Ned Stark

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eddard "Ned" Stark
Personagem ficcional de
A Song of Ice and Fire e Game of Thrones
Ned como retratado na série da HBO por Sean Bean.
Criado(a) por George R. R. Martin
Adaptado(a) por David Benioff
D. B. Weiss
(Game of Thrones)
Interpretado(a) por Sean Bean
Sebastian Croft (criança)
Robert Aramayo (adolescente)
Descrição ficcional
Codinomes conhecidos Lobo Quieto
Sexo Masculino
Título(s) O Senhor Guardião do Norte
O Senhor de Winterfell
O Senhor Mão
O Lorde Regente do Reino
O Protetor do Território
Ocupação Mão do Rei (conselheiro real)
Regente
Família Casa Stark
Parentesco Catelyn Stark (esposa)
Robb Stark (filho)
Sansa Stark (filha)
Arya Stark (filha)
Bran Stark (filho)
Rickon Stark (filho)
Jon Snow (filho)
Rickard Stark (pai)
Lyarra Stark (mãe)
Brandon Stark (irmão)
Benjen Stark (irmão)
Lyanna Stark (irmã)
Série de Televisão:
Jon Snow (sobrinho)
Aparições
Temporada(s) 1, 6, 7
Primeira aparição Literatura:
A Game of Thrones (1996)
Série de Televisão:
"Winter Is Coming" (2011)
Última aparição Literatura:
A Game of Thrones (1996)
Série de Televisão:
"The Dragon and the Wolf" (2017)

Eddard "Ned" Stark é uma personagem fictícia da série literária de fantasia A Song of Ice and Fire, do autor norte-americano George R. R. Martin, e da adaptação televisiva do HBO, Game of Thrones, onde é interpretado por Sean Bean.[1] Em ambas as mídias, ele é conhecido apenas por "Ned" e introduzido como o honorável Lorde de Winterfell, uma antiga fortaleza no Norte do fictício continente de Westeros.

No primeiro livro da série, A Game of Thrones (1996), Ned é nomeado o Mão do Rei para servir de conselheiro real do Rei Robert Baratheon. Descobrindo-se uma figura-chave na escalada da intriga política em Porto Real, a capital do reino, ele luta consigo mesmo enquanto seu próprio senso de honra o atrai para os acontecimentos corruptos que se instalam na corte. À medida que a história se desenrola, ele começa a ver a necessidade de compromissos morais e práticos para alcançar um final justo e, em última instância, é forçado a escolher entre a segurança de sua família e fazer o que considera certo.[2][3]

Série literária[editar | editar código-fonte]

Brasão de armas da Casa Stark, com o lema "O Inverno Está Chegando".

Eddard "Ned" Stark é o segundo filho de Rickard Stark, o Lorde de Winterfell. Anos antes dos acontecimentos narrados no primeiro livro, A Game of Thrones, o tímido e quieto Ned foi criado no Vale por Jon Arryn. Durante esta época ele faz grande amizade com Robert Baratheon, herdeiro das Terras da Tempestade e outra das crianças de quem Arryn foi mentor. Robert é prometido como marido à irmã de Ned, Lyanna, mas antes que eles pudessem se casar, o príncipe Rhaegar Targaryen (que já é casado com a princesa de Dorne, Elia Martell e tem dois filhos, Aegon e Rhaenys) foge com ou rapta Lyanna. O pai de Ned e o irmão mais velho, Brandon, vão ao rei Aerys II Targaryen e exigem a libertação de Lyanna. O chamado "Rei Louco" executa os dois, convencido de que os Stark querem usurpar seu poder. Assim, Ned, Robert e Arryn se rebelam contra a coroa e iniciam uma revolta, com o apoio da Casa Tully, pelo casamento de Ned com Catelyn Tully. Ned parte para a guerra na manhã seguinte ao casamento.

Na decisiva Batalha do Tridente, Robert mata o príncipe Rhaegar e faz debandar o exército Tangaryen, mas é ferido na batalha; Ned então assume o comando e marcha para capital. Chegando em Porto Real, ele descobre que a Casa Lannister – através de uma traição – saqueou a cidade e matou Aerys e a família real. Desgostoso com esse massacre desonroso, Ned parte para levantar o cerco da fortaleza de Baratheon, Storm's End, e mais tarde tenta resgatar Lyanna, mas encontra sua irmã morrendo; suas últimas palavras são: "Prometa-me Ned". Com o fim da guerra, ele volta para Winterfell com seu filho bastardo recém-nascido, Jon Snow, enquanto Robert Baratheon se torna o rei de Westeros. Neste meio tempo, Catelyn tinha dado a luz a seu filho e herdeiro de Ned, Robb, concebido na noite de núpcias.

