Raquel Löff da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Raquel Löff da Silva, mais conhecida como Raquel Löff, nascida em Campinas, em 02 de janeiro de 1995, é jogadora[1][2][3] de voleibol brasileira e atua como Central (Meio-de-rede).


Raquel Löff
FotoWikipedia média
Voleibol
Nome completo Raquel Löff da Silva
Apelido Raquel Löff
Modalidade Vôlei Indoor
Nascimento 02 de janeiro de 1995 (26 anos)
Campinas, Brasil
Nacionalidade  Brasil
Compleição Peso: 84Kg Altura: 193cm
Posição Central
Clube República Checa Volejbalový klub Prostějov

Ataque

Biografia[editar | editar código-fonte]

Raquel começou sua vida no voleibol em 2009, com 14 anos de idade, num projeto do Colégio Apoio de Salvador na Bahia, comandado por José Paranhos, o único treinador nível IV daquele estado, naquela ocasião, também responsável pelas seleções de base da Bahia.

Ao final daquele ano, Raquel já filiada à Federação Baiana de Voleibol, representou o estado no Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais - Segunda Divisão, ocorrido em São Luís do Maranhão.

Num feito marcante, a equipe baiana sagrou-se vice-campeã daquela edição, levando a Bahia pela primeira vez à Divisão de elite do voleibol de base brasileiro.

É dessa competição a entrevista de Raquel para uma matéria do SporTV Repórter, na qual deixou claro, com muita objetividade e simplicidade, qual era a natureza da sua relação com o voleibol. Como definiu o repórter Marcos Peres: “...discurso de profissional”.

Filha de uma família de gaúchos (o que explica o seu biótipo) de longo histórico com o esporte – o bisavô paterno (Babá) foi jogador de futebol do Grêmio Esportivo Brasil de Pelotas entre os anos de 1917 e 1919, o avô materno (Milton Löff) foi jogador da Seleção Gaúcha de Voleibol na segunda metade década de 1940, o pai jogou futebol pelas categorias de base do Grêmio Football Porto Alegrense e do Sport Lisboa e Benfica, e a mãe, formada em Educação Física –, Raquel cresceu experimentando a prática de diversas modalidades.

Sempre cheia de energia e muito competitiva, chegou até a frequentar aulas de Ginástica Olímpica, mas era mesmo nos esportes coletivos que realmente se realizava. Jogou basquetebol e handebol pelas equipes das escolas onde estudou, todavia foi no vôlei que encontrou sua verdadeira vocação.

“Essa menina vai ser uma grande jogadora de vôlei, estou esperando ela chegar na idade certa para começar a trabalhá-la ”, já dizia Leão (Carlos Roberto Coradi), seu professor de Educação Física no Ensino Fundamental, no Colégio Rio Branco de Campinas.

Logo após o Brasileiro de Seleções da Primeira Divisão em 2010, no qual jogou representando novamente a Bahia, Raquel recebeu o sei primeiro convite para assumir de vez o Voleibol. Vandeca Tomasoni, que conheceu a “baiana” (como era chamada) durante a competição, convidou-a para fazer parte de seu projeto na cidade de Nova Trento, em Santa Catarina. Já no início do ano seguinte, em 2011, Raquel então com 16 anos recém feitos, trocava a segurança e a tranquilidade da casa dos pais em Salvador pela pequena e pouco conhecida cidade do interior de Santa Catarina.

O projeto de Vandeca Tomasoni[4] em Nova Trento foi berço de muitas jogadoras que estão hoje no cenário do voleibol nacional, como, Rosamaria Montibeller, Karol Tormena e Amabile Koester, dentre outras.

Quando Raquel se juntou ao grupo, todas já tinham tido passagens pelas Seleções de base de Santa Catarina e do Brasil, além de destacado histórico de conquistas nacionais e internacionais pela própria equipe de Nova Trento (Campeã Brasileira e Sul-Americana Estudantil), que inclusive representou o Brasil no Mundial Escolar (15 a 17 anos), em Baotou, na China, no qual conquistaram o terceiro lugar.

Durante os dois anos em que esteve em Nova Trento, Raquel foi formada por dois profissionais: a primeira foi Karina de Souza, a mesma técnica que havia revelado a ponteira Natália Pereira, nas categorias de base da AJOV[5] (Associação Joaçabense de Voleibol em Joaçaba – SC); e na segunda etapa, foi treinada por Jean Dagnoni. Nesse período a equipe conquistou o Campeonato Catarinense Infantil, o JEBs[6] (Jogo Escolares Brasileiros) e foram Vice-Campeãs, tanto da Liga Nacional como dos Jogos Abertos de Santa Catarina[7].

