Cersei Lannister

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cersei Lannister
Game of Thrones 2011 logo.svg
Cersei-Lannister.jpg
Outro(s) nome(s) A Senhora de Rochedo Casterly
A Luz do Oeste
A Rainha Regente
A Rainha Mãe
Sexo feminino
Ocupação Rainha dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens; Protetora dos Sete Reinos (série de TV)
Família Casa Lannister
Tywin Lannister (pai)
Joanna Lannister (mãe)
Jaime Lannister (irmão)
Tyrion Lannister (irmão)
Kevan Lannister (tio)
Lancel Lannister (primo)
Casa Baratheon
Robert Baratheon (marido)
Joffrey Baratheon (filho)
Myrcella Baratheon (filha)
Tommen Baratheon (filho)
Status viva (livros)
morta (série de TV)
Criado por George R. R. Martin
Primeira aparição Livros:
A Game of Thrones (1996)
Série de TV:
"Winter is Coming" (2011)
Jogo:
"Iron from Ice" (2014)
Interpretado por Lena Headey

Cersei Lannister é uma personagem fictícia dos livros da série As Crônicas de Gelo e Fogo, escritos pelo autor norte-americano George R. R. Martin, e de sua adaptação para a televisão Game of Thrones. Enquanto nos livros ela é uma personagem apenas narradora da história, na série televisiva ela tem presença física e é interpretada pela atriz britânica Lena Headey.

Introduzida no primeiro livro da série, A Game of Thrones (1996), ela é um membro da Casa Lannister, uma das mais ricas e poderosas famílias do reino de Westeros. Na história, Cersei Lannister, a rainha dos Sete Reinos de Westeros, é a esposa do rei Robert Baratheon. Seu pai, Tywin Lannister, arranjou esta união após sua tentativa de entregá-la em casamento a Rhaegar Targaryen, como ela queria, ter falhado, e a dinastia Targaryen ter perdido a guerra. Tywin então tornou-se um conselheiro do rei Robert, cujo maior interesse na união era saber que a riqueza e o poder dos Lannister o ajudariam a conquistar o trono. Cersei tem um irmão gêmeo, Jaime, com quem tem um caso incestuoso; todo seus três filhos são filhos dele. O maior atributo de sua personalidade é a ambição pelo poder.

Perfil[editar | editar código-fonte]

Cersei é a filha mais velha e única mulher de Tywin Lannister e sua esposa Joanna, com seu irmão gêmeo Jaime nascendo pouco depois. Os dois eram tão parecidos em criança que várias vezes ela usava as roupas do irmão e era confundida com ele.[1] Eles chegaram ao ponto de ter experiências sexuais juntos na infância mas foram descobertos por um serviçal, que informou à mãe, que decidiu separá-los e manteve o fato em segredo do marido, ameaçando os dois de contar ao pai se eles repetissem aquilo. Aos 11 anos, Jaime foi enviado para servir como escudeiro a Lorde Sumner Crakehall, que deixou Cersei magoada.[2] Pouco depois Joanna morreu enquanto dava à luz ao terceiro filho, o anão Tyrion, a quem Cersei culpou pela morte da mãe e começou a abusá-lo desde que era um bebê. O autor da história, George R. R. Martin, descreveu Cersei numa entrevista como "alguém com um grande nível de narcisismo, com uma visão quase sociopata do mundo e da civilização".[3]

Nos livros[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Tywin Lannister esperava casar a filha desde adolescente com Rhaegar Targaryen e rejeitou a proposta do príncipe de Dorne de casar seus irmãos mais novos Oberyn Martell e Elia Martell com ela e com Jaime respectivamente. Cersei se apaixonou por Rhaegar e escondeu esta paixão de seu irmão, como seu pai lhe aconselhou.[4] Durante sua adolescência, acreditando que seu casamento com Rhaegar Targaryen iria ser anunciado em breve, Cersei foi com duas amigas, Melara Hetherspoon e Jeyne Farman, a uma bruxa, Maggy. Jeyne, morrendo de medo, deixou logo a tenda mas Cersei e Melara ficaram e exigiram de Maggy que fizesse uma profecia, ameaçando a bruxa. Intimidada com as ameaças de Cersei, ela fez três profecias: que ela iria casar com um rei, não com um príncipe, e que seria trocada por uma mulher mais nova e mais bonita; que seus filhos morreriam ainda durante a vida dela e que seu "pequeno irmão" iria por fim à sua vida. Melara então perguntou à bruxa se ela se casaria com o irmão de Cersei, Jaime, e ouviu que não, e que sua vida se encerraria em breve, naquela mesma noite, implicando em que Cersei mataria a amiga para impedi-la de falar sobre a profecia.[4] Cersei passou toda sua vida tentando evitar que as profecias da bruxa se realizassem e desenvolveu uma grande paranoia sobre isso.

Um ano depois, Aerys Targaryen rejeitou a proposta de casamento de seu filho mais velho, Rhaegar, com Cersei, humilhando Tywin Lannister.[4] Cersei então foi enviada por seu pai para Porto Real e nos anos seguintes ele recusou todas as outras ofertas de casamento. Quando os gêmeos tinham quinze anos, Jaime, que há pouco tempo tinha sido feito cavaleiro no campo de batalha, parou em Porto Real em sua volta para Rochedo Casterly para visitar sua irmã de quem estava separado há anos. Ela o informou que seu pai pretendia casá-lo com Lysa Tully, filha de Lord Hoster Tully, e o persuadiu a se juntar à Guarda Real para ficar perto dela, após dormirem juntos pela primeira vez.[2] Os dois começaram um caso que durou até a manhã do casamento de Cersei com Robert Baratheon, que se tornou rei após usurpar o Trono de Ferro. Apesar dela estar alegre com o casamento, Baratheon era um homem que nunca a amou de verdade e a traía repetidamente.[5] Assim, ela reatou seu romance com o irmão e teve três filhos dele, Joffrey, Tommen e Myrcella, como sendo filhos de Robert Baratheon.

A Game of Thrones[editar | editar código-fonte]

Robert Baratheon, Cersei e a maioria da corte visitam o Norte para nomear Ned Stark como a Mão do Rei. Durante a visita real a Winterfell, o castelo da Casa Stark, o filho de Ned, Bran Stark, surpreende Cersei e Jaime cometendo incesto numa torre. Para prevenir que o crime e o adultério sejam descobertos, Jaime empurra Bran do alto da torre; ele sobrevive, mas não tem nenhuma memória do que aconteceu e fica paraplégico.[5]

Eventualmente, Ned descobre a verdade sobre a infidelidade de Cersei com o irmão e a confronta, dando a ela a oportunidade de fugir para um exílio e assim evitar que seus filhos enfrentassem uma quase certa execução. Cersei, por sua vez, tinha arranjado para que Robert fosse morto de maneira aparentemente acidental durante uma caçada. Quando o rei morre, ela assume o controle como regente e manipula para que Ned seja preso por traição. Cersei pretende que Stark confesse seu crime publicamente e seja condenado a se juntar à Patrulha da Noite para sempre como punição, mas seu filho Joffrey, que assumiu a coroa, o executa em vez disso. [5]

A Clash of Kings[editar | editar código-fonte]

Frustrado com os muitos erros políticos de Cersei, bem como a incapacidade de controlar Joffrey, Tywin nomeia Tyrion como Mão do Rei com ordens explícitas de controlar a irmã e o sobrinho. Na capital, Tyrion entra numa luta amarga pelo poder com Cersei, subvertendo sua autoridade e removendo seus partidários das posições de poder. Na ausência de Jaime, Cersei começa a ter outros amantes, incluindo seu primo Lancel.

Quando Stannis Baratheon, o irmão de Robert, aporta em Porto Real para reclamar o poder, Cersei e Joffrey se escondem numa torre, deixando Tyrion planejar a defesa da cidade. No último momento, Tywin chega a tempo de forçar Stannis a se retirar, salvando a cidade.[1]

Brasão de Armas da Casa Lannister

A Storm of Swords[editar | editar código-fonte]

