Nova Roma (religião)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Para a cidade de Nova Roma, a capital do Império Romano do Oriente, ver Constantinopla.
A bandeira da Nova Roma, baseada nas cores e símbolos do Império Romano.

Nova Roma é uma organização internacional[1][2] reconstrucionista e revivalista romana[3] criada em 1998 (ou MMDCCLI AUC, 2751 AUC pelo calendário romano) por Joseph Bloch e William Bradford, depois incorporada em Maine como uma organização sem fins lucrativos com uma missão educacional e religiosa.[4] Nova Roma afirma promover "a restauração da clássica religião romana, cultura, e virtudes" e "compartilhados ideais romanos".[5][6]

Relatado em prover recursos online sobre cultura romana, língua latina, vestuário romano antigo e orientações de recriamento,[6][7][8] Nova Roma pretende ser mais que uma comunidade de recriadores ou grupo de estudo de história. Strimska,[3] Davy,[9] Adler,[10] Gallagher-Ashcraft,[11] e recentemente Chryssides[12] referem para isso como uma comunidade reconstrucionista politeísta. Porque tem uma estrutura baseada na antiga República Romana,[13] com um senado, magistrados e leis promulgadas por voto da comitia,[14] e com sua própria cunhagem,[15][16] e porque a Nova Roma Wiki afirma que o grupo se auto-identifica como uma "nação soberana", alguns observadores de fora[5][16][17][18] classificam como uma micronação.

Religião romana[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Neopaganismo ítalo-romano

Nova Roma tem adotado[10][19] a antiga religião romana como seu culto de estado, mas também mantém a liberdade de religião de seus cidadãos. Como uma prática reconstrucionista politeísta, a religio Romana ou cultus deorum Romanorum (designações latinas usadas pelos aderentes de Nova Roma quando referindo para sua religião) reportadamente atraí pessoas de origem militar.[3][20]

Tanto as tradições religiosas domésticas e a então chamada religião de estado (sacra publica) são representadas nas práticas de Nova Roma,[9] incluindo a restauração[21] da antiga sacerdotal collegia, e o culto honrante do ciclo completo dos festivais romanos ao longo do ano.[22] De acordo com o Ontario Consultants on Religious Tolerance, na época do Natal, Novos Romanos celebram o festival romano da Saturnália.[23][24][25][26]

Em 2006 Margot Adler notou o plano da organização para restaurar um santuário da Magna Mater em Roma.[27]

Eventos ao vivo[editar | editar código-fonte]

Novos Romanos performando uma cerimônia religiosa romana em Aquinco (Budapeste), 2008.

Cidadãos de Nova Roma participam em tais eventos como o Festival da Herança Antiga[28] em Svištov, Bulgária, como 2011 defunto Roman Market Day[29][30][31] em Wells Harbor Park, Maine e Forum Fulvi na Itália, Ludi Savarienses Carnaval Histórico ou o Aquincum Floralia Spring Festival[32][33][34] na Hungria.

Competições e jogos culturais[editar | editar código-fonte]

Entre as atividades culturais de Nova Roma, competições e jogos associados com vários festivais romanos têm um importante lugar. Eles podem incluir uma ampla gama de vários programas de humorísticos jogos online até sérias competições de arte como o Certamen Petronianum,[35][36] um concurso literário de escrita de romance histórico, onde o júri era composto de notáveis incluindo a romancista famosa mundialmente Dra. Colleen McCullough, autora de muitos romances best-selling com temas romanos, e o Prof. Dr. T. P. Wiseman, professor universitário de história romana e antigo vice-presidente da Academia Britânica.

Contextos históricos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Nova Roma (Império Bizantino)

Revival das coisas romanas e suas co-opções para importância simbólica têm uma longa história. Nova Roma (em latim, literalmente "Nova Roma") em seu deliberado revival de grandiosos remanescentes do passado assim como paralelos e ecos de outras Novas Romas tais como:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Palacios, Juan José: "Corporate citizenship and social responsibility in a globalized world". Citizenship Studies 8(4):383-402. Routledge, 2004
  2. Danese, Roberto/Bacianini, Andrea/Torino, Alessio: Weni, widi, wici: tra 'volumen" e byte. p. 133. Guaraldi, 2003"
  3. a b c Strmiska, Michael: Modern Paganism in World Cultures: Comparative Perspectives, pp. 335-36. ABC-CLIO, 2005
  4. «Interactive Corporative Services Information on Nova Roma». Maine Department of the Secretary of State, Bureau of Corporations, Elections, and Commissions. Consultado em 27 de novembro de 2007 
  5. a b Dixon, Suzanne: Cornelia, Mother of the Gracchi, page 64. Routledge, 2007
  6. a b Trinkle, D. A./Merriman, S. A: The history highway: a 21st century guide to Internet resources, p. 464. M.E. Sharpe, 2006
  7. Burgan, Michael: Empire of Ancient Rome, p. 122. Infobase Publishing, 2004
  8. «Nova Roma: Organization Dedicated to Ancient Roman Culture». Center for Applied Second Language Studies (CASLS), University of Oregon. Consultado em 5 de dezembro de 2011 
  9. a b Davy, Barbara Jane: Introduction to Pagan Studies, pp. 156, 163, 233. Rowman Altamira, 2007
  10. a b Adler, Margot: Drawing down the moon: witches, Druids, goddess-worshippers, and other pagans in America, p. 549. Penguin Books, 2006
  11. Eugene V. Gallagher, W. Michael Ashcraft: Introduction to New and Alternative Religions in America: Metaphysical, New Age, and neopagan movements. p. 220. Greenwood Press, 2006
  12. George D. Chryssides, Historical Dictionary of New Religious Movements (2011, 2nd ed.)
  13. Auffarth, Chr./Bernard, J./Mohr, H.: Metzler Lexikon Religion: Gegenwart - Alltag - Medien, pp. 211-12. Metzler, 2002
  14. Danese, Roberto/Bacianini, Andrea/Torino, Alessio: Weni, widi, wici: tra 'volumen" e byte. p. 134. Guaraldi, 2003"
  15. Sestertius signum
  16. a b American Numismatic Association: The Numismatist, page 19. American Numismatic Association, 2003
  17. Caporaso, Giovanni: Cambiare Identitá.: É possibile, ecco le Prove, Offshore World Inc., 2006
  18. Vobruba, Georg: Grenzsoziologie: die politische Strukturierung des Raumes, p. 210. VS Verlag, 2006
  19. McColman, Carl: The Complete Idiot's Guide to Paganism, pages 71 and 347. Alpha Books, 2002
  20. «Pagan Soldier Killed Due to Shoddy Equipment?». The Wild Hunt (Patheos, Inc.). Consultado em 13 de dezembro de 2011 
  21. Strmiska, Michael: Modern Paganism in World Cultures: Comparative Perspectives, p. 335. ABC-CLIO, 2005
  22. Joyce Higginbotham, River Higginbotham: ChristoPaganism: An Inclusive Path, p. 230. Llewellyn Worldwide, 2009
  23. «The Christmas wars / December dilemma». Ontario Consultants on Religious Tolerance. Consultado em 13 de dezembro de 2011 
  24. «Celebrations by various faiths near year end». Ontario Consultants on Religious Tolerance. Consultado em 13 de dezembro de 2011 
  25. «Conflicts at Christmas time: What is the original "reason for the season"». Ontario Consultants on Religious Tolerance. Consultado em 13 de dezembro de 2011 
  26. «Annual secular and religious celebrations near Christmas time». Ontario Consultants on Religious Tolerance. Consultado em 13 de dezembro de 2011 
  27. Adler, Margot (2006) [1979]. Drawing down the moon: witches, Druids, goddess-worshippers, and other pagans in America. Penguin Books. p. 549. ISBN 978-0-14-303819-1. Consultado em 18 de dezembro de 2011. [...] Nova Roma is currently raising money to restore a shrine of Magna Mater in Rome. 
  28. «The second Festival of Ancient Heritage in Svishtov». Council of Tourism - Svishtov. Consultado em 8 de setembro de 2009 
  29. «GLADIATORS TO BATTLE ON ROMAN MARKET DAY». Portland Press Herald. Consultado em 12 de agosto de 2002 
  30. «Great Caesar's ghost ... ; A celebration of ancient Roman culture takes place this weekend in Hollis.». Portland Press Herald. Consultado em 11 de setembro de 2003 
  31. «Roman days, Roman nights ; Gladiators, armor and other displays are a few highlights of Wells' annual Roman Market Days». Portland Press Herald. Consultado em 16 de setembro de 2004 
  32. «Budapesti Történeti Múzeum - Aquincumi Múzeum - FLORALIA». Kultúra az Interneten Alapítvány. Consultado em 1 de maio de 2009 
  33. «Programajánló: Floralia – Római tavaszünnep Aquincumban». National Geographic (Hungary). Consultado em 5 de dezembro de 2011 
  34. «AQUINCUMI JÁTÉKOK 2010» (PDF). Museum of Aquincum. Consultado em 5 de dezembro de 2011 
  35. «Certamen Petronianum». Nova Roma, Inc. Consultado em 17 de novembro de 2011 
  36. «Il CERTAMEN PETRONIANUM, un nuovo concorso per i latinisti». SuperEva. Consultado em 17 de novembro de 2011 
  37. For example: Mommsen, Theodor (1999). A History of Rome Under the Emperors. Routledge Key Guides. Routledge. p. 381. ISBN 978-0-415-20647-1. Consultado em 16 de dezembro de 2011. The result of Constantinople's founding was the end of a national basis for the Empire [...] Milan and Ravenna had been unable to compete with Rome, though they were court residences, but Nova Roma could. 
  38. Note for example Kantorowicz, Ernst Hartwig (1957). The King's two bodies: a study in mediaeval political theology 7 ed. Princeton University Press. p. 83. ISBN 978-0-691-01704-4. Consultado em 16 de dezembro de 2011. Thus it happened that 'Rome' migrated from incarnation to incarnation, wandering first to Constantinople and later to Moscow, the third Rome, but also to Aachen where Charlemagne built a 'Lateran' and apparently planned to establish the Roma futura. [...] Constantinople and Aachen and others claimed to be each a nova Roma[...] 
  39. Neville, Peter (2004). Mussolini. Historical Biographies Series. Routledge. p. 118. ISBN 978-0-415-24989-8. Consultado em 16 de dezembro de 2011. Mussolini made immense efforts to portray an image of Italian greatness, and the memory of Ancient Rome was constantly traded on in the régime's propaganda. Thus the normal handshake [...] was replaced by the 'Roman Salute' and the Mediterranean became 'our sea'. [...] Some streams in Fascism demanded spiritual revival based on the concept of a 'New Rome'. 

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]