Raquel teve ainda uma rápida passagem pela equipe da Seleção Brasileira Sub 18[8], em de maio de 2012, durante a fase preparatória para o Sul-Americano que se realizou em Lima, no Peru, quando foi convocada pelo técnico Luizomar de Moura.

No final de 2012, Raquel[9] recebeu um novo convite para mais um desafio: dessa vez, o mesmo veio de São Caetano, outro celeiro de grandes jogadoras do voleibol brasileiro. O autor do convite foi Caio Duilio Improta, técnico da equipe Infanto. Era tempo de fazer as malas novamente, dessa vez rumo a São Caetano em São Paulo.

Coincidência ou não, foi contra a equipe de Brusque, na qual Raquel jogou emprestada por Nova Trento, que o São Caetano disputou a final da Liga Nacional[10][11][12], o jogo decisivo no qual conquistou o seu regresso à elite do voleibol brasileiro. A equipe do São Caetano levou a melhor por um placar de 3 x 0, num jogo realizado na Arena Multiuso, em Brusque, dia 18 de agosto o 2012. Além da final, Raquel havia também jogado os outros dois jogos pela equipe de Brusque.

Em São Caetano, Raquel conheceu a estrutura de uma equipe de primeira linha do voleibol brasileiro, e sob o comando de Caio Improta a equipe Infanto-Juvenil ficou em terceiro lugar no Campeonato Paulista de 2013, tendo perdido a semifinal para a equipe de Bauru.

No início de 2014, Raquel teve uma surpresa ao retornar de suas férias para retomar suas atividades então como Juvenil: foi chamada por Hairton Cabral para compor o plantel da equipe adulta do São Caetano, no jogo da 4ª rodada do 2º turno da Superliga daquele ano contra a equipe do Rio de Janeiro. O fato se repetiu até o final da competição, mas Raquel, como se diz na gíria do voleibol, apenas fardou, não tendo entrado em quadra em nenhuma oportunidade.

Raquel conheceu o sabor de se tornar Campeã Paulista no mesmo ano, como Juvenil, sob o comando do técnico Fernando Gomes. Numa final espetacular contra a equipe do Pinheiros,  ao lado de outras jogadoras dessa nova geração do voleibol brasileiro, tais como, Milka Medeiros e Saraelen Leandro, ambas Campeãs Mundiais Sub 23, naquele ano na edição da competição realizada na Turquia.

Ainda em 2015, Raquel fez parte da Seleção Sub -23[13], durante fase preparatória ocorrida em Saquarema, entre os meses maio e julho, e acumulou mais três importantes conquistas para seu currículo, dessa vez, pelo Pinheiros. Sob o comando do técnico Paulo de Tarso Milagres, fez parte da equipe que se sagrou Campeã da Copa São Paulo, na categoria adulta, e foi peça chave da equipe Juvenil na conquista invicta do Campeonato Paulista Juvenil[14], ao lado da central Lays Freitas, da levantadora Bruna Rocha, das ponteiras Lana Conceição e Maira Cipriano, e da líbero Letícia Gomes. No mês de novembro daquele ano, sob o comando do técnico Eduardo Gonçalves da Silva, a mesma equipe Juvenil do Pinheiros foi também Campeã da 15ª Taça Paraná, uma das mais importantes competições de base do Voleibol brasileiro.

No início de 2016, Raquel se transferiu para a equipe de Valinhos[15][16][17], onde disputou o returno da Superliga 2015/2016, quando então de fato estreou no voleibol profissional brasileiro. O jogo de estréia, assim como na primeira vez que participou de uma Superliga pelo São Caetano em 2014, foi contra o Rio de Janeiro. O ponto alto da sua passagem pela equipe de Valinhos foi a vitória sobre a equipe do SESI, por 3 x 2[18], derrotando duas Bicampeãs Olímpica, as atletas Fabiana Claudino e Jaqueline Carvalho.

Logo apos o término da Superliga por Valinhos, Raquel foi convocada mais uma vez para a Seleção Sub-23[19][20][21][22], no entanto, não se manteve na equipe [23]que disputou o Sul-Americano da categoria, ocorrido em Lima no Peru.

