterra para estudos.

O prédio da prefeitura (hôtel de ville) (1553) tem estilo renascentista renano. Vendo-o, Montaigne qualifica-o de « palais magnifique et tout doré » (palácio magnífico e todo dourado) em 1580. Suas pinturas e alegorias representando os vícios e as virtudes contribuem para sua reputação. As pinturas da sala do Conselho representam os brasões dos cantões suíços com os quais a cidade era aliada.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sociedade industrial

O desenvolvimento industrial, motor do desenvolvimento da cidade, foi primeiramente resultado da indústria têxtil, depois das atividades industriais mecânicas e químicas. Alguns elementos desses setores sobreviveram até hoje, mas a crise que atacou a indústria têxtil após a Segunda Guerra Mundial prejudicou duramente Mulhouse. Uma grande reorientação ocorreu com a implantação de um centro de produção automobilística em 1962 (Peugeot). A notar, também, a proximidade das minas de potássio da Grande Leste, ao norte da cidade, grande fonte de emprego durante todo o século XX.

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Monumentos e atrações turísticas[editar | editar código-fonte]

A prefeitura de Mulhouse
O museu nacional do automóvel
  • Hôtel de ville do século XV.
  • Praça da Bolsa e prédio da Sociedade Industrial de Mulhouse do século XIX.
  • Museu do Automóvel (coleção Schlumpf).
  • Museu das Estradas de Ferro.
  • Museu da Eletricidade (Electropolis).
  • Museu de Impressão em Tecidos.
  • Jardim Zoológico e botânico.
  • EcoMuseu alsaciano (Museu de casas antigas da Grande Leste, para lá transportadas e restauradas).
  • Torre do Belvédère. Panorama 360°.

No centro da cidade encontra-se a Torre da Europa, com uma altura de 106 metros, terminada em 1972 pelo arquiteto François Spoerry. Este prédio de 180 apartamentos tem em seu terraço um restaurante panorâmico que tem a particularidade de girar 360°, permitindo a observação de todo o panorama (Jura, Floresta Negra, Alpes suíços) durante a refeição. Avistada de longe, ela se tornou desde a sua construção o símbolo da cidade de Mulhouse.

Herança de suas relações com os cantões suíços, a utilização de frescos para embelezar as casas da cidade é frequente. O mais belo exemplo é a prefeitura, sem esquecer os diversos prédios do centro da cidade antiga.

Cidades geminadas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Mulhouse

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Populations légales des communes en vigueur au 1er janvier 2013». www.insee.fr (em francês). INSEE. Dezembro de 2012. Consultado em 3 de abril de 2013.