Seis anos após a rebelião de Robert e Ned, Balon Greyjoy, o lorde das Ilhas de Ferro, declara independência do Trono de Ferro. Ned ajuda o rei Robert a por um fim a esta revolta. Balon se rende e seu herdeiro sobrevivente, Theon Greyjoy, é levado para Winterfell como refém e passa a ser criado por Ned, que governa o Norte por mais nove anos até que os eventos do primeiro livro tem início.[4]

A Game of Thrones[editar | editar código-fonte]

Quando o livro começa, Catelyn informa a Ned que seu mentor John Arryn morreu e que o rei Robert pretende oferecer a ele o cargo de Mão do Rei, a antiga posição de Arryn. Feliz de viver longe das intrigas da corte, ele reluta em aceitar até receber uma carta da viúva de Jon, dizendo que ela acredita que o marido foi envenenado pelos Lannister. Ned então aceita a função para proteger o rei e viaja para Porto Real com as filhas Sansa a Arya. Mais tarde, Catelyn chega secretamente à cidade, sob a proteção do amigo de infância Petyr "Mindinho" Baelish, para contar ao marido da tentativa de assassinato do filho menor, Bran. A antiga desconfiança de Ned sobre os Lannister posteriormente aumenta pela confirmação de "Mindinho" que a adaga usada na tentativa de assassinato certa vez pertenceu a Tyrion Lannister. Cada vez mais desgostoso com o ambiente de intrigas da corte, Ned renuncia ao posto de Mão de Rei quando Robert insiste em que a jovem sobrevivente da dinastia Targaryen, Daenerys Targaryen, seja assassinada no exílio. Neste meio tempo, Catelyn aprisionou Tyrion no Ninho da Águia, o castelo de sua irmã Lysa, e em retaliação Jaime Lannister ataca e fere Ned numa rua, antes que ele e as filhas possam partir de Porto Real. Visitando o amigo ferido, Robert o designa novamente como Mão do Rei.[4]

Depois de investigar, Ned conclui que os filhos de Robert na verdade não são dele, mas produto do incesto de sua esposa, a rainha Cersei Lannister, com o irmão gêmeo, Jaime; mais ainda, suspeita que Jon Arryn foi morto por descobrir a verdade. Ned confronta Cersei com a verdade e lhe dá a oportunidade de fugir com os filhos para o exílio. Antes que ele possa contar a verdade ao rei, Robert é mortalmente ferido numa caçada e nomeia Ned como Protetor do Reino, para atuar como Regente até que seu "filho" e de Cersei, Joffrey Baratheon, alcance a idade ideal para governar. Ned altera o testamento do rei, trocando o nome de Joffrey por "meu legítimo herdeiro" para deixar a sucessão ambígua. Com o palácio transformado num caos, Ned rejeita todas as tentativas de aumentar seu próprio poder, e ao invés disso opta por coroar o irmão de Robert, Stannis Baratheon, como rei. Cersei, porém, manobra pelas costas de Ned e o dúbio "Mindinho" faz com que a guarda da cidade o prenda e mate a entourage que o acompanhou desde Winterfell até Porto Real. Preso, com sua filha Sansa feita de refém e a outra, Arya, desaparecida, seus soldados e servos mortos, ele é acusado de traição por Cersei e pelo filho Joffrey, que assumiu o trono. Um acordo é feito para que Ned seja expulso e exilado, se ele jurar lealdade a Joffrey. Temeroso por suas filhas, ele aceita. Mesmo assim, o sádico jovem rei Joffrey o executa em público, mandando decapitá-lo na frente da filha.[4]

Em livros posteriores, a prisão de Ned coloca as forças dos Lannister e dos Stark uma contra a outra e sua execução provoca uma guerra chamada de Guerra dos Cinco Reis. Tyrion eventualmente retorna os ossos de Ned Stark para Catelyn, mas nunca é confirmado se eles chegaram a Winterfell.[5]

