COVID-19 na gravidez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ilustração virtual do novo coronavírus.

O efeito da infecção por COVID-19 na gravidez não é completamente conhecido devido à falta de dados confiáveis.[1] Os resultados de um estudo na China mostram que as características clínicas da pneumonia por COVID-19 em mulheres grávidas foram semelhantes às relatadas em mulheres não grávidas.[2] Até março de 2020, não havia evidências de transmissão vertical do COVID-19 de mãe para filho no final da gravidez. Previsões baseadas em infecções semelhantes, como SARS e MERS, sugerem que as mulheres grávidas correm um risco maior de infecção grave.[3]

Como o COVID-19 mostra semelhanças com o SARS-CoV e o MERS-CoV, é provável que seus efeitos na gravidez sejam semelhantes. Durante a pandemia 2002-2003, foram estudadas 12 mulheres infectadas com SARS-CoV. Quatro de sete tiveram aborto espontâneo no primeiro trimestre, dois de cinco tiveram restrição de crescimento fetal no segundo trimestre e quatro de cinco tiveram parto prematuro. Três mulheres morreram durante a gravidez. Nenhum dos recém-nascidos foi infectado com SARS-CoV.[4]

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) aconselham as mulheres grávidas a fazer as mesmas coisas que o público em geral para evitar infecções, como evitar interagir com pessoas doentes, limpar as mãos com sabão e água ou desinfetante.[5]

Referências

  1. «Coronavirus Disease 2019 (COVID-19)». Centers for Disease Control and Prevention (em inglês). 11 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de abril de 2020 
  2. Chen, Huijun; Guo, Juanjuan; Wang, Chen; Luo, Fan; Yu, Xuechen; Zhang, Wei; Li, Jiafu; Zhao, Dongchi; Xu, Dan; Gong, Qing; Liao, Jing; Yang, Huixia; Hou, Wei; Zhang, Yuanzhen (7 de março de 2020). «Clinical characteristics and intrauterine vertical transmission potential of COVID-19 infection in nine pregnant women: a retrospective review of medical records». The Lancet (em English). 395 (10226): 809–815. ISSN 0140-6736. PMID 32151335. doi:10.1016/S0140-6736(20)30360-3. Consultado em 10 de abril de 2020 
  3. «Q&A on COVID-19, pregnancy, childbirth and breastfeeding». www.who.int (em inglês). Consultado em 6 de abril de 2020 
  4. Wong, Shell F.; Chow, Kam M.; Leung, Tse N.; Ng, Wai F.; Ng, Tak K.; Shek, Chi C.; Ng, Pak C.; Lam, Pansy W. Y.; Ho, Lau C.; To, William W. K.; Lai, Sik T.; Yan, Wing W.; Tan, Peggy Y. H. (1 de julho de 2004). «Pregnancy and perinatal outcomes of women with severe acute respiratory syndrome». American Journal of Obstetrics & Gynecology (em inglês). 191 (1): 292–297. ISSN 0002-9378. PMID 15295381. doi:10.1016/j.ajog.2003.11.019. Consultado em 19 de março de 2020 
  5. Liang, Huan; Acharya, Ganesh (2020). «Novel corona virus disease (COVID-19) in pregnancy: What clinical recommendations to follow?». Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica (em inglês). 99 (4): 439–442. ISSN 1600-0412. PMID 32141062. doi:10.1111/aogs.13836