Pandemia de COVID-19 na China continental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pandemia de COVID-19 na China continental
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Wuhan, Hubei, China
Local China continental
Período 1 de dezembro de 2019—atualmente
(8 meses e 12 dias)
Estatísticas globais
Casos confirmados 83 830
Mortes 4 634
Casos que recuperaram 78 908

A pandemia de COVID-19 em 2019-2020 foi manifestada pela primeira vez em um grupo com uma pneumonia misteriosa em Wuhan, capital da província de Hubei, na China continental. Um hospital de Wuhan notificou o centro local de controle e prevenção de doenças (CDC) e comissões de saúde em 27 de dezembro de 2019. Em 31 de dezembro, o CDC de Wuhan admitiu que havia um grupo com pneumonia desconhecida no Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, depois que documentos não verificados apareceram na Internet.

Contexto[editar | editar código-fonte]

O possível surto de doença logo chamou a atenção de todo o país, incluindo a Comissão Nacional de Saúde (NHC) em Pequim, que enviou especialistas a Wuhan no dia seguinte. Em 8 de janeiro, um novo coronavírus foi identificado como a causa da pneumonia.[1] A sequência do vírus foi logo publicada em um banco de dados de acesso aberto.[2] As medidas tomadas pela China foram amplamente elogiadas por muitos, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS).[3][4][5] A resposta da China parecia ser muito mais transparente, especialmente quando comparada à forma como o país respondeu à SARS em 2003.[4][6]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Evolução da pandemia de COVID-19 na China continental ()
     Mortos      Recuperados      Testes      Clinicamente diagnosticados (C.D.)      Testes ou C.D.

Dez. Dez. Jan. Jan. Fev. Fev. Mar. Mar. Abr. Abr. Mai. Mai. Jun. Jun. Jul. Jul. Últimos 15 dias Últimos 15 dias

Data
# de casos
(excluindo C.D.)
# de casos
(incluindo C.D.)
31-12-2019
27(n.a.)
27(=)
03-01-2020
44(+63%)
04-01-2020
44(=)
05-01-2020
59(+34%)
10-01-2020
41(n.a.) 1(n.a.)
41(=) 1(=)
16-01-2020
45(+9,7%) 2(+100%)
17-01-2020
62(+38%) 2(=)
18-01-2020
121(+95%) 3(+50%)
19-01-2020
198(+64%) 4(+33%)
20-01-2020
291(+47%) 6(+50%)
21-01-2020
440(+51%) 9(+50%)
22-01-2020
571(+30%) 17(+89%)
23-01-2020
830(+45%) 25(+47%)
24-01-2020
1.287(+55%) 41(+64%)
25-01-2020
1.975(+53%) 56(+37%)
26-01-2020
2.744(+39%) 80(+43%)
27-01-2020
4.515(+64%) 106(+32%)
28-01-2020
5.974(+32%) 132(+25%)
29-01-2020
7.711(+29%) 170(+29%)
30-01-2020
9.692(+26%) 213(+25%)
31-01-2020
11.791(+22%) 259(+22%)
01-02-2020
14.380(+22%) 304(+17%)
02-02-2020
17.205(+20%) 361(+19%)
03-02-2020
20.438(+19%) 425(+18%)
04-02-2020
24.324(+19%) 490(+15%)
05-02-2020
28.018(+15%) 563(+15%)
06-02-2020
31.161(+11%) 637(+13%)
07-02-2020
34.546(+11%) 722(+13%)
08-02-2020
37.198(+7,7%) 811(+12%)
09-02-2020
40.171(+8,0%) 908(+12%)
10-02-2020
42.638(+6,1%) 48.315(n.a.)
11-02-2020
44.653(+4,7%) 55.220(+14%)
12-02-2020
46.472(+4,1%) 58.761(+6,4%)
13-02-2020
48.467(+4,3%) 63.851(+8,7%)
14-02-2020
49.970(+3,1%) 66.492(+4,1%)
15-02-2020
51.091(+2,2%) 68.500(+3,0%)
16-02-2020
70.548(+3,0%)
17-02-2020
72.436(+2,7%)
18-02-2020
74.185(+2,4%)
19-02-2020
75.002(+1,1%)
20-02-2020
75.891(+1,2%)
21-02-2020
76.288(+0,52%)
22-02-2020
76.936(+0,85%)
23-02-2020
77.150(+0,28%)
24-02-2020
77.658(+0,66%)
25-02-2020
78.064(+0,52%)
26-02-2020
78.497(+0,55%)
27-02-2020
78.824(+0,42%)
28-02-2020
79.251(+0,54%)
29-02-2020
79.824(+0,72%)
01-03-2020
80.026(+0,25%)
02-03-2020
80.151(+0,16%)
03-03-2020
80.270(+0,15%)
04-03-2020
80.409(+0,17%)
05-03-2020
80.552(+0,18%)
06-03-2020
80.651(+0,12%)
07-03-2020
80.695(+0,05%)
08-03-2020
80.735(+0,05%)
09-03-2020
80.754(+0,02%)
10-03-2020
80.778(+0,03%)
11-03-2020
80.793(+0,02%)
12-03-2020
80.813(+0,02%)
13-03-2020
80.824(+0,01%)
14-03-2020
80.844(+0,02%)
15-03-2020
80.860(+0,02%)
16-03-2020
80.881(+0,02%)
17-03-2020
80.894(+0,02%)
18-03-2020
80.928(+0,04%)
19-03-2020
80.967(+0,05%)
20-03-2020
81.008(+0,05%)
21-03-2020
81.054(+0,06%)
22-03-2020
81.093(+0,05%)
23-03-2020
81.171(+0,10%)
24-03-2020
81.218(+0,06%)
25-03-2020
81.285(+0,08%)
26-03-2020
81.340(+0,07%)
27-03-2020
81.394(+0,06%)
28-03-2020
81.439(+0,06%)
29-03-2020
81.470(+0,04%)
30-03-2020
81.518(+0,06%)
31-03-2020
81.554(+0,04%)
01-04-2020
81.589(+0,04%)
02-04-2020
81.620(+0,04%)
03-04-2020
81.639(+0,02%)
04-04-2020
81.669(+0,04%)
05-04-2020
81.708(+0,05%)
06-04-2020
81.740(+0,04%)
07-04-2020
81.802(+0,08%)
08-04-2020
81.865(+0,08%)
09-04-2020
81.907(+0,05%)
10-04-2020
81.953(+0,06%)
11-04-2020
82.052(+0,12%)
12-04-2020
82.160(+0,13%)
13-04-2020
82.249(+0,11%)
14-04-2020
82.295(+0,06%)
15-04-2020
82.341(+0,06%)
16-04-2020
82.692(+0,40%)
17-04-2020
82.719(+0,03%)
18-04-2020
82.735(+0,02%)
19-04-2020
82.747(+0,01%)
20-04-2020
82.758(+0,01%)
21-04-2020
82.788(+0,04%)
22-04-2020
82.798(+0,01%)
23-04-2020
82.804(+0,01%)
24-04-2020
82.816(+0,01%)
25-04-2020
82.827(+0,01%)
26-04-2020
82.830(<+0,01%)
27-04-2020
82.836(<+0,01%)
28-04-2020
82.858(+0,03%)
29-04-2020
82.862(<+0,01%)
30-04-2020
82.874(+0,01%)
01-05-2020
82.875(<+0,01%)
02-05-2020
82.877(<+0,01%)
03-05-2020
82.880(<+0,01%)
04-05-2020
82.881(<+0,01%)
05-05-2020
82.883(<+0,01%)
06-05-2020
82.885(<+0,01%)
07-05-2020
82.886(<+0,01%)
08-05-2020
82.887(<+0,01%)
09-05-2020
82.901(+0,02%)
10-05-2020
82.918(+0,02%)
11-05-2020
82.919(<+0,01%)
12-05-2020
82.926(<+0,01%)
13-05-2020
82.929(<+0,01%)
14-05-2020
82.933(<+0,01%)
15-05-2020
82.941(<+0,01%)
16-05-2020
82.947(<+0,01%)
17-05-2020
82.954(<+0,01%)
18-05-2020
82.960(<+0,01%)
19-05-2020
82.965(<+0,01%)
20-05-2020
82.967(<+0,01%)
21-05-2020
82.971(<+0,01%)
22-05-2020
82.971(=)
23-05-2020
82.974(<+0,01%)
24-05-2020
82.985(+0,01%)
25-05-2020
82.992(<0,01%)
26-05-2020
82.993(<0,01%)
27-05-2020
82.995(<0,01%)
28-05-2020
82.995(=)
30-05-2020
83.001(<0,01%)
31-05-2020
83.017(0,02%)
01-06-2020
83.022(<0,01%)
02-06-2020
83.021(>−0,01%)
03-06-2020
83.022(<+0,01%)
04-06-2020
83.027(<+0,01%)
05-06-2020
83.030(<+0,01%)
06-06-2020
83.036(<+0,01%)
07-06-2020
83.040(<+0,01%)
08-06-2020
83.043(<+0,01%)
09-06-2020
83.046(<+0,01%)
10-06-2020
83.057(+0,01%)
11-06-2020
83.064(<+0,01%)
12-06-2020
83.075(+0,01%)
13-06-2020
83.132(+0,07%)
14-06-2020
83.181(+0,06%)
15-06-2020
83.221(+0,05%)
16-06-2020
83.265(+0,05%)
17-06-2020
83.293(+0,03%)
18-06-2020
83.325(+0,04%)
19-06-2020
83.352(+0,03%)
20-06-2020
83.378(+0,03%)
21-06-2020
83.396(+0,02%)
22-06-2020
83.418(+0,03%)
23-06-2020
83.430(+0,01%)
24-06-2020
83.449(+0,02%)
25-06-2020
83.462(+0,02%)
26-06-2020
83.483(+0,03%)
27-06-2020
83.500(+0,02%)
28-06-2020
83.512(+0,01%)
29-06-2020
83.531(+0,02%)
30-06-2020
83.534(<+0,01%)
01-07-2020
83.537(<+0,01%)
02-07-2020
83.542(<+0,01%)
03-07-2020
83.545(<+0,01%)
04-07-2020
83.553(<+0,01%)
05-07-2020
83.557(<+0,01%)
06-07-2020
83.565(<+0,01%)
07-07-2020
83.572(<+0,01%)
08-07-2020
83.581(+0,01%)
09-07-2020
83.585(<+0,01%)
10-07-2020
83.587(<+0,01%)
11-07-2020
83.594(<+0,01%)
12-07-2020
83.602(<+0,01%)
13-07-2020
83.605(<+0,01%)
14-07-2020
83.611(<+0,01%)
A partir de 10 de fevereiro de 2020, os dados incluem os casos em Hubei que não foram testados para o vírus, mas diagnosticados clinicamente com base em imagens médicas mostrando sinais de pneumonia.[7]

Os dados testados em laboratório também estavam disponíveis separadamente de 10 a 15 de fevereiro de 2020.[8]
Os dados de 16 de fevereiro de 2020 em diante não incluíram um número separado de casos testados em laboratório.
A partir de 19 de fevereiro de 2020, apenas novos casos testados em laboratório foram contados para o total (mas os casos diagnosticados clinicamente e contados anteriormente não foram descartados).[9]
Em 17 de abril de 2020, após a emissão pelo governo de Wuhan de um relatório sobre a contabilização das mortes por COVID-19 ocorridas em casa, que antes não eram relatadas, bem como a subtração de mortes que antes eram contadas duas vezes por diferentes hospitais, o NHC revisou seus totais acumulados que datam de 16 de abril, adicionando 325 casos cumulativos e 1.290 mortes.[10]

Dados provenientes de relatórios diários do NHC. (Em outro link antes de 25 de janeiro, em website de MHC de Wuhan antes de 10 de janeiro)
Os dados 02-10 e 02-11 diagnosticados clinicamente foram baseados no apêndice nos dados da WJW de Hubei em 02-11, com os dados de 02-10 obtidos da dedução do número de novos CD. casos nesse dia a partir do total.
Os dados 02-12 foram corrigidos com base nos dados de subtração 02-13 NHC e correspondentes dados de Hubei em 02-13.
O número 02-18 de casos testados é calculado com base nos dados de subtração em 02-19.

Os dados de 02 a 19 excluem diagnósticos clínicos; portanto, o cálculo é feito provisoriamente para facilitar a compreensão da progressão da situação.
Data com o primeiro caso confirmado em cada província da China.
Gráfico semi-log dos casos confirmados e mortes na China indicam que a epidemia está numa fase exponencial.[11]
Gráfico semi-log de incidência epidemiológica diária de casos por região: Província de Hubei; China continental excluindo Hubei; o resto do mundo (ROW); e o total mundial.[12]
Gráfico semi-log de mortes diárias pelo coronavírus por região: Província de Hubei; China continental excluindo Hubei; o resto do mundo (ROW); e o total mundial.[13][14]

Novembro de 2019[editar | editar código-fonte]

Um caso confirmado do novo coronavírus surgiu em 17 de novembro de 2019, de acordo com relatórios de 13 de março de fontes oficiais do governo chinês,[15] mas não foi reconhecido na época. Pode ter havido pacientes anteriores; a busca por eles continua.[16][17][18]

Dezembro de 2019[editar | editar código-fonte]

1 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2020, uma equipe de médicos especialistas chineses foi encarregado de investigar o início do que é hoje conhecido como o Coronavírus Wuhan ou pneumonia de Wuhan. A 24 de janeiro de 2020, o seu relatório foi publicado no The Lancet. A equipe observou em sua revisão dos registros médicos locais que o primeiro paciente, posteriormente diagnosticado com o COVID-19, apresentou sintomas pela primeira vez a 12 de dezembro de 2019. No entanto, a equipe de especialistas encontrou um caso anterior de um paciente que teve sintomas pela primeira vez a 1 de dezembro de 2019, apontando para uma origem ainda mais precoce.[19][20][21]

8–18 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Além desse caso inicial, entre 8 e 18 de dezembro, foram documentados sete casos mais tarde diagnosticados com COVID-19, dois deles vinculados ao Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan em Wuhan, cinco não.[22]

12 de dezembro[editar | editar código-fonte]

A Televisão Central da China, rede pública de televisão aberta do país, reportou em uma transmissão no dia 12 de janeiro de 2020 que um "novo surto viral foi detectado pela primeira vez na cidade de Wuhan, China, no dia 12 de dezembro de 2019."[23]

21 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Epidemiologistas chineses juntamente ao Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças (CCCPD) publicaram um artigo em 21 de janeiro de 2019 afirmando que o primeiro grupo de pacientes com "pneumonia de causa desconhecida" foi identificado em 21 de dezembro de 2019.[24]

24 de dezembro[editar | editar código-fonte]

É reportada a primeira coleta de amostras do vírus para a realização de seu sequenciamento genético.[25][4][26]

25 de dezembro[editar | editar código-fonte]

É reportado que dois médicos em dois hospitais em Wuhan estão sob suspeita de infecção e foram colocados em isolamento em 25 de dezembro.[27]

26 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Em 26 de dezembro de 2019, um laboratório identificou o coronavírus das amostras coletadas em 24 de dezembro como sendo o mais próximo ao coronavírus de síndrome respiratória aguda de morcegos.

27 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Em 27 de dezembro de 2019, a sequência praticamente completa das amostras anteriores foi finalizada e compartilhada ao Instituto de Biologia Patogênica, Academia Chinesa de Ciências Médicas & Faculdade de Medicina da União de Pequim (ACCM&FMUP).[4]

29 de dezembro[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma publicação do CCCPD em 31 de janeiro de 2020, os fatos que levaram à identificação do 2019-nCoV foram os seguintes: "Em 29 de dezembro de 2019, um hospital em Wuhan recebeu quatro indivíduos com pneumonia e reconheceu que todos os quatros haviam trabalhado no Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, que vende aves vivas, produtos aquáticos, além de diversos tipos de animais selvagens. O hospital reportou essa ocorrência ao CCCPD, o que levou a equipe do centro em Wuhan a iniciar uma investigação de campo em uma busca retrospectiva por pacientes de pneumonia potencialmente relacionados aos mercado. Os investigadores encontraram pacientes adicionais ligados ao mercado, e em 30 de dezembro, autoridades de saúde da província de Hubei reportaram tal grupo ao CCCPD. No dia seguinte, o CCCPD enviou especialistas a Wuhan para apoiar a investigação e controlar a situação. Amostras desses pacientes foram obtidas para a realização de análises laboratoriais."[28]

30 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Em 30 de dezembro de 2019, o relatório de sequenciamento genético do patógeno de um paciente indicou incorretamente a descoberta do coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (coronavírus de SARS ) no resultado do teste.[4] Após receberem o resultado do teste, diversos doutores em Wuhan compartilharam a informação pela internet, incluindo o oftalmologista do Hospital Central de Wuhan, Dr. Li Wenliang, que alertou os alunos de suas aulas de medicina através do fórum online WeChat que um grupo de sete pacientes que se tratavam no departamento de oftalmologia não haviam obtido sucesso no tratamento para sintomáticos de pneumonia viral e foram diagnosticados com SARS.[4][29][30][31] Por não responderem aos tratamentos tradicionais, estes pacientes foram colocados sob quarentena num serviço de urgência do Hospital Central de Wuhan. Na postagem no WeChat, Li falsamente afirmou que "O Hospital possui muitos casos confirmados de SARS" e "Existem 7 casos confirmados de SARS".[32] Dr. Li também publicou um trecho de uma análise de RNA apontando o "coronavírus de SARS" e extensas colônias de bactérias nas vias respiratórias de um paciente.[33]

