Pandemia de COVID-19 no Zimbábue

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na África
Pandemia de COVID-19 no Zimbábue
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Local Zimbábue
Período 20 de março de 2020
(8 meses e 10 dias)
Estatísticas globais
Casos confirmados 3

A pandemia de coronavírus 2019-2020 se espalhou para o Zimbábue, com os primeiros casos confirmados anunciados em 20 de março de 2020.[1]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

O Zimbábue viu seu primeiro caso de coronavírus de um residente do sexo masculino de Victoria Falls que voltou do Reino Unido passando pela África do Sul em 15 de março.[2] Nenhuma morte foi relatada como erroneamente indicada em algumas fontes, uma vez que o paciente continuou com o auto-isolamento em casa e mostrou sinais de recuperação.[3]

A confirmação de COVID-19 no Zimbábue serviu de justificativa para a África do Sul fechar a fronteira com o país. A vedação foi feita com a liberação de fundos, para a construção de uma controversa cerca. Com isso, a economia zimbabuana, já frágil, pôs-se em situação de calamidade.[4] A perspectiva era que a pandemia gerasse uma crise extrema na economia do Zimbábue.[5]

Prevenção[editar | editar código-fonte]

Antes de haver casos confirmados no país, o presidente Emmerson Mnangagwa havia declarado estado de emergência nacional, estabelecendo restrições de viagem e proibindo grandes reuniões.[6][7] O ministro da defesa do país, Oppah Muchinguri, causou polêmica ao afirmar que o coronavírus poderia ser um castigo divino para as nações ocidentais por impor sanções ao Zimbábue.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências