Parque Radical do Rio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Parque Radical do Rio
Rio2016 julho ZonaA Deodoro 006 2421 -c-2016 GabrielHeusi HeusiAction.jpg
Visão geral do Parque Radical, com as instalações do ciclismo BMX, ciclismo mountain bike e canoagem slalom.
Rio2016 julho ZonaB Deodoro 006 8193 -c-2016 GabrielHeusi HeusiAction.jpg
Visão geral, com o Estádio de Deodoro (palco do rúgbi), Centro Olímpico de Hóquei e a Arena da Juventude.
Nome Parque Olímpico de Deodoro
Características
Local Estr. de Gericino - Vila Militar, Rio de Janeiro
Construção
Data 2014-2016

Parque Olímpico de Deodoro ou Parque Radical do Rio é uma instalação esportiva permanente construída para sediar eventos esportivos do programa dos XXXI Jogos Olímpicos de Verão que foram ro realizados na cidade do Rio de Janeiro entre 5 a 21 de agosto de 2016. Foi inaugurado em 23 de dezembro de 2015[1].

O complexo, que fica na Região Deodoro e compreende:

Utilização nos Jogos Olímpicos de Verão 2016[editar | editar código-fonte]

O Parque Radical foi usado para as competições dee Mountain Bike, Canoagem Slalom e BMX. Depois do evento, as instalações de canoagem e BMX foram mantidas como espaços públicos de lazer para a população. Somente a área utilizada para a competição de BMX foi reintegrada ao Exército, que cedeu o local[2].

Floresta dos Atletas[editar | editar código-fonte]

Diego Hypólito, ginasta medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, plantando uma das mudas da Floresta dos Atletas.

Na Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, cada um dos atletas que participaram do evento depositou, em pequenos tubos, ao menos uma semente que seria plantada em uma área de cerca de 6 mil m² dentro do Parque Radical de Deodoro, no sopé do Maciço da Pedra Branca. No total foram coletadas 13.725 sementes de 207 espécies nativas da Mata Atlântica, sendo que o número 207 representa o número de países que participaram da competição somado ao time de refugiados que participou da edição. Tais sementes dariam origem à Floresta dos Atletas.[3][4]

O plantio das mudas da Floresta dos Atletas foi iniciado no dia 25 de setembro de 2019, mais de três anos após a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. O investimento para o plantio, de cerca de R$ 3 milhões, seria custeado, de acordo com a Prefeitura do Rio de Janeiro, por compensações ambientais, um mecanismo legal de contrapartida onde empresas cujas atividades tenham causado impacto ao meio ambiente compensam os danos plantando árvores em áreas determinadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC). As mudas estavam sendo mantidas até então pela empresa Biovert em um sítio situado em Silva Jardim.[5] A conclusão do plantio das mudas ocorreu em 10 de dezembro de 2019.[3]

Referências

  1. Jogos Olímpicos: inaugurado nesta terça Parque Radical no Complexo de Deodoro. R7, 23 de dezembro de 2015
  2. Paes inaugura Parque Radical em Deodoro e libera piscinão para população. Jovem Pan, 23 de dezembro de 2015
  3. a b Campos, Ana (10 de dezembro de 2019). «Rio conclui plantio de mudas na Floresta dos Atletas». Agência Brasil. Consultado em 9 de março de 2020 
  4. Araújo, Vera (28 de agosto de 2016). «Sementes plantadas na abertura dos Jogos começam a germinar». O Globo. Consultado em 9 de março de 2020 
  5. Rodrigues, Renan (25 de setembro de 2019). «Três anos depois da Olimpíada, prefeitura inicia plantio da 'Floresta dos Atletas' no Parque Radical de Deodoro». O Globo. Consultado em 9 de março de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Parque Radical do Rio