Na temporada 2016/2017 Raquel transferiu-se para a equipe do Vôlei Bauru[24][25][26][27]. Juntou-se ao plantel de forma tardia vinda da pré temporada pela Seleção Brasileira Sub-23. Apesar de ter acumulado em seu currículo a vitória da Copa São Paulo, teve apenas uma oportunidade de atuar pela equipe em toda a temporada, num jogo pela Copa do Brasil, contra a equipe do Praia Clube.[28]

Na temporada seguinte, já no SESI-SP, atuou como titular em praticamente toda a Superliga 2017/2018. A jovem equipe formada depois do processo de reestruturação ocorrido naquele ano. Seu jogo de estréia[29] foi curiosamente mais uma vez contra a equipe do Rio de Janeiro. Ao longo dessa Superliga ela mereceu destaque nos jogos contra as equipes do Vôlei Bauru, sua ex equipe, do Osasco[30] e de Valinhos.

Na sua quarta Superliga, Raquel atuou pela recém formada equipe do Volei Balneário Camboriu, equipe que disputava pela primeira vez a Superliga A, depois de conquistar o acesso como Vice-Campeã da Superliga B na temporada anterior, quando a equipe ainda atuava pela cidade de Londrina.

Raquel começou a temporada 2019/2020 atuando pela equipe do Osasco, pela qual foi contratada para a disputa do Campeonato Paulista, sagrando-se Vice-Campeã da competição. Em seguida, transferiu-se para o voleibol da Ucrania, indo jogar pelo SC Prometey, uma equipe recém criada. Lá disputou a Copa Ucraniana, na qual ficaram com a terceira colocação, sendo eliminadas da disputa pelo título no jogo da semi-final, em que enfrentaram sua principal adversária, a equipe do Khimik Yuzhny. Na Superliga da Ucrânia , apesar de acabarem a competição em primeiro lugar, não se sagraram campeãs porque a competição foi suspensa devido à pandemia de COVID-19. Na Challenge Cup de Voleibol Feminino foram eliminadas logo na primeira rodada, onde tiveram que enfrentar logo de saída a forte equipe do Dresdner SC, da Alemanha.

Em 2020/2021 Raquel teve uma temporada fabulosa, atuando no voleibol da Eslováquia pelo VK Slávia EU de Bratislava. A mesma sagrou-se campeã da Copa da Eslováquia e campeã da Extraliga Zeny, a principal competição da Liga Eslovaca de Voleibol. Do ponto de vista individual, Raquel foi escolhida a melhor jogadora da Extraliga do mês de outubro, foi eleita MVP do seu time em seis jogos, e ficou entre as cinco melhores jogadoras, em cinco dos oito principais indicadores estatísticos da Extraliga: 4ª em pontos por set (3,53 pontos/set), 3ª em pontos de bloqueio por set (0,85 ponto/set), 4ª maior pontuadora (332 pontos), 5ª maior bloqueadora (80 pontos) e a 2ª melhor jogadora no índice de aproveitamento de ataque (51% de aproveitamento). E na Copa da Eslováquia, a competição mais curta, seu desempenho foi ainda melhor: 1ª em pontos por set (4,83 pontos/set), 1ª em pontos de bloqueio por set (1,83 ponto/set), 1ª maior pontuadora (29 pontos), 5ª maior bloqueadora (11 pontos) e a 5ª melhor jogadora no índice de aproveitamento de ataque (46% de aproveitamento).

O Prostejov Voleibol Clube, em Prostejov, República Tcheca será a casa de Raquel na temporada 2021/2022.

Características[editar | editar código-fonte]

Quem define Raquel são alguns dos treinadores com quem ela já trabalhou:

“Ainda me lembro, no início de 2009, quando uma menina loira chegou na quadra da escola em que eu lecionava, dizendo que queria praticar voleibol. A altura e coordenação motora que a menina demonstrou me chamaram e atenção e de pronto me lembrei do mestre Célio Cordeiro que dizia que todo técnico de voleibol cumpriria a sua missão se conseguisse lançar pelo menos um atleta de nível internacional ao longo da sua carreira. Pois bem, ali estava eu diante de um diamante bruto e ansioso ávido por ser lapidado. E assim ela se tornou a minha filha loira, que hoje vai passar a brilhar nas quadras da  Superliga e, amanhã, brilhará ainda mais com a camisa do Brasil.” (José Paranhos – foi o primeiro treinador de Raquel no projeto do Colégio Apoio em Salvador)

“Sabendo de toda disciplina e comprometimento com que a Raquel Loff se envolve na busca de suas metas, seus objetivos, não tenho nenhuma dúvida quanto ao seu desempenho individual e coletivo. Raquel é uma atleta com muito potencial, determinada, focada e que vem conduzindo com muito profissionalismo sua carreira, pois sabe aonde quer chegar. Vou estar sempre na torcida.” (Vandeca Tomasoni – Criadora e Responsável pelo Projeto Nova Trento Vôlei, premiado por dois anos consecutivos com o Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte)

“Raquel, uma menina grande mulher, determinada e inteligente, cheia de vontade de aprender, com seu entusiasmo logo se tornou uma excelente jogadora. Seu inicio no voleibol foi diante de muita dedicação em treinamentos e jogos. Durante sua aprendizagem sempre foi corajosa e desafiadora com um talento brilhante que por onde passava deixava olhares admirados. Sempre muito madura e líder, em pouco tempo despontou como uma atacante, devido as suas características privilegiadas: estatura, ataque, saque e bloqueio. Tornou-se assim uma Central completa. Com sua simplicidade e companheirismo foi exemplo para muitas outras atletas. Possui como marca, a liderança, e com isso está alcançando seu objetivo de tornar-se uma atleta profissional.” (Karina de Souza – treinou Raquel no Sub 16 do Nova Trento)

“Tive o enorme prazer de ter a Raquel como integrante da minha equipe de 2013. Ela me foi indicada e sem conhecê-la trouxe-a pra São Caetano. Quando a vi, logo percebi o grande potencial que tinha. Mas o melhor foi saber a pessoa que é; a educação, o carisma e o respeito com que trata às pessoas. Com tantas qualidades, ficou fácil trabalhar com ela. Como sempre digo a todas as atletas que trabalharam comigo, o meu maior prazer é vê-las na TV, e a Raquel, tenho certeza, me dará esse prazer. E não haverá dúvida que a Raquel será uma das grandes jogadoras do voleibol brasileiro. Torço de coração pelo seu sucesso e sempre que precisar ela terá em mim, além de um técnico, um amigo com quem contar.” (Caio Duílio Improta – treinou Raquel no Sub 19 do São Caetano)

“Tive contato com a Raquel por duas temporadas. Ela é uma atleta com potencial técnico e tático, centrada em seus objetivos, disciplinada e de boa índole. Sabe ser guerreira com seu jeito sereno e grande colaboradora para uma equipe de voleibol. A estrada para ser uma grande atleta é longa e ela está nela.” (Fernando Gomes – treinou Raquel no Sub 21 do São Caetano)

“A Raquel é uma jogadora de inteligência tática e leitura de jogo acima da media, com uma capacidade de identificar e executar bloqueios nas mais diversas situações do jogo. Bloqueios esses que fazem toda diferença no final dos jogos. No ataque, ela tem mais um diferencial que é a facilidade de adaptação nas duas redes que uma Central pode fazer. Além de ter condições de jogar nessas duas redes, ela ainda é capaz de executar golpes em todas as direções, o que a torna uma jogadora completa. Daqui pra frente os cuidados com a parte física e a experiência que ela precisa adquirir jogando serão determinantes para o futuro dela como atleta. Mas como já conheço a determinação que ela tem, acredito muito que o sucesso ocorrerá naturalmente com de tempo.” (Paulo de Tarso Milagres – treinou Raquel no Sub 21 do Esporte Clube Pinheiros)

“Raquel é uma atleta promissora. Dedicada e empenhada nos treinamentos, busca melhorar seu desempenho técnico e tático. Tem evoluído, e conquistará  seu espaço dentro da modalidade.” (Wagner Coppini – treinou Raquel na Seleção Brasileira – Sub 23)

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube País de até
Nova Trento Volei  Brasil 2011 2012
São Caetano  Brasil 2013 2014
E.C. Pinheiros  Brasil 2015 2016
Valinhos  Brasil 2016 2016
Vôlei Bauru  Brasil 2016 2017
SESI-SP  Brasil 2017 2018
Balneário Camboriú  Brasil 2018 2019
Osasco Voleibol Clube  Brasil 2019 2019
SC Prometey  Ucrânia 2019 2020
VK Slávia EU Bratislava  Eslováquia 2020 2021
Volejbalový Klub Prostějov República Checa Tchéquia 2021 2022

Conquistas[editar | editar código-fonte]

2010 - Campeã dos Jogos  Estudantis Brasileiros (JEBS)

2010 - Vice Campeã - Liga Nacional (Categoria Adulta - atuando por empréstimo à equipe do Brusque)

2013 - Vice Campeã Paulista (Categoria Infanto-Juvenil)

2014 - Campeã Paulista (Categoria Juvenil)

2015 - Campeã Paulista  invicta (Categoria Juvenil)

2015 - Campeã da Taça Paraná (Categoria Juvenil)

2015 - Campeã da Copa São Paulo

2017 - Campeã da Copa São Paulo

2019 - Vice Campeã Paulista

2020 - Terceira colocação - Copa da Ucrânia

2020 - Primeira colocação - Superliga Ucraniana (competição suspensa)

2021 - Campeã da Copa da Eslováquia

2021 - Campeã da Extraliga Zeny (Principal Competição da Liga Eslovaca de Voleibol)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Raquel Loff Da Silva - Siatkówka». siatkowka.net (em polaco). Consultado em 29 de março de 2018 
  2. «Raquel Loff da Silva : Players» (em inglês) 
  3. «Raquel Loff da Silva » fans :: Women Volleyball-Movies.net». www.women.volleyball-movies.net (em inglês). Consultado em 29 de março de 2018 
  4. «Voleibol de Nova Trento ganha padrinhos do cenário nacional». www.novatrento.sc.gov.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  5. Felipe. «AJOV». www.ajov.com.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  6. «COB». www.cob.org.br (em inglês). Consultado em 28 de março de 2018 
  7. «Jasc». www.fesporte.sc.gov.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  8. «Melhor do Vôlei – Nesta quinta-feira, Luizomar começa a avaliar jogadoras convidadas para seleção juvenil». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  9. «Raquel Loff da Silva » fans :: Women Volleyball-Movies.net». www.women.volleyball-movies.net (em inglês). Consultado em 29 de março de 2018 
  10. Victor, Rafael e. «Liga Nacional 2012 :: CBV - Confederação Brasileira de Voleibol». www.cbv.com.br. Consultado em 29 de março de 2018. Arquivado do original em 30 de março de 2018 
  11. «Liga Nacional de vôlei feminino tem dois líderes | Gaúcha 2020». Gaúcha 2016 
  12. «Melhor do Vôlei – São Caetano e Brusque vencem na fase final da Liga Nacional». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 29 de março de 2018 
  13. «Melhor do Vôlei – CBV libera primeira convocação da Seleção Feminina Sub-23». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  14. «Melhor do Vôlei – Pinheiros vence o Sesi e conquista o Campeonato Paulista Sub 21 de forma invicta». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 28 de março de 2018 
  15. «Central Raquel Löff da Silva é mais um reforço para o Renata Valinhos/Country». Valinhos FM 
  16. «Contratada pelo Valinhos, Raquel Löff prevê muito trabalho por recuperação». globoesporte.com 
  17. Brasil, Dream Team Vôlei. «REFORÇADO! Renata Valinhos / Country se reforça objetivando uma melhor campanha no returno.». Dream Team Vôlei Brasil. Consultado em 29 de março de 2018 
  18. Brasil, Dream Team Vôlei. «NO TIE-BREAK! Renata Valinhos / Country surpreende e bate o Sesi / SP no quinto set.». Tie Break Vôlei. Consultado em 29 de março de 2018 
  19. «Seleção brasileira sub-23 vence time olímpico de Camarões em amistosos preparatórios para o Sul-americano». www.unitedforvolley.com. Consultado em 29 de março de 2018 
  20. «Sul-Americano Sub-23: Bruna Costa, Karoline Tormena e Raquel Loff são convocadas. Confira lista completa». www.wcbnews.com.br. Consultado em 29 de março de 2018 
  21. «Convocada a seleção sub-23 do vôlei feminino do Brasil» 
  22. «Melhor do Vôlei – Wagão convoca Seleção Sub-23, para o Sul-Americano da categoria». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 29 de março de 2018 
  23. «Melhor do Vôlei – Wagão corta duas atletas e define as 14 integrantes da Seleção Brasileira Sub-23». www.melhordovolei.com.br. Consultado em 29 de março de 2018 
  24. «Vôlei Bauru anuncia contratação da central Raquel Loff, ex-Valinhos». globoesporte.com 
  25. «MERCADO DA BOLA: Concilig Vôlei Bauru anuncia a contratação de Raquel Loff». www.wcbnews.com.br. Consultado em 29 de março de 2018 
  26. «Vôlei Bauru contrata a central Raquel Loff para temporada 2016/2017». Voleibol sempre 
  27. Brasil, Dream Team Vôlei. «NOVO REFORÇO! O Concilig Vôlei Bauru oficializou a contratação da central Raquel Loff para a próxima temporada.». Tie Break Vôlei. Consultado em 29 de março de 2018 
  28. «Genter Vôlei Bauru perde para Praia Clube na Copa BB». www.tanaredebauru.com.br. Consultado em 31 de março de 2018 
  29. «Rio, Osasco, and Uberlândia Start Round 1 Of Superliga With A Bang». VolleyMob (em inglês). 18 de outubro de 2017 
  30. «Praia Clube Beats Sesc For The First Time In 10 Years - Round 10 Recap». VolleyMob (em inglês). 4 de dezembro de 2017