Após assumir formalmente a sua nova posição de Mão do Rei, Tywin deixa claro a Cersei que ela não é mais bem vinda às reuniões do Pequeno Conselho, retirando dela de facto sua autoridade política. Além disso, como uma condição da aliança dos Lannister com a Casa Tyrell, Tywin pretende casar Cersei com Wilas Tyrell, o herdeiro da casa. Esta situação política é afetada quando Joffrey é envenenado em seu banquete de casamento. Enlouquecida com a perda do filho mais velho, Cersei acusa o odiado irmão anão Tyrion de ter morto seu filho por vingança. Ela manipula para que Tyrion seja condenado no julgamento, subornando e ameaçando testemunhas. Quando Tyrion exige um julgamento por combate, Cersei escolhe o enorme e imponente Gregor Clegane, "A Montanha", como o campeão da coroa. Montanha vence o combate, derrotando o campeão de Tyrion, Oberyn Martell. Tywin então proclama Tyrion culpado e o condena à morte, mas o anão escapa da prisão com a ajuda do irmão Jaime e mata o pai. Cersei assume novamente o controle total de Porto Real.[2]

A Feast for Crows[editar | editar código-fonte]

Com a morte de seu pai e de seu filho mais velho. Cersei passa a exercer o poder de facto no reino. Seu filho mais novo, Tommen Baratheon, é coroado rei mas muito jovem ainda é considerado fraco, assinando todos os decretos que são colocados à sua frente. Porém, Cersei está governando um reino à beira da ruína. As pesadas perdas sofridas pela Casa Lannister na guerra, combinadas com as dificuldades de tempo de guerra para o comércio e a colheita, faz com que ela dependa cada vez mais dos recursos da Casa Tyrell, que se aproveitam desta posição para começar a construir poder na capital, muito para a consternação de Cersei.[4]

A Dance with Dragons[editar | editar código-fonte]

Cersei confessa ao Grande Meistre Pycelle várias das acusações menores que pesam contra ela, como ter tido relações adúlteras com seu primo Lancel Lannister. Ela não admite, no entanto, ter matado o Rei Robert ou que seus filhos são fruto de incesto. Sua confissão parcial é suficiente para que os septões a liberem da prisão até o julgamento das acusações restantes; as acusações mais graves de regicídio e incesto deverão ser resolvidas em julgamento por combate. Cersei é punida com uma caminhada da vergonha, nua e forçada a caminhar pela capital em meio ao povo, que a insulta e lhe joga frutas e verduras podres, chegando quase acabada em lágrimas ao final. Confinada na Fortaleza Vermelha, enquanto espera julgamento, o reino agora é controlado por Pycelle e seu escudeiro de fé Kevan. Porém, num grande golpe de sorte, Varys retorna à capital e mata Pycelle e Kevan. No fim do livro, o destino de Cersei é desconhecido.[6]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

1ª temporada (2011)[editar | editar código-fonte]

Cersei descobre que seu marido, o rei Robert Baratheon, está próximo de descobrir que seus filhos são na verdade fruto do incesto entre ela e seu irmão gêmeo Jaime.[7] Robert morre numa armadilha montada para ele por Cersei durante uma caçada de javali, antes que Ned Stark possa informá-lo da verdade sobre Cersei. Ela manobra para que filho Joffrey assuma o trono com ela como conselheira política e rainha regente, e acusa Stark de traição à coroa. Cersei não consegue ter controle sobre o filho, que ao invés de banir Stark para a Patrulha da Noite, como ela desejava, manda decapitá-lo.[8]

2ª temporada (2012)[editar | editar código-fonte]

O pai de Cersei, Tywin Lannister, decide que ela não consegue ter controle sobre o rei e manda o irmão menor, o anão Tyrion, dividir com a irmã as funções de conselheiro real. Os dois não se entendem e frequentemente tentam sabotar a autoridade do outro frente à coroa. Ao fim da temporada, Tyrion acumula mais influência sobre o Trono de Ferro e envia a única filha de Cersei, Myrcella, contra a vontade da mãe, para se casar com o príncipe Trystane de Dorne.

3ª temporada (2013)[editar | editar código-fonte]

Cersei teme que Margaery Tyrell, a esposa de Joffrey, tente usurpar o poder dela como rainha e tenta sem sucesso, separá-la do filho. Ela fica encantada quando o pai Tywin descobre os planos dos Tyrell de casar Sansa Stark com o irmão de Margaery, Loras, e intervém para que ao invés disso Sansa case-se com Tyrion, mas fica furiosa quando o pai também ordena que ela se case com Loras. Quando Jaime retorna a Porto Real, ele imediatamente procura Cersei, que fica chocada em descobrir que ele perdeu uma mão.[9]

4ª temporada (2014)[editar | editar código-fonte]