Quatro dias após ter feito essas publicações, Dr. Li foi preso pelo regime Chinês acusado de "divulgar informações falsas" que "causaram distúrbios graves à ordem social", tendo sido forçado a assinar um termo onde se declarava culpado e com um aviso por parte das autoridades chinesas de que "Nós o alertamos solenemente: se você continuar sendo teimoso, com essa impertinência, e mantiver sua atividade ilegal, será levado à Justiça. Está entendido?"[34], e por fim por acabou por contrair o coronavírus de um paciente que tratou, sendo hospitalizado em 12 de janeiro de 2020 e falecendo em 7 de fevereiro de 2020.[35]

Notícias referentes a um surto de "pneumonia de origem desconhecida" começaram a circular nas mídias sociais.[36][37][38] Os relatos afirmavam que 27 pacientes em Wuhan (em sua maioria vendedores do Mercado de Huanan) estavam em tratamento pela doença misteriosa.[38]

Mais tarde no mesmo dia, foi emitido um "comunicado de urgência sobre o tratamento de uma pneumonia de origem desconhecida" por parte da Administração Médica do Comitê Municipal de Saúde de Wuhan.[39][40] Foi notificado que desde o começo de dezembro, "uma série sucessiva de pacientes com uma pneumonia sem explicação": 27 casos suspeitos no total, sete dos quais estavam em condição crítica e 18 em condição estável, sendo que dois receberiam alta em breve.[39] O Comitê Municipal de Saúde de Wuhan também fez um anúncio público em relação à situação.[41]

Investigações iniciais em relação à pneumonia descartaram a hipótese de ser gripe sazonal, SARS, MERS e gripe aviária.[42][43]

Durante a noite, a Secretária de Alimentação e Saúde de Hong Kong Sophia Chan Siu-chee anunciou após uma reunião em caráter de urgência realizada com oficiais e especialistas: "[quaisquer casos suspeitos] que incluam a presença de febre e problemas respiratórios agudos ou pneumonia, e histórico de viagem para Wuhan em até 14 dias antes do início dos sintomas, colocaremos tais pacientes em isolamento."[38]

31 de dezembro[editar | editar código-fonte]

Em 31 de dezembro de 2019, a China contata a Organização Mundial da Saúde e a informa a respeito de "casos de pneumonia de etiologia [causa] desconhecida detectados em Wuhan".[44] Um "aviso urgente sobre o tratamento de pneumonia de causa desconhecida" foi enviado ao Centro Municipal de Saúde de Wuhan.[45]

Como resultado do anúncio oficial da Comissão Municipal de Saúde de Wuhan, Hong Kong, Macau e Taiwan imediatamente fortalecerem seus processos de restrição de entrada.[46][47]

Qu Shiqian, um vendedor do Mercado de Huanan, reporta que oficiais do governo desinfectaram as barracas no dia 31 de dezembro de 2019 e pediram que os vendedores utilizassem máscaras. Qu diz que ele somente soube a respeito do surto de pneumonia por meio do noticiário. "Antes eu pensei que eles tivessem gripe", afirma. "Não deve ser nada sério. Nós somos comerciantes de pescado, como podemos ficar infectados?".[38]

"A televisão estatal da china anunciou que um time de especialistas da Comissão Nacional de Saúde chegaram em Wuhan no dia 31 de dezembro de 2019 para liderar a investigação, enquanto o Diário do Povo afirmou que a causa exata permanecia incerta e seria prematuro especular."[37][38][48] A Televisão Central da China anunciou que um time sênior de especialistas de saúde haviam sido enviados para Wuhan e estavam "conduzindo uma relevante inspeção e trabalho de verificação."[39]

Tao Lina, uma especialista em saúde pública e ex-oficial do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Xangai, afirmou: "Penso que somos [agora] plenamente capazes de acabar com isso em sua fase inicial, dado o sistema de controle de doenças, capacidade de lidar com emergências e suporte médico clínico da China."[38]

Janeiro de 2020[editar | editar código-fonte]

1 de janeiro[editar | editar código-fonte]

De acordo com informações fornecidas pelo South China Morning Post em 13 de março de 2020, autoridades chinesas identificaram, até essa data, 266 pessoas cuja infecção teve inicio no começo de 2020.[49][50][51]

De acordo com a agência estatal Xinhua News, o Mercado por Atacado de Produtos do Mar de Huanan foi fechado a 1 de janeiro de 2020 para "renovações".[52] No entanto, no relatório do consórcio datado de 24 de janeiro de 2020 indicam que o Mercado de Produtos do Mar de Huanan tinha sido encerrado a 1 de janeiro para "limpeza e desinfecção. No entanto, o vírus só pode permanecer em superfícies por um determinado tempo, o que inutilizou a ação".[53]

2 de janeiro[editar | editar código-fonte]

A 2 de janeiro, foram confirmados como tendo contraído (confirmado por laboratório) o 2019-nCoV, 41 casos de pacientes hospitalares em Wuhan. Vinte e sete dos pacientes (66% do total de 41) tinham estado em contacto direto com o Mercado por Atacado de Produtos do Mar de Huanan.[54] Todos os 41 pacientes foram realocados posteriormente para o Hospital Jinyintan em Wuhan, China.[19]

3 de janeiro[editar | editar código-fonte]

Em 3 de janeiro de 2020, cientistas chineses do Instituto Nacional de Controle e Prevenção de Doenças Virais (ICDV) determinaram a sequência genética do novo coronavírus β-genus (nomeando-o de '2019-nCoV') a partir de espécimes coletados de pacientes em Wuhan, China, e três linhagens distintas foram estabelecidas.[28]

Autoridades de saúde em Wuhan reportaram 44 casos, um grande salto em relação aos 27 reportados na terça-feira anterior. Onze dos 44 eram casos sérios, afirmou a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan, embora não houvessem mortes reportadas até a data. A saúde dos 121 contatos próximos dos casos também passou a ser monitorada.[55]

