PICARD

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a série, veja Star Trek: Picard. Para o personagem, veja Jean-Luc Picard.

PICARD[1] um satélite artificial dedicado à medição simultânea da irradiância solar total e espectral absoluta, do diâmetro e da forma solar, e à sondagem do interior do Sol pelo método da heliosismologia. Essas medidas obtidas ao longo da missão permitem estudar suas variações em função da atividade solar. Ele foi lançado, junto com a espaçonave Prisma, em 15 de junho de 2010 em um lançador Dnepr do cosmódromo Dombarovskiy, perto de Yasny, na Rússia.[2][3] A missão, originalmente planejada para dois anos, terminou em 4 de abril de 2014.[4] Foi nomeado em homenagem ao astrônomo francês Jean Picard.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Os objetivos da missão PICARD são melhorar nosso conhecimento de:

  • o funcionamento de nossa estrela por meio de novas observações,
  • a influência da atividade solar no clima da Terra.

História[editar | editar código-fonte]

A missão PICARD foi nomeada em homenagem ao astrônomo francês do século XVII, Jean Picard (1620-1682), que realizou as primeiras medições precisas do diâmetro solar. Essas medições são especialmente importantes porque foram feitas durante um período em que a atividade solar era mínima caracterizada por um sol quase sem manchas solares entre 1645 e 1710. Este período foi encontrado por Gustav Spörer usando observações de manchas solares coletadas na Europa e este período agora é denominado Maunder mínimo. Ao comparar o diâmetro durante o mínimo de Maunder e o diâmetro quando o sol estava ativo, uma variação foi encontrada, levando à pergunta ainda sem resposta: "O diâmetro e a atividade estão ligados?" Durante este período na Europa, houve um clima excepcionalmente frio.

Plataforma[editar | editar código-fonte]

O PICARD utilizou a plataforma de microssatélites Myriade, desenvolvida pelo CNES para utilizar o máximo possível de equipamentos comuns. Esta plataforma foi projetada para uma massa total de cerca de 120 kg de massa no lançamento. Sua atitude no espaço é mantida usando um sensor de estrela, sensores solares, um magnetômetro, girômetros, várias barras magnéticas e rodas de reação. Se um controle de órbita e manobras orbitais forem necessárias, um sistema de hidrazina pode ser usado. O gerenciamento integrado é centralizado e usa um microprocessador T805 de 10 MIPS. Uma memória de massa está disponível para o armazenamento de dados. A telemetria e o telecomando utilizaram o padrão CCSDS.

Carga útil[editar | editar código-fonte]

A carga útil PICARD é composta pelos seguintes instrumentos:

  • SOVAP (SOlar VAriability PICARD): composto por um radiômetro diferencial e um sensor bolométrico para medir a irradiância solar total (anteriormente chamada de constante solar);
  • PREMOS (PREcision MOnitor Sensor): um conjunto de 3 fotômetros para estudar a formação e destruição do ozônio, e para realizar observações heliossismológicas, e um radiômetro diferencial para medir a irradiância solar total;
  • SODISM (SOlar Diameter Imager and Surface Mapper): um telescópio de imagem apontado com precisão e um CCD que permite medir o diâmetro e a forma solar com uma precisão de alguns miliarc segundo, e realizar observações heliossismológicas para sondar o interior solar.

Referências

  1. «PICARD». Consultado em 7 de novembro de 2009. Arquivado do original em 1 de maio de 2008 
  2. Clark, Stephen (15 de junho de 2010), «French Sun Satellite and Swedish Experiment Blast Off on Russian Rocket», Spaceflight Now .
  3. «Preparation of Launch Campaign at Yasny Launch Base». ISC Kosmotras. 2010. Consultado em 21 de maio de 2010 
  4. «Update: Picard Satellite Receives Final Telecommand». www.uniblitz.com. Vincent Associates. 2014. Consultado em 26 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.