Cersei consegue que Tyrion seja preso após o envenenamento de Joffrey, acusando-o do assassinato. Ela sabe que não foi o irmão, mas quer vê-lo morto, com o que Jaime não concorda. Cersey manipula o julgamento do irmão, de maneira que as testemunhas, inclusive ela, dão relatos falsos ou incompletos para implicar Tyeron e também Sansa no crime. Tyrion pede um julgamento de combate e Cersei escolhe o mostruoso Ser Gregor "A Montanha" Clegane para o combate representando a coroa para que Tyrion não tenha qualquer chance; ao mesmo tempo, ela promete uma nobre donzela e todos seus dotes em casamento para o amigo e protetor do anão, Bronn, comprando-o assim para que ele não lute pelo anão. Os desejos de Cersei se realizam quando Clegan mata em combate o campeão de Tyrion, Oberyn Martell, mas continua se recusando a casar com Loras, ameaçando mesmo a seu pai de contar a verdade a todos sobre os filhos e o relacionamento com Jaime, que só Tywin sabe. Tywin rejeita suas ameaças mas acaba sendo morto logo depois por um Tyrion fugitivo da prisão.[10]

5ª temporada (2015)[editar | editar código-fonte]

Cersei recebe uma ameaça de Dorne, onde a filha Myrcella está, prometida em casamento a Trystane Martell, e envia Jaime para trazê-la de volta, mas a menina morre envenenada por Ellaria Sand e as Serpentes de Areia. O filho mais novo, Tommen, se casa com Margaery, que ficou viúva de Joffrey no mesmo dia do casamento, e Cersei teme pela influência dela sobre o filho, ainda um adolescente. Temerosa de perder seu poder, ela se encontra com o líder religioso Grande Meistre Pycelle, dando a ele autoridade para restabelecer a Fé Militante. Para desestabilizar a Casa Tyrell, Cersei consegue que o Alto Pardal, o Alto Septão da Fé dos Sete, prenda Loras Tyrell por homossexualidade, com Margaery também sendo presa por perjúrio, após mentir para defender Loras. Entretanto, suas manipulações tem um fim quando Lancel, seu ex-amante e agora um membro da Fé Militante, confessa seu caso com Cersei e seu papel no assassinato de Robert Baratheon, também acusando-a de incesto, fazendo com que o Alto Pardal a prenda. Cersei acaba sendo liberada para retornar à Fortaleza Vermelha após confessar sua relação com Lancel, mas tem seu cabelo cortado e é obrigada a desfilar nua pela cidade na frente do povo como punição. [11]

6ª temporada (2016)[editar | editar código-fonte]

Cersei continua na Fortaleza Vermelha confinada nas câmaras e sem autoridade. Apesar de aceitar as desculpas de seu filho, o rei, pela falta de ação quando ela foi presa pelos fanáticos religiosos, ela continua sem contato com os outros membros da corte. O filho a informa que o Alto Pardal planeja que Margaery também faça uma caminhada da vergonha como espiação antes do julgamento de Cersei, e conspira com o Pequeno Conselho par que o exército dos Tyrell marchem sobre o Septo de Baelor para resgatar a rainha e o irmão Loras. Seu plano acaba quando descobre que a própria Margaery se juntou à Fé dos Sete e convenceu Tommen a mesclar a Fé com a Coroa. Mesmo estando sem aliados, Cersei opta por continuar presa em Porto Real, tendo nomeado Ser Gregor como seu campeão num julgamento de combate. Entretanto, Tommen anuncia que os julgamentos por combate estão extintos e Cersei será julgada pelos Sete. Ela arranja com seu colaborador Qyburn um cadeia de explosivos de fogo vivo a serem detonados durante a reunião do Septo para o julgamento de Loras, e mata numa explosão o Alto Pardal, Margaery, Loras e todo o Pequeno Conselho além dos soldados da Fé. Como resultado, Tommen comete suicídio saltando do alto do castelo, deixando Cersei completamente devastada ao ver a profecia de Maggy, a bruxa, se cumprindo. Com a Casa Baratheon oficialmente extinta e ninguém para se opor em Porto Real, Cersei é oficialmente coroada como Rainha dos Sete Reinos.[12]

7ª temporada (2017)[editar | editar código-fonte]

A sós, em conversa com Jaime enquanto observa um mapa de Westeros sendo pintado no chão do palácio, Cersei comenta que eles estão sozinhos e cercados de inimigos por todos os lados. Ela reúne os nobres de Westeros para avisá-los que precisam se unir e lutar juntos para enfrentar a ameaça de Daenerys Targaryen e seus aliados, e que a filha do "Rei Louco", de triste lembrança para todos por seu reinado de terror, não é melhor que o pai. Qyburn a leva até os calabouços da Fortaleza Vermelha onde estão os ossos dos antigos dragões de Aegon Targaryen e lhe mostra uma nova arma criada por seus inventores, uma enorme besta projetada para matar os novos dragões vivos de Daenerys. Euron Greyjoy a visita e lhe oferece aliança, visando um casamento com Cersei; ela o recusa, mas ele promete que voltará trazendo presentes irrecusáveis. Depois de atacar e destruir a frota dos Greyjoy, ele volta a Porto Real trazendo como prisioneiras Yara Greyjoy, sua sobrinha, e Ellaria Sand, a assassina de Myrcella, e sua filha Tyene, uma das Serpentes da Areia, e a única que escapou viva do ataque de Euron. Cersei prende as duas no calabouço e beija Tyene nos lábios, envenenando-a como Ellaria fez com sua filha, Myrcella, dizendo que não a matará, mas que ela viverá para ver a filha morrer envenenada como a dela morreu, presa ali vendo o corpo de Tyene apodrecer depois de morta. Depois, procura Jaime e faz amor com ele.[13]

Depois de dispensar Qyburn, que agora é a Mão da Rainha, Cersei recebe Jaime que retorna da batalha e lhe diz ser impossível derrotar Daenerys Targaryen. Cersei diz que se for o caso morrerá lutando, mas que espera um futuro melhor para eles e o novo filho de Jaime de quem está grávida. Para surpresa e alegria do irmão, diz que não esconderá a paternidade do bebê. Jaime lhe conta da confissão de Olenna Tyrell de que foi ela quem envenenou Joffrey e do encontro secreto com Tyrion, que veio secretamente a Porto Real propor uma aliança contra os Caminhantes Brancos, nos quais Cersei não acredita; Cersei diz que já sabia do encontro secreto e acha que uma trégua será boa para os Lannister e o futuro bebê.[13]

Cersei vai ao Fosso do Dragão em Porto Real para a reunião com Daenerys, Jon Snow, Tyrion e demais aliados da rainha Targaryen. Confrontada com uma criatura morta-viva que os visitantes trouxeram do Norte para convencê-la da existência, ela aceita a trégua, mas insiste para que Jon se mantenha neutro na guerra que virá pelo controle de Westeros entre ela e Daenerys após derrotarem os Caminhantes Brancos. Jon se recusa, dizendo servir apenas a Daenerys e Cersei encerra a reunião sem acordo, mas acaba voltando atrás após uma conversa cheia de acusações e rancor mútuo entre ela e o irmão Tyrion em seu gabinete. Mais tarde ela vê Jaime traçando os planos para a ajuda dos Lannister ao Norte com seus generais e pede uma conversa particular com o irmão. Na conversa, ela lhe diz que sua aceitação do acordo era um blefe e não tem real intenção de enviar suas tropas ao Norte, esperando que os outros se matem para depois derrotar o que restar. Jaime tenta convencê-la que aquela é uma guerra de todos juntos contra os mortos, mas Cersei mantém sua posição e diz que eles serão ajudados pelas forças que Euron Greyjoy foi buscar em Essos. Indignado com a posição de Cersei, Jaime diz que cumprirá sua promessa e desafia Cersei a impedi-lo; Cersei ordena ao "Montanha" que o mate, mas é um blefe e Jaime sai de Porto Real a cavalo, solitário e sem exército, para se unir a Daenerys, Jon e Tyrion, deixando Cersei sozinha na Fortaleza Vermelha.[13]

8ª temporada (2019)[editar | editar código-fonte]

Cersei é informada que os Caminhantes Brancos destruíram a muralha e se dirigem para o sul mas não se importa, agora que Euron Greyjoy voltou de Essos trazendo os mercenários da Companhia Dourada; pelos feitos de Euron, ela acaba fazendo sexo com ele. Depois manda Qyburn dar uma besta especial a Bronn, a mesma com que Tyrion matou o pai, Tywin Lannister, oferecendo-lhe o título de Lorde de Riverrun e uma fortuna em ouro se usá-la para matar seu irmãos traidores Jaime e Tyrion no Norte. [14] Ela assiste da sacada da Fortaleza Vermelha o povo de Porto Real entrar às centenas pelos portões para escapar da invasão anunciada de Daenerys Targaryen, cujos exércitos derrotaram os mortos-vivos. Ao lado de Euron, que voltou de uma emboscada bem sucedida aos navios da rainha Targaryen em Pedra do Dragão e trouxe Missandei como prisioneira, ela mente ao amante dizendo estar grávida dele e que o filho deles reinará um dia sobre os Sete Reinos. Quando uma delegação composta de Daenerys, Tyrion, Varys, Verme Cinzento e um grupo de Imaculados se apresenta nos portões da cidade exigindo a libertação de Missandei e a rendição de Cersei para evitar uma mortandade, ela dá um sinal ao "Montanha", que decapita Missandei na muralha à frente de todos. [15] Daenerys, seu dragão e seus exércitos atacam e invadem Porto Real. Drogon queima toda a frota de Euron Targaryen e destrói todos os escorpiões – as grandes bestas construídas para matá-lo – e ao comando de Daenerys começa a queimar toda a cidade e a destruir a Companhia Dourada e a Fortaleza Vermelha, que começa a desabar. Qyburn tenta levá-la com sua guarda pessoal para outra fortaleza mais segura mas no caminho aparece Sandor Clegane querendo se vingar do irmão Gregor. Qyburn é morto por Gregor "Montanha" Clegane quando tenta forçá-lo a continuar com a rainha. Cersei passa pelos irmãos que se enfrentarão até a morte e vaga pelo interior da fortaleza até se encontrar no grande salão aberto dos mapas, quando é resgatada por Jaime que foi em seu socorro. Os dois fogem para as catacumbas da fortaleza e ela implora ao irmão e amante que não a deixa morrer e salve a vida do filho deles que carrega na barriga. Quando estão abraçados, o teto do lugar desaba por cima deles, matando-os. [16]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Lena Headey é Cersei Lannister na série de tv.

Cersei Lannister vem sendo reconhecida e elogiada pela crítica como uma das mais complexas e multifacetadas personagens de toda a saga. A Rolling Stone a classifica como a 6ª entre as melhores personagens de Game of Thrones e a descreve como "alguém que prefere morrer a entregar o controle". Numa lista similar, a revista a colocou como a nº1 entre os "30 Melhores Vilões de Game of Thrones", descrita como "o mais perigoso ser humano em Westeros" assim como "um dos mais complexos e fascinantes personagens da televisão [...] ela é, estranhamente, também uma figura com quem se possa simpatizar, deformada por ter sido tratada toda sua vida apenas como uma cara fêmea criada para procriar por homens poderosos, e genuína em seus afetos".[17] Alyssa Rosenburg de The Washington Post escreve: "à medida que os homens destroem uns aos outros e a si mesmos, deixando para trás uma geração de mulheres sem maridos ou filhos, Cersei pode ser a única pessoa que restou para reparar um mundo destruído".[18] A revista VOGUE a considera mais maléfica que Ivan, o Terrível, a rainha Mary "Bloody Mary" Tudor e o rei Henrique VIII.[19]

Atriz[editar | editar código-fonte]

A atriz Lena Headey tem conquistado enorme reconhecimento por sua interpretação de Cersei no seriado da HBO e foi indicada para três Prêmios Emmy de melhor atriz coadjuvante em série dramática[20] e um Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante em televisão por seu trabalho.[21] Ela e o resto do elenco foram indicados ao Screen Actors Guild Award como melhor elenco em série de drama de 2012 a 2016.[22] Na quinta temporada da série, em 2015, a personagem foi interpretada em sua infância pela atriz Nell Williams.[23]

Em outubro de 2014, Lena e outros atores-chave do elenco, todos contratados inicialmente para seis temporadas da série, renegociaram seus contratos para uma potencial sétima temporada com um aumento de salário para as temporadas cinco, seis e sete.[24] The Hollywood Reporter chamou a renegociação de "enorme", comentando que os novos valores colocaria estes atores "entre os mais bem pagos da televisão a cabo". [24] O portal Deadline.com, que cobre as notícias de Hollywood, apontou valores próximos de US$300.000 dólares para a 5ª temporada e o valor anunciado para a sétima temporada e uma potencial oitava foi de "perto de US$500.000 dólares por episódio".[25]