Em 3 de janeiro de 2020, Li Wenliang, oftalmologista de Wuhan, foi convocado pelo Escritório de Segurança Pública de Wuhan onde foi solicitado que assinasse uma confissão oficial e uma carta de advertência prometendo para com de espalhar "rumores" falsos em relação ao coronavírus. Na carta, ele foi acusado de "fazer falsos comentários" que haviam "perturbado severamente a ordem pública". A carta afirmava o seguinte: "Nós solenemente o alertamos: se você continuar sendo teimoso, com tanta impertinência, e continuar sua atividade ilegal, você será levado à justiça — está compreendido?" Li assinou a confissão assinando: "Sim, eu entendo."[30]

No final de janeiro, a Suprema Corte Popular repreendeu a polícia por punir Li e seus companheiros doutores.[33] A polícia de Wuhan afirmou que Li Wenliang não foi preso ou multado, mas alertado por espalhar que "Existem 7 casos confirmados de SARS", o que não era verdade.[32]

O secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Alex Azar, foi alertado em 3 de janeiro que o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Robert Redfield, teve discussões com doutores chineses a respeito do vírus.[56]

4 de janeiro[editar | editar código-fonte]

Autoridades chinesas foram criticados por falharem em divulgar qualquer tipo de informação sobre o "vírus misterioso" que traduções automáticas de relatórios oficiais sugerem ser um novo coronavírus.[55]

A OMS aguardou a China disponibilizar informações sobre o "misterioso novo vírus de pneumonia".[57] A agência das Nações Unidas ativou seu sistema de gerenciamento de incidentes nos níveis nacional, regional e global e começou a se preparar para lançar uma resposta mais ampla, caso necessário. O gabinete regional da OMS em Manila afirmou através de postagens na rede social Twitter que: "#China reportou à OMS em relação a um surto de pneumonia em Wuhan, província de Hubei. O governo também se encontrou com o gabinete de nosso país, e atualizou a @WHO em relação à situação. Ações do governo para controlar o incidente foram instituídas e investigações em relação à causa estão em andamento.", no original: "#China has reported to WHO regarding a cluster of pneumonia cases in Wuhan, Hubei Province.The Govt has also met with our country office, and updated @WHO on the situation. Govt actions to control the incident have been instituted and investigations into the cause are ongoing."[57]

O Instituto de Virologia de Wuhan não respondeu a um email que solicitava por comentários em relação à origem da infecção.[58]

5 de janeiro[editar | editar código-fonte]

O número de casos suspeitos chega a 59 com sete em condição crítica. Todos foram postos sob quarentena e oficiais médicos locais começaram a monitorar 163 de seus contatos. Nesse momento, não haviam casos reportados de transmissão entre humanos ou de contaminação em trabalhadores de saúde.[59][60]

6 de janeiro[editar | editar código-fonte]

Em 6 de janeiro, autoridades de saúde de Wuhan anunciaram que continuavam a busca pela origem, mas até o momento haviam descartado a hipótese de gripe, gripe aviária, adenovírus, e coronavírus de SARS e MERS como sendo o patógeno respiratório que infectou 59 pessoas em 5 de janeiro.[61]

7 de janeiro[editar | editar código-fonte]

Desde o início da explosão de discussões nas mídias sociais em relação ao surto da pneumonia misteriosa em Wuhan, China, as autoridades chinesas censuraram a hashtag #WuhanSARS e começaram a investigar qualquer um que estava alegadamente disseminando informação incorreta em relação ao surto nas redes sociais.[62]

O mundo continua a esperar que a China forneça mais informações a respeito da doença e sobre o que deu início ao inexplicado surto de pneumonia em Wuhan, décima maior cidade da China.[63]

"O Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CCD) emitiu um aviso de viagem na segunda-feira para viajantes de Wuhan, província de Hubei, China, devido ao surto de casos de pneumonia de etiologia desconhecida…"[64]

8 de janeiro[editar | editar código-fonte]

Cientistas na China anunciam a descoberta de um novo coronavírus.[65][66]

9 de janeiro[editar | editar código-fonte]

A OMS confirma que o novo coronavírus foi isolado a partir de uma pessoa que havia sido hospitalizada.[67][68] No mesmo dia, o Centro Europeu para Controle e Prevenção de Doenças publicou sua primeira avaliação de riscos.[69] A OMS também reportou que as autoridades chinesas agiram rapidamente,[67] identificando o novo coronavírus em semanas desde o início do surto, com o número total de pessoas cujos testes resultaram positivo chegando a 41.[70] A primeira morte pelo vírus ocorreu em um homem de 61 anos que era cliente regular do mercado. Ele possuía condições médicas significantes, incluindo doença hepática crônica, e morrer de insuficiência cardíaca e pneumonia. O incidente for noticiado na China pela comissão de saúde por meio da mídia estatal chinesas em 11 de janeiro.[71][72][73][74]

Cientistas chineses relatam na CCTV que encontraram um novo "coronavírus em 15 de 57 pacientes com a doença na cidade central de Wuhan, afirmando que fora preliminarmente identificado como o patógeno responsável pelo surto".[23] Os cientistas anunciaram que o atual "Vírus de Wuhan", um coronavírus, parecia não ser tão letal quanto o SARS. Também relataram que o novo surto viral foi primeiro detectado na cidade de Wuhan em 12 de dezembro de 2019.[23] Adicionalmente, um total de 59 pessoas foram identificadas como tendo contraído a doença, sete pacientes estavam em condição crítica em algum nível, e nenhum trabalhador da saúde foi reportado como tendo sido infectado.[23]

Resposta governamental[editar | editar código-fonte]

Resposta tardia[editar | editar código-fonte]

No entanto, a resposta tardia e controversa das autoridades de Wuhan e Hubei não conseguiu conter o surto no estágio inicial, o que levou a críticas do público e da mídia.[75] Em 29 de janeiro, o vírus havia se espalhado para todas as províncias da China continental.[76][77][37]