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Série de televisão[editar | editar código-fonte]

1ª temporada (2011)[editar | editar código-fonte]

O rei Robert Baratheon pede a seu velho amigo Eddard "Ned" Stark que assuma a posição de Mão de Rei do reino, após a morte súbita do mentor de ambos e ocupante do cargo. Jon Arryn. Sem interesse nas intrigas e na política da corte, Ned acaba aceitando como um dever, assim como descobre porque Arryn morreu. A morte tem a ver com a descoberta de um segredo: os três filhos dele com a rainha, Cersei Lannister, são na verdade produto de um incesto entre ela e o irmão gêmeo, Jaime Lannister, e Ned faz a descoberta assim que Robert morre, numa armadilha durante uma caçada. Antes que ele possa neutralizar o plano dos Lannister de entronar o pseudo-filho mais velho de Robert e Cersei, Joffrey Baratheon, e colocar o irmão de Robert, Stannis Baratheon, no trono, Ned é traído por "Mindinho" e Cersei o prende por traição. Depois de um acordo, ele faz uma confissão pública de lealdade a Joffrey, agora coroado como novo rei, para salvar as duas filhas, Arya e Sansa Stark, que haviam ido com ele para a capital do reino, em troca de ser apenas exilado. O sádico Joffrey descumpre o acordo e manda executá-lo.[6]

6ª temporada (2016)[editar | editar código-fonte]

Bran Stark tem uma visão do pai Ned quando criança, com os irmãos Lyanna e Benjen; num episódio posterior, o vê já jovem numa luta de espadas com o cavaleiro Ser Arthur Dayne numa torre. No último episódio da temporada, Bram o vê reunido com a irmã Lyanna, no leito de morte dela na torre. Ela o faz jurar que protegerá seu filho – Jon Snow.[7]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Sean Bean é Ned Stark na série de TV.

Em janeiro de 2007, a HBO garantiu os direitos de adaptar a série de Martin para a televisão.[8][9] Quando o piloto entrou em produção em 2009, um dos primeiros anúncios de elenco foi Sean Bean como o "líder" Eddard Stark.[10][11]Quando o show estreou em 2011, o The Los Angeles Times chamou Ned de Bean como "o forte e taciturno headliner da série".

O produtor executivo e escritor D. B. Weiss disse ao Entertainment Weekly em 2011 que quando ele e David Benioff apresentaram a série para a HBO, o fato de que o "personagem principal" Ned estava programado para morrer "foi um ponto de venda para eles".[12] Observando que a emissora já matou personagens em outras séries de sucesso, ele disse que essa sensação de perigo "aumenta completamente a aposta para qualquer momento quando um personagem está em uma situação terrível se você sabe que outro personagem não sobreviveu a uma situação semelhante".[12]

Além do ator inglês Sean Bean, Ned Stark é interpretado por Sebastian Croft e Robert Aramayo quando aparece em flashback como criança e como jovem na sexta temporada. Bean foi indicado para o Saturn Award de melhor ator em televisão,[13] e para o Scream Award de Melhor Ator de Fantasia, pelo papel.[14] Ele e todos os demais atores do elenco foram indicados para o Screen Actors Guild Award de melhor elenco em série de drama em 2012.[15]

Sean Bean descreve a personagem: "Ned é um bom homem tentando fazer o seu melhor no meio de toda esta corrupção, um peixe fora d'água; ele está acostumado a viver no Norte, em Winterfell, onde as pessoas são diretas e pragmáticas, e vai para um lugar onde as pessoas fazem jogos e se esfaqueiam pelas costas... ele é um homem de princípios que tenta manter as coisas juntas. Esta é uma jornada que ele percorre, onde ao fim dela são sua lealdade e seus princípios que causam sua queda.[16]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Quando a série estreou, em 2011, The Los Angeles Times saudou Ned Stark como o "forte e principal protagonista da série". Entretanto, sua morte ao fim da 1ª temporada, para quem não conhecia os livros, causou uma forte comoção entre fãs da série e críticos. James Hibberd da Entertainment Weekly observou:"Esta é provavelmente a primeira vez que uma série dramática norte-americana matou seu personagem principal na primeira temporada como parte de seu plano criativo principal ... isto é apenas ... não feito. Você não contrata uma estrela, coloca sua imagem em placas de ponto de ônibus e em anúncios de revistas para divulgar o show, consegue que os espectadores se interessem pela história e então o demite antes mesmo do fim da primeira temporada só porque isto indiscutivelmente torna a história um pouco mais interessante.[17] Hibberd fez eco à declaração dos produtores da série:"este movimento estabelece um precedente dramático para a história: ninguém está a salvo".[17] Ele considerou a morte de Stark como um risco para a série de tv que talvez a fizesse perder espectadores fãs de Bean mas que ao mesmo tempo poderia trazer novos espectadores impressionados pela audácia disso.[2]

A presidente de programação da HBO Sue Nagle concordou com a "audácia", dizendo que por mais que Sean Bean pudesse trazer seguidores para a série, a verdadeira estrela de Game of Thrones é a própria história, acrescentando que a morte de Ned fez o show mais criativamente atrativo: "o livro de Martin é cheio de surpresas e reviravoltas inesperadas. Adorei essa idéia de que reuniríamos o grupo de personagens, e então, quando você começa a acreditar em todos os tropos de heróis, você puxa o tapete debaixo deles. É o oposto de se sentir manipulado".[3] O próprio Sean Bean, que o vive na série, que nunca tinha lido o livro antes e recebeu seu roteiro por partes durante as gravações, disse que a morte de Ned foi uma surpresa para ele tanto quanto para todo mundo e a chamou de "um ato muito corajoso para uma rede de televisão". O site de entretenimento IGN nomeou "Ned Stark" como o Melhor Herói da TV em 2011..[18]

Referências

  1. «Game of Thrones: Lord Eddard "Ned" Stark». HBO. Consultado em 19 de agosto de 2014 
  2. a b Hibberd, James (12 de junho de 2011). «Game of Thrones recap: The Killing». Entertainment Weekly. p. 1. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  3. a b Hibberd, James (13 de junho de 2011). «HBO defends Game of Thrones shocker». Entertainment Weekly. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  4. a b c Martin, George R. R. (1996). A Game of Thrones. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-553-89784-5 
  5. Martin, George R. R. (1998). A Clash of Kings. [S.l.: s.n.] ISBN 0-553-10803-4 
  6. «Game of Thrones Episodes». HBO. Consultado em 25 de julho de 2017 
  7. Robinson, Joanna (26 de junho de 2016). «All The Times Game of Thrones Tried to Tell You Who Jon Snow's Parents Are». Vanity Fair. Consultado em 27 de junho de 2016 
  8. Radish, Christina (2013). «Producers David Benioff, Dan Weiss & George R.R. Martin Talk Game of Thrones Season 3 and 4, Martin's Cameo, the End of the Series, and More». Collider.com. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  9. Fleming, Michael (16 de janeiro de 2007). «HBO turns Fire into fantasy series». Variety. Consultado em 11 de julho de 2014. Cópia arquivada em 16 de maio de 2012 
  10. Kit, Borysm; Andreeva, Nellie (19 de julho de 2009). «Sean Bean to ascend to Thrones». The Hollywood Reporter. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  11. Martin, George R.R. (19 de julho de 2009). «Not A Blog: A Casting We Will Go». GRRM.livejournal.com. Consultado em 20 de julho de 2009. Cópia arquivada em 27 de dezembro de 2009 
  12. a b Hibberd, James (12 de junho de 2011). «Game of Thrones shocker! Producers explain tonight's horrific twist». Entertainment Weekly. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  13. «Nominations for the 38th Annual Saturn Awards». Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films. 29 de fevereiro de 2012. Consultado em 29 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 29 de fevereiro de 2012 
  14. Murray, Rebecca. «2011 SCREAM Awards Nominees and Winners». About.com. IAC. Consultado em 16 de janeiro de 2013 
  15. «AWARDS». Screen Actors Guide Awards. Consultado em 25 de julho de 2017 
  16. Hibberd, James (12 de junho de 2011). «Sean Bean talks Game of Thrones Episode 9». Entertainment Weekly. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  17. a b Hibberd, James (12 de junho de 2011). «Game of Thrones recap: The Killing». Entertainment Weekly. p. 7. Consultado em 17 de agosto de 2014 
  18. «Television - Best of 2011». IGN. Consultado em 7 de julho de 2016