Em 2017, Headey, junto com Emilia Clarke (Daenerys Targaryen), transformou-se na atriz mais bem paga da história da televisão, com um contrato de US$1.100.000 dólares por cada episódio da nova temporada. [26] O jornal britânico Daily Express colocou os valores totais na casa de £2 milhões de libras, provavelmente um valor que incluiu percentagens nos direitos pela retransmissão do programa em outros países do mundo – cerca de 170 – e sobre a comercialização de DVDs.[27]

Referências

  1. a b Martin, George R. R. (1998). A Clash of Kings. [S.l.: s.n.] 
  2. a b c Martin, George R. R. (2000). A Storm of Swords. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-553-89787-6 
  3. Gilmore, Mikal (23 de abril de 2014). «George R.R. Martin: The Rolling Stone Interview». Rolling Stone. Consultado em 14 de abril de 2017 
  4. a b c d Martin, George R. R. (2005). A Feast for Crows. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-553-90032-3 
  5. a b c Martin, George R. R. (1996). A Game of Thrones. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-553-89784-5 
  6. Martin, George R. R. (2011). A Dance with Dragons. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-553-90565-6 
  7. VanDerWerff, Todd. «"Winter is Coming" Review». AV Club. Consultado em 15 de março de 2013 
  8. VanDerWerff, Todd. «"You Win Or You Die" Review». AV Club. Consultado em 15 de março de 2013 
  9. Swift, Andy. «'Game Of Thrones' Recap: Jaime SuffersA Devastating Loss». hollywoodlife.com. Consultado em 18 de julho de 2017 
  10. VanDerWerff, Todd. «"Valar Morghulis" Review». AV Club. Consultado em 15 de março de 2013 
  11. Fowler, Matt (15 de junho de 2015). «Game of Thrones: "Mother's Mercy" Review». IGN. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  12. Fowler, Matt (27 de junho de 2016). «Game of Thrones: "The Winds of Winter" Review». IGN. Consultado em 17 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2016 
  13. a b c «Game of Thrones Episodes». HBO. Consultado em 25 de julho de 2017 
  14. «'Game of Thrones' Season 8 premiere recap: Secrets, Starks and spirals in 'Winterfell'». USA Today. Consultado em 15 abril 2019 
  15. «Game of Thrones 8ª Temp. Ep.4». vizer.tv. Consultado em 6 maio 2019 
  16. «Game of Thrones 8ª Temp. Ep. 5». vizer.tv. Consultado em 13 maio 2019 
  17. «30 Best 'Game of Thrones' Villains». Rolling Stone. Consultado em 19 de julho de 2016 
  18. Rosenberg, Alyssa (26 de abril de 2016). «Game of Crones: In praise of the older women of HBO's fantasy epic». The Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 19 de julho de 2016 
  19. Elise Taylor. «Is Cersei Lannister More or Less Evil Than These Infamous Medieval Rulers? An Investigation». VOGUE. Consultado em 1 de abril de 2019 
  20. «Emmy Awards Nominees and Winners». Emmys. Consultado em 18 de julho de 2017 
  21. «Winners & Nominees 2017». Golden Globes. Consultado em 18 de julho de 2017 
  22. «AWARDS». Screen Actors Guide. Consultado em 18 de julho de 2017 
  23. «Atriz Nell Williams é escolhida para interpretar jovem Cersei em nova temporada de Game of Thrones». R7. Consultado em 18 de julho de 2017 
  24. a b Belloni, Matthew; Goldberg, Lesley (30 de outubro de 2014). «Game of Thrones Cast Signs for Season 7 with Big Raises». The Hollywood Reporter. Consultado em 20 de julho de 2016 
  25. Andreeva, Nellie (30 de outubro de 2014). «Game Of Thrones Stars Score Big Raises». Deadline.com. Consultado em 20 de julho de 2016 
  26. Goldberg, Lesley (17 de novembro de 2016). «Robert De Niro's Making How Much?! TV Is Becoming an ATM for Top Talent». The Hollywood Reporter. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  27. «Game of Thrones stars reportedly sign biggest pay-per-episode deal in TV history». The Daily Telegraph. 25 de abril de 2017. Consultado em 4 de junho de 2017