Em 8 de fevereiro, mais de 724 haviam morrido de pneumonia associada à infecção por coronavírus e 34.878 foram confirmados como infectados. Somente em Hubei, houve 24.953 casos de infecções e 699 mortes relacionadas.[78] Todas as províncias da China continental iniciaram o nível mais alto de resposta a emergências de saúde pública.[79] A OMS declarou o surto uma "emergência de saúde pública de âmbito internacional" em 31 de janeiro,[37] por medo de que o vírus se espalhe além da China para onde não existe um sistema de saúde robusto, apesar de sua confiança nos esforços da China.[80]

Grupo especial para controle de epidemias[editar | editar código-fonte]

O secretário-geral do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, alertou para uma "situação grave" que a China enfrenta.[81][82] O Politburo do Partido formou um grupo especial para controle de epidemias, liderado pelo primeiro-ministro Li Keqiang. As celebrações do ano novo chinês foram canceladas. Os passageiros foram verificados por suas temperaturas.[83] Comandos para controle de epidemias (CEC) foram formados em diferentes regiões, incluindo Wuhan e Hubei. Muitos serviços de ônibus entre províncias[84] e serviços ferroviários foram suspensos.[85] No dia 29, todas as cidades de Hubei estavam em quarentena.[86] As leis de toque de recolher estão em prática em Huanggang, Wenzhou[87] e outras cidades do continente.[88] A região também vê uma enorme escassez de máscaras faciais e outros equipamentos de proteção, apesar de ser o centro de fabricação mundial desses produtos.[89] Com o aumento dos casos relatados de infecções, o medo aumentou, juntamente com a discriminação regional na China e a discriminação racial fora da China, apesar dos pedidos de interromper a discriminação por muitos governos.[90][91] Alguns rumores circularam pelas mídias sociais chinesas, junto com os esforços de contra-boatos da mídia e dos governos.[92][93]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Khan, Natasha (9 de janeiro de 2020). «New Virus Discovered by Chinese Scientists Investigating Pneumonia Outbreak». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  2. CohenJan. 11, Jon; 2020; Pm, 3:00 (11 de janeiro de 2020). «Chinese researchers reveal draft genome of virus implicated in Wuhan pneumonia outbreak». Science | AAAS (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2020 
  3. «WHO praises China's response to coronavirus, will reconvene expert panel». STAT (em inglês). 29 de janeiro de 2020. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  4. a b c d e f Karlin-Smith, Sarah. «U.S. officials praise Chinese transparency on virus — up to a point». POLITICO (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2020  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome ":0" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  5. «Bloomberg - Are you a robot?». www.bloomberg.com. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  6. Belluz, Julia (21 de janeiro de 2020). «A coronavirus outbreak is spreading quickly. Here's what you need to know.». Vox (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2020 
  7. 国家卫生健康委员会办公厅 (5 de fevereiro de 2020). 新型冠状病毒感染肺炎的诊疗方案(试行第五版) (PDF). zh:国家卫生健康委员会办公厅 (em chinês). Consultado em 5 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada (PDF) em 5 de fevereiro de 2020 
  8. 2020年2月11日湖北省新型冠状病毒肺炎疫情情况 (em chinês) 
  9. Woodyatt, Amy; Kottasová, Ivana; Griffiths, James; Regan, Helen. «China changed how it counts coronavirus cases again. Here's why». CNN 
  10. 湖北省武汉市新冠肺炎疫情数据订正情况. National Health Commission. 17 de abril de 2020. Consultado em 17 de abril de 2020 
  11. «公示公告» (em chinês). Wuhan Municipal Health Commission. Consultado em 30 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 11 de janeiro de 2019 
  12. «Tracking coronavirus: Map, data and timeline». BNO News. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  13. «"疫情通报"» (em chinês). Comissão Nacional de Saúde da República Popular da China. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  14. News, B. N. O. (2 de março de 2020). «Tracking coronavirus: Map, data and timeline» (em inglês) 
  15. «China's first confirmed Covid-19 case traced back to November 17». South China Morning Post (em inglês). 13 de março de 2020. Cópia arquivada em 19 de março de 2020 
  16. «The first COVID-19 case originated on November 17, according to Chinese officials searching for 'Patient Zero'». www.msn.com. Consultado em 19 de março de 2020 
  17. Davidson, Helen (13 de março de 2020). "Covid-19 case happened in November, China government records show – report". The Guardian. ISSN 0261-3077. Retrieved 19 de março de 2020.
  18. Walker, James (14 de março de 2020). "Traces Coronavirus to First Confirmed Case, Nearly Identifying 'Patient Zero'". Newsweek. Consultado em 19 de março de 2020.
  19. a b Huang, Chaolin; Wang, Yeming; Li, Xingwang; Ren, Lili; Zhao, Jianping; Hu, Yi; Zhang, Li; Fan, Guohui; Xu, Jiuyang (15 de fevereiro de 2020). «Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China». The Lancet (em English). 395 (10223): 497–506. ISSN 0140-6736. doi:10.1016/S0140-6736(20)30183-5 
  20. CohenJan. 26, Jon; 2020; Pm, 11:25 (26 de janeiro de 2020). «Wuhan seafood market may not be source of novel virus spreading globally» (em inglês) 
  21. Duarte, Fernando. «Who is 'patient zero' in the coronavirus outbreak?» (em inglês) 
