Ezequiel Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ezequiel Neves
Ezequiel Neves
Informação geral
Nome completo José Ezequiel Moreira Neves
Também conhecido(a) como Zeca
Zeca das Neves, Zeca Jagger, Zeca Zimmerman
Nascimento 29 de novembro de 1935
Local de nascimento Belo Horizonte, MG
 Brasil
Origem Rio de Janeiro, RJ
Morte 7 de julho de 2010 (74 anos)
Local de morte Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Rock, MPB
Ocupação(ões) Compositor, produtor musical
Período em atividade 1981 - 2010 (29 anos)
Outras ocupações Ator, jornalista, bibliotecário
Gravadora(s) Som Livre
Afiliação(ões) Som Livre, Guto Graça Mello, Barão Vermelho, Cazuza, Frejat, João Araújo

José Ezequiel Moreira Neves (Belo Horizonte, 29 de novembro de 1935Rio de Janeiro, 7 de julho de 2010)[1] foi um ator, jornalista, bibliotecário, compositor e produtor musical brasileiro.

É coautor de hits como "Codinome Beija-Flor", "Exagerado",[2][3] "Por Que a Gente é Assim?", "Burguesia", entre outros.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Foi bibliotecário da Biblioteca da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais.[4] Acabou se mudando para São Paulo, e posteriormente para o Rio de Janeiro, no começo dos anos 1960.[5] Chegou a escrever para as revistas Rolling Stone, Rock, a História e a Glória, Jornal da Música, Pop e Som Três, entre outras.[1]

Começou a carreira de produtor com a banda paulista Made in Brazil, em 1975.[6]

Em 1979, se tornou produtor da gravadora Som Livre,[6] gravadora das Organizações Globo, presidida por João Araújo, pai do cantor Cazuza. Trabalhou com cantores como Elizeth Cardoso e Cauby Peixoto.[6] Junto com o também produtor Guto Graça Mello, foi mentor do cantor e de sua banda, o Barão Vermelho.[7][2] Ezequiel acompanhou a carreira do Barão, do qual produziu todos os discos desde o início, e também foi parceiro musical de Cazuza.

Em 1987, Neves viajou com Cazuza e os pais dele a Boston, onde o cantor procurava por tratamento para a AIDS, doença então recém-detectada e que terminou por matá-lo, em 1990.[7]

Sua morte aconteceu exatamente no aniversário de 20 anos da morte de seu grande amigo e pupilo musical, Cazuza.[6][2][7][5][3] Zeca, como era conhecido, sofria de um câncer no cérebro[8][7][3] e faleceu na Clínica São Vicente, na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro.[6]

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Internet (amdb.com.br), AMDB (7 de julho de 2020). «Cazuza e Ezequiel Neves, Eternos Exagerados». Rolling Stone. Consultado em 3 de abril de 2022 
  2. a b c «Folha de S.Paulo - Ezequiel Neves, "descobridor" do Barão Vermelho, morre aos 74 - 08/07/2010». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 3 de abril de 2022 
  3. a b c Redação (7 de julho de 2010). «Morre o produtor musical Ezequiel Neves». Revista CARAS. Consultado em 3 de abril de 2022 
  4. «Morre Ezequiel Neves». Faculdade de Medicina da UFMG. Julho de 2010. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  5. a b . «Morre Ezequiel Neves, o 'descobridor' de Cazuza». Acervo. Consultado em 3 de abril de 2022 
  6. a b c d e RJ, Do G1 (7 de julho de 2010). «Morre Ezequiel Neves, produtor musical que ajudou a revelar Cazuza». Pop & Arte. Consultado em 3 de abril de 2022 
  7. a b c d «Exatamente vinte anos depois de Cazuza, morre o produtor musical Ezequiel Neves». VEJA. Consultado em 3 de abril de 2022 
  8. RJ, Henrique PortoDo G1 (7 de julho de 2010). «'Achava que Zeca levaria Cazuza para o mau caminho', diz Lucinha Araújo». Pop & Arte. Consultado em 3 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]