Pensamento de grupo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pensamento de grupo é um tipo de pensamento exibido pelos membros de um grupo que tentam minimizar conflitos e chegar ao consenso sem testar, analisar e avaliar criticamente as idéias. Durante o pensamento de grupo, membros do mesmo evitam promover pontos de vista fora da zona de conforto do pensamento consensual. Uma variedade de motivos para isto pode existir, tais como o desejo de evitar ser encarado como ridículo, ou o desejo de evitar perturbar ou irritar outros membros do grupo. O pensamento de grupo pode fazer com que grupos tomem decisões precipitadas e irracionais, onde dúvidas individuais são postas de lado, por medo de perturbar o equilíbrio coletivo. O termo é freqüentemente usado em sentido pejorativo.

Origem[editar | editar código-fonte]

A expressão foi criada em 1952 por William H. Whyte, na revista Fortune:

Sendo pensamento de grupo um neologismo — e, confessamente, cheio de significados — uma definição prática torna-se apropriada. Não estamos falando de mera conformidade instintiva — esta é, afinal, uma falha perene da humanidade. Do que estamos falando é de uma conformidade racionalizada — uma filosofia aberta, articulada, que assegura que os valores do grupo não são somente um expediente, mas corretos e bons também.

Irving Janis, que produziu uma extensa obra sobre o assunto:

Um modo de pensar no qual as pessoas se empenham quando estão profundamente envolvidas num círculo coeso, quando os esforços dos membros em prol da unanimidade sobrepujam suas motivações para avaliar realisticamente cursos de ação alternativos.1

A expressão "pensamento de grupo" (groupthink em inglês) foi planejada como uma reminiscência de palavras da Novilíngua, tais como "duplipensar" e "duckspeak", do livro 1984 de George Orwell.

Referências

  1. Janis, Irving L. Victims of Groupthink. Boston: Houghton Mifflin Company, 1972, página 9.
  • Giddens, Anthony, Mitchell Duneier e Richard P. Appelbaum. Essentials of Sociology. Nova York. W.W. Norton & Company, 2006.
  • McCauley, Clark. The Nature of Social Influence in Groupthink: Compliance and Internalization. "Journal of Personality and Social Psychology". Vol. 57 (1987), pp. 250-260.
  • Vaughan, Diane. The Challenger Launch Decision: Risky Technology, Culture, and Deviance at NASA. Chicago. University of and Chicago Press, 1996.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.