  22. Li, Qun; Guan, Xuhua; Wu, Peng; Wang, Xiaoye; Zhou, Lei; Tong, Yeqing; Ren, Ruiqi; Leung, Kathy S. M.; Lau, Eric H. Y. (29 de janeiro de 2020). «Early Transmission Dynamics in Wuhan, China, of Novel Coronavirus–Infected Pneumonia». New England Journal of Medicine (em inglês). doi:10.1056/NEJMoa2001316 
  23. a b c d Thaiger, The (9 de janeiro de 2020). «Chinese scientists identify the 'Wuhan Virus'. Screening continues on Thai-bound flights.» (em inglês) 
  24. Tan, Wenjie; Zhao, Xiang; Ma, Xuejun; Wang, Wenling; Niu, Peihua; Xu, Wenbo; Gao, George F.; Wu, Guizhen (1 de janeiro de 2020). «A Novel Coronavirus Genome Identified in a Cluster of Pneumonia Cases — Wuhan, China 2019−2020». China CDC Weekly (em inglês). 2 (4): 61–62. ISSN 2096-7071. Consultado em 24 de março de 2020 
  25. Ren, Li-Li; Wang, Ye-Ming; Wu, Zhi-Qiang; Xiang, Zi-Chun; Guo, Li; Xu, Teng; Jiang, Yong-Zhong; Xiong, Yan; Li, Yong-Jun (19 de março de 2020). «Identification of a novel coronavirus causing severe pneumonia in human: a descriptive study». Chinese Medical Journal (em inglês). Publish Ahead of Print. ISSN 0366-6999. doi:10.1097/CM9.0000000000000722 
  26. «Genomic epidemiology of novel coronavirus (nCoV)» 
  27. «钟南山发话前,武汉这位医生向附近学校发出疫情警报» (em chinês). Consultado em 22 de março de 2020 
  28. a b «Notes from the Field: An Outbreak of NCIP (2019-nCoV) Infection in China — Wuhan, Hubei Province, 2019−2020». Consultado em 22 de março de 2020 
  29. «Chinese Coronavirus Whistleblower Li Wenliang Dies of the Disease - Caixin Global» (em inglês) 
  30. a b Hegarty, Stephanie (6 de fevereiro de 2020). «The Chinese doctor who tried to warn about coronavirus». BBC News (em inglês) 
  31. Non-Partisan, World Affairs-; Objective (8 de fevereiro de 2020). «Was the Wuhan Doctor a Brave Whistleblower Silenced by the Government?» (em inglês) 
  32. a b «情况通报2019年12月31日,武汉市卫健部... 来自平安武汉 - 微博». 6 de fevereiro de 2020 
  33. a b «Chinese doctor Li Wenliang, detained for coronavirus warning, now has the illness - The Washington Post». 7 de fevereiro de 2020 
  34. Hegarty, Stephanie (4 de fevereiro de 2020). «O médico chinês que tentou alertar colegas sobre coronavírus, mas acabou enquadrado pela polícia e infectado pela doença». BBC News Brasil 
  35. Green, Andrew (29 de fevereiro de 2020). «Li Wenliang». The Lancet (em English). 395 (10225). 682 páginas. ISSN 0140-6736. doi:10.1016/S0140-6736(20)30382-2 
  36. «CHP closely monitors cluster of pneumonia cases on Mainland» 
  37. a b c d «Chinese officials investigate cause of pneumonia outbreak in Wuhan». Reuters (em inglês). 31 de dezembro de 2019  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome ":1" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  38. a b c d e f «Hong Kong takes emergency steps as mystery 'pneumonia' infects 27 in Wuhan» (em inglês). 31 de dezembro de 2019 
  39. a b c Welle (www.dw.com), Deutsche. «China investigates SARS-like virus as dozens struck by pneumonia | DW | 31.12.2019» (em inglês) 
  40. «UNDIAGNOSED PNEUMONIA – CHINA (HUBEI): REQUEST FOR INFORMATION. Archive Number: 20191230.6864153». Pro-MED-mail. International Society for Infectious Diseases. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  41. Wuhan Health Committee. «关于做好不明原因肺炎救治工作的急通知» (PDF). Chinese Wikipedia (em chinês). Consultado em 24 de janeiro de 2020. Cópia arquivada (PDF) em 12 de janeiro de 2020 
  42. International Society for Infectious Diseases. «The continuing 2019-nCoV epidemic threat of novel coronaviruses to global health—The latest 2019 novel coronavirus outbreak in Wuhan, China». International Journal of Infectious Diseases 
  43. «COVID-19 in China - Warning - Level 3, Avoid Nonessential Travel - Travel Health Notices | Travelers' Health | CDC» 
  44. «WHO | Pneumonia of unknown cause – China» 
  45. 21世纪经济报道 (31 de dezembro de 2019). «武汉不明原因肺炎患者和发病地点已隔离 多医院召开专题会防控救治» 
  46. «Promed Post – ProMED-mail» (em inglês) 
  47. Parry, Jane (8 de janeiro de 2020). «Pneumonia in China: lack of information raises concerns among Hong Kong health workers». BMJ (em inglês). 368. ISSN 1756-1833. doi:10.1136/bmj.m56 
  48. «China CDC Weekly» 
  49. «China's first confirmed Covid-19 case traced back to November 17» (em inglês). 13 de março de 2020 
  50. «The first COVID-19 case originated on November 17, according to Chinese officials searching for 'Patient Zero'» 
  51. Davidson, Helen (13 de março de 2020). «First Covid-19 case happened in November, China government records show - report». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  52. https://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&nv=1&rurl=translate.google.com&sl=zh-CN&sp=nmt4&tl=en&u=http://www.xinhuanet.com/2020-01/01/c_1125412773.htm&xid=17259,15700023,15700186,15700190,15700259,15700271&usg=ALkJrhjF21uP8UvG7tN56ONjCQk3P67qzQ
  53. «Undiagnosed pneumonia - China (HU) (01): wildlife sales, market closed, RFI Archive Number: 20200102.6866757». Pro-MED-mail. International Society for Infectious Diseases. Consultado em 13 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2020 
  54. Huang, Chaolin; Wang, Yeming; Li, Xingwang; Ren, Lili; Zhao, Jianping; Hu, Yi; Zhang, Li; Fan, Guohui; Xu, Jiuyang; Gu, Xiaoying; Cheng, Zhenshun; Yu, Ting; Xia, Jiaan; Wei, Yuan; Wu, Wenjuan; Xie, Xuelei; Yin, Wen; Li, Hui; Liu, Min; Xiao, Yan; Gao, Hong; Guo, Li; Xie, Jungang; Wang, Guangfa; Jiang, Rongmeng; Gao, Zhancheng; Jin, Qi; Wang, Jianwei; Cao, Bin. «Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China». The Lancet. 0. doi:10.1016/S0140-6736(20)30183-5. Consultado em 24 de janeiro de 2020 – via www.thelancet.com 
  55. a b Wilson, James; says, M. D. (4 de janeiro de 2020). «Experts parse limited information about mystery outbreak in China» (em inglês) 
  56. «Youtube - White House Coronavirus News Conference». C-SPAN. Consultado em 28 de março de 2020 
  57. a b «China Pneumonia Outbreak Spurs WHO Action as Mystery Lingers». Bloomberg. Consultado em 28 de março de 2020 
  58. Limited, Bangkok Post Public Company. «Chinese pneumonia outbreak raises concerns». Consultado em 28 de março de 2020 
  59. Jan 06, Lisa Schnirring | News Editor | CIDRAP News |; 2020. «Questions still swirl over China's unexplained pneumonia outbreak» (em inglês) 
  60. «China rules out Sars in mystery pneumonia outbreak». BBC News (em inglês). 5 de janeiro de 2020 
  61. O'Reilly, Eileen Drage. «China hunts cause of mysterious pneumonia outbreak in Wuhan» (em inglês). Consultado em 28 de março de 2020 
  62. January 2020, Nicoletta Lanese-Staff Writer 07. «A New, Unidentified Virus Is Causing Pneumonia Outbreak in China, Officials Say» (em inglês) 
  63. Jan 07, Lisa Schnirring | News Editor | CIDRAP News |; 2020. «Nations step up screening and await word on China's pneumonia outbreak» (em inglês) 
  64. Jan 07; 2020 (7 de janeiro de 2020). «Chinese Health Authorities Work To Discover Cause Of Viral Pneumonia Outbreak; CDC Issues Travel Notice For Wuhan» (em inglês) 
  65. Khan, Natasha (9 de janeiro de 2020). «New Virus Discovered by Chinese Scientists Investigating Pneumonia Outbreak». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660 
  66. «Pneumonia cases in China's Wuhan could be due to new type of virus: WHO». CNA. Consultado em 28 de março de 2020 
  67. a b Jan 09, Lisa Schnirring | News Editor | CIDRAP News |; 2020. «More details emerge on new coronavirus in Wuhan cluster» (em inglês) 
  68. «WHO Statement Regarding Cluster of Pneumonia Cases in Wuhan, China» (em inglês) 
  69. Jan 10, Lisa Schnirring | News Editor | CIDRAP News |; 2020. «Pressure builds on China to share info on new coronavirus» (em inglês) 
  70. Sparrow, Daniel Lucey, Annie. «China Deserves Some Credit for Its Handling of the Wuhan Pneumonia» (em inglês) 
  71. Jan 11, Lisa Schnirring | News Editor | CIDRAP News |; 2020. «China releases genetic data on new coronavirus, now deadly» (em inglês) 
  72. Qin, Amy; Hernández, Javier C. (10 de janeiro de 2020). «China Reports First Death From New Virus». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  73. «Update: Cluster of pneumonia cases associated with novel coronavirus – Wuhan, China – 2019» (em inglês). 14 de janeiro de 2020 
  74. hermesauto (11 de janeiro de 2020). «China reports first death in Wuhan pneumonia outbreak» (em inglês) 
  75. Yuan, Li (28 de janeiro de 2020). «Coronavirus Crisis Exposes Cracks in China's Facade of Unity». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2020 
  76. «眾新聞 - 【武漢肺炎大爆發】西藏首宗確診 全國淪陷 內地確診累計7711宗 湖北黃岡疫情僅次武漢». web.archive.org. 2 de fevereiro de 2020. Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  77. «Coronavirus Has Now Spread To All Regions Of Mainland China». NPR.org (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  78. News, B. N. O. (18 de fevereiro de 2020). «Tracking coronavirus: Map, data and timeline». BNO News (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  79. «中国内地31省份全部启动突发公共卫生事件一级响应». china.caixin.com. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  80. «Coronavirus: WHO declare public health emergency». www.medicalnewstoday.com (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  81. «CPC leadership meets to discuss novel coronavirus prevention, control - People's Daily Online». en.people.cn. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2020 
  82. «Xi says China faces 'grave situation' as virus death toll hits 42». Reuters (em inglês). 26 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2020 
  83. «China virus spread is accelerating, Xi warns». BBC News (em inglês). 26 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  84. «全国19省份暂停省际长途客运--地方领导--人民网». leaders.people.com.cn. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  85. «武汉肺炎:香港宣布大幅削减来往中国大陆交通服务». BBC News 中文 (em chinês). 28 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 30 de janeiro de 2020 
  86. «襄阳火车站关闭,湖北省最后一个地级市"封城"_媒体_澎湃新闻-The Paper». www.thepaper.cn. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  87. 杨丹旭, 文 / (2 de fevereiro de 2020). «中国确诊及死亡病例创单日新高 黄冈恐成"第二个武汉"». 早报 (em chinês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020 
  88. «温州之后,杭州台州宁波多地实施最严禁令 - 川报观察». cbgc.scol.com.cn (em chinês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  89. Safi (now), Michael; Rourke (earlier), Alison; Greenfield, Patrick; Giuffrida, Angela; Kollewe, Julia; Oltermann, Philip (3 de fevereiro de 2020). «China issues 'urgent' appeal for protective medical equipment - as it happened». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2020 
  90. «Wuhan coronavirus reaches India as countries evacuate citizens from China». fox61.com (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  91. Dazed (6 de fevereiro de 2020). «Life under lockdown: Young people in Wuhan tell their coronavirus stories». Dazed (em inglês). Consultado em 29 de fevereiro de 2020 
  92. www.bjnews.com.cn. «关于新型冠状病毒肺炎 这九大谣言别"中招"». www.bjnews.com.cn. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2020 
  93. «聚焦 | 关于新型冠状病毒感染的肺炎疫情的最新辟谣!-新华网». www.xinhuanet.com. Consultado em 29 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2020