O Tempo não Para

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Tempo não Para
Álbum ao vivo de Cazuza
Lançamento janeiro de 1989
Gravação Canecão em outubro de 1988
Gênero(s) rock brasileiro
MPB
pop rock
blues rock
Duração 37:20
Idioma(s) Português
Formato(s) CD, LP e VHS Vídeo
Gravadora(s) PolyGram
Universal Music
Produção Ezequiel Neves
Nilo Romero
Cronologia de Cazuza
Ideologia
(1988)
Burguesia
(1989)
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4 de 5 estrelas. link

O Tempo não Para é o quarto álbum solo do cantor brasileiro de rock Cazuza, sendo o último registo ao vivo do cantor. Foi gravado durante a turnê do disco Ideologia, nos dias 14, 15, e 16 de outubro de 1988 no Canecão, Rio de Janeiro.[1][2]

O show foi dirigido por Ney Matogrosso, cantor e amigo de Cazuza,[3] e conta com sucessos de toda a carreira solo e da carreira com o Barão Vermelho também, além de duas releituras de outros cantores: "Vida Louca Vida", originalmente lançada por Lobão no disco Vida Bandida, de 1987; e "O Tempo não Para", originalmente lançada pela banda Hanói-Hanói no disco Fanzine, de 1988.

"O Tempo não Para", em específico, foi composta por Cazuza em parceria com Arnaldo Brandão, baixista e vocalista do Hanói-Hanói, e o dramaturgo e letrista estadunidense Howard Ashman, mais conhecido por escrever músicas com Alan Menken para animações da Disney como A Pequena Sereia e A Bela e a Fera. É, junto a "Exagerado" e "Ideologia", uma das canções de maior sucesso do cantor. O verso ("Mas se você achar que eu tô derrotado/ Saiba que ainda estão rolando os dados") é uma alfinetada na mídia, que já lhe dava como morto. A banda argentina Bersuit Vergarabat fez uma versão da canção chamada "El tiempo no para" no álbum Y Punto, em 1992. Essa é uma adaptação daquela que voltou-se com muita popularidade pois também contem uma dura crítica aos governantes dos anos 90.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lado A
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Vida Louca Vida"   Bernardo Vilhena, Lobão 4:19
2. "Boas Novas"   Cazuza 2:46
3. "Ideologia"   Roberto Frejat, Cazuza 4:12
4. "Todo Amor que Houver Nessa Vida"   Frejat, Cazuza 2:49
5. "Codinome Beija-Flor"   Reinaldo Arias, Cazuza, Ezequiel Neves 2:55
Lado B
N.º Título Compositor(es) Duração
6. "O Tempo não Para"   Arnaldo Brandão, Cazuza 4:37
7. "Só as Mães São Felizes"   Cazuza, Frejat 3:48
8. "O Nosso Amor a Gente Inventa"   Rogério Meanda, Cazuza, João Rebouças 3:35
9. "Exagerado"   Cazuza, Neves, Leoni 4:29
10. "Faz Parte do Meu Show"   Renato Ladeira, Cazuza 3:50
Duração total:
37:20

Banda[editar | editar código-fonte]

Créditos[editar | editar código-fonte]

  • Direção Artística: Mariozinha Rocha, MR Produções Artísticas
  • Produzido por: Nilo Romero e Ezequiel Neves
  • Produção executiva: Márcia Alvarez
  • Engenheiros de produção: Márcio Gama e Luigi Hoffer
  • Mixagem: Márcio Gama
  • Auxiliares: Carlinhos, Marcos Vicente e Barrozo
  • Montagem e edição: Barrozo
  • Coordenação gráfica: Arthur Fróes
  • Arte: Reinaldo Cardoso Simões
  • Fotos: Paulo Ricardo (capa), Geraldo Luis Gomes (contracapa e envelope)e Miriam Prado (envelope)

Vídeo[editar | editar código-fonte]

Este VHS Vídeo, lançado em 1989, combina o show O Tempo não Para com o especial para a televisão Uma Prova De Amor. Contém também vários e antigos videoclipes, formando um painel completo do cantor.

Referências

  1. «Artistas comentam fechamento do Canecão no Rio». Último Segundo. 12 de maio de 2010 
  2. «Vida - Cazuza». Contigo!. Consultado em 7 de março de 2011. 
  3. «Cazuza: Exagerado». Super. 8/2004  Verifique data em: |data= